As suas preferências desta sessão foram atualizadas. Para alterar permanentemente as configurações da sua conta, acesse
Lembre-se de que é possível atualizar o país ou o idioma de sua preferência a qualquer momento em
checkoutarrow
BR
beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements

Está com o Estômago Irritado? 5 Maneiras Naturais que Podem Fornecer Alívio

Por Dra. Candace Mathers, ND

Neste artigo:


Todos já passaram por isso em algum momento da vida. Você decide fazer um pequeno lanche e descobre que comeu um pouco mais do que pretendia. Ou talvez aquela nova culinária que gostaria muito de experimentar não cai muito bem para você. Talvez você lide com a irritação no estômago há tanto tempo que não tem nem muita certeza do que esteja causando isso.

A irritação no estômago, também chamada de dispepsia ou indigestão, costuma se referir à dor e desconforto na região abdominal superior. Ela frequentemente inclui uma sensação de queimação no peito e na garganta, inchaço na região abdominal superior, sentir-se cheio embora não tenha comido muito, náuseas e até vômitos.

A irritação no estômago geralmente ocorre após exagerar em alimentos pesados ou bebidas, como bebidas alcoólicas, mas não é sempre o caso. A irritação no estômago pode ser causada por patógenos (como um vírus e bactérias), mas também tem sido relacionado ao estrese, a um desequilíbrio entre bactérias danosas e benéficas no microbioma do intestino, e até a distúrbios do sono.

Embora irritações no estômago possam ser desconfortáveis e incômodas, felizmente existem maneiras naturais de ajudar a aliviar a dor e o desconforto. Estas incluem o gengibrehortelã-pimentaenzimas digestivaserva-doce, e evitar alimentos desencadeadores.

‌‌‌‌Gengibre

Quando falamos de alívio natural para irritações no estômago, o gengibre continua próximo ao topo da lista. O gengibre, membro da família Zingiberaceae é uma erva florida pungente e aromática rotineiramente usada como tempero em pratos de diversas culturas.

Embora tenha sido usada por séculos para fazer os alimentos ficarem deliciosos, pesquisas têm mostrado que ele apresenta uma aplicação bem mais potente: reduzir a náusea e os vômitos. Por exemplo, pesquisas sugerem que compostos específicos no gengibre, conhecidos como gingeróis e shogaóis, previnem a ativação de vias de serotonina no intestino.

Quando as via de serotonina são ativadas no intestino, a serotonina é liberada, estimulando o nervo vago. Isso leva ao aumento de náusea e vômitos. O gengibre ajuda a prevenir a ativação da serotonina, que por sua vez previne o estímulo do nervo vago. Isso leva a menos náuseas e vômitos, uma reclamação comum de pessoas sofrendo de irritação no estômago.

Também já foi demonstrado que o gengibre ajuda a melhorar a motilidade gástrica, o tempo em que seu estômago degrada o alimento que você comeu movendo-o ao longo do seu sistema digestivo. A melhora da motilidade gástrica reduz a sensação de desconforto e de estômago cheio que costumam acompanhar a irritação gástrica.

A irritação gástrica também tem sido associada a inflamação de baixo grau, especialmente quando considerada crônica ou quando ocorre ao longo de um grande período. O gengibre é um potente anti-inflamatório que ajuda a reduzir o desconforto associado à irritação gástrica.

Embora as preparações de gengibre existam em muitas formas diferentes que podem ser úteis (indo desde o fresco até o suco) o gengibre seco tem apresentado a maioria dos benefícios para a irritação estomacal. Usar o gengibre como tempero nas suas refeições também pode ajudar a acalmar o sistema digestivo.

Gengibre, a Raiz Poderosa: Leia mais.

‌‌‌‌Hortelã-pimenta

Não existe nada tão aliviante e refrescante quanto a hortelã-pimenta, especialmente quando você está com o estômago irritado. A Hortelã-pimenta, membro da família Lamiaceae, ou família da menta, tem sido usada por anos na medicina tradicional como alivio para problemas gastrointestinais e por um bom motivo. 

Estudos mostram que a ingestão do óleo de hortelã-pimenta pode ser extremamente útil para o alívio do desconforto estomacal. Estudos mostram que consumir óleo de hortelã-pimenta pode ser muito útil para alivio da irritação estomacal, provavelmente devido a poderosos compostos chamados flavonoides encontrados na planta. Estes compostos como o mentol, mentona e carvona tem uma ampla gama de benefícios, desde propriedades antivirais e antibacterianas à redução da inflamação e facilitação do relaxamento de músculos lisos.

Por exemplo, ingerir óleo de hortelã-pimenta reduz a dor abdominal causada pela síndrome do intestino irritável (SIR) e irritação estomacal. O óleo de hortelã-pimenta relaxa os músculos lisos do sistema digestivo, reduzindo a dor causada pelos espasmos de músculos lisos abdominais. De maneira similar, o chá de hortelã-pimenta oferece uma resposta de alívio.

A hortelã-pimenta é um anti-inflamatório suave que ajuda a acalmar a irritação associada a problemas estomacais. As propriedades refrescantes do mentol são especialmente benéficas para pessoas sofrendo de desconforto gastrointestinal.

Tanto a aromaterapia quanto o óleo de hortelã-pimenta por via oral atuam comprovadamente na redução do estresse mental e emocional que contribuem significativamente para a irritação do estômago.

Óleo de Hortelã-pimenta — Para SIR e Mais: Leia mais.

‌‌‌‌Erva-doce

A erva-doce tem sido usada por séculos na medicina popular com diversas funções, desde a doenças respiratórias e transtornos hormonais até ajudar mães a produzirem mais leite para amamentarem seus bebês. A erva-doce também tem uma tradição sólida na medicina herbal para ajudar com problemas gastrointestinais como estômago irritado.

A erva-doce é uma planta saborosa da família Apiaceae, que inclui outras plantas comestíveis como o salsãosalsa, e cenouras. Embora seja usada para fazer pratos deliciosos no mundo todo, esta planta única também tem um papel no alívio de irritações gástricas.

A erva-doce contém compostos potentes como anetol, limoneno e fenchona, que ajudam a aliviar o estômago irritado.

Pesquisas sugerem que a erva-doce ajuda a aliviar o estômago irritado ao reduzir os espasmos de músculos lisos abdominais. A erva-doce ajuda a inibir um mensageiro químico ( a molécula acetilcoina), que causa espasmos nos músculos lisos no estômago e intestinos. Ao trabalhar da mesma maneira que a hortelã-pimenta, a erva-doce pode ajudar a reduzir os espasmos de músculos lisos e reduzir a dor causada por um estômago irritado.

A erva-doce também aparece em pesquisas promissoras que sugerem que ela possa ter um papel em proteger o tecido estomacal dos danos induzidos pelo álcool, o que pode ser benéfico para qualquer pessoa que tenha irritação estomacal causada por excesso de consumo.

Frequentemente apreciada na forma de um relaxante chá de ervas, a erva-doce também pode ser ingerida de outras formas, como as sementes de erva-doce ou na forma de cápsulas.

Veja Aqui 15 Maneiras Naturais de Abordar Seus Problemas Digestivos: Leia mais.

‌‌‌‌Enzimas Digestivas

As enzimas digestivas são uma ótima maneira de ajudar a aliviar a irritação estomacal naturalmente. Frequentemente, a irritação estomacal ocorre devido ao atraso no esvaziamento gástrico. Isso significa que o alimento que você comeu leva mais tempo do que o normal para se degradar no seu estômago e passar para o intestino delgado para a próxima fase da sua jornada digestiva.

O atraso no esvaziamento gástrico costuma contribuir para aquela sensação de estômago cheio e desconforto frequentemente associado à irritação do estômago. Isso também pode levar ao refluxo ácido. Às vezes o esvaziamento gástrico fica atrasado devido à falta da produção de enzimas digestivas ou redução do funcionamento das enzimas digestivas. Isso ocorre especialmente em pessoas mais velhas.

As enzimas digestivas ajudam a degradar os alimentos que você consome em cada etapa da digestão. A falta de enzimas digestivas faz com que a degradação dos alimentos pelo seu corpo para produção de energia seja mais difícil. À medida que envelhecemos, nosso corpo pode produzir enzimas digestivas menos potentes ou em menor quantidade, levando à irritação do estômago devido à má digestão.

Estudos sugerem que tomar enzimas digestivas regularmente pode ajudar a reduzir os sintomas de irritação gástrica. Um estudo mostrou que a dor abdominal e a flatulência (gases) diminuiu em pessoas mais velhas que tomaram enzimas digestivas diariamente.

Um Guia Rápido Para Enzimas Digestivas: Leia mais.

‌‌‌‌Evite Alimentos Desencadeadores

Uma das melhores maneiras de lidar com a irritação no estômago é prevenir que ocorra em primeiro lugar. Isso pode ser feito ao evitar certos alimentos desencadeadores aos quais você pode ser sensível, ou que você sabe que causam irritação no estômago. Certos alimentos, como alimentos industriais processados, tem mais chance de contribuir para a irritação do estômago. Isso pode ocorrer devido a baixos níveis de fibras, quantidades aumentadas de sódio, ou o número de conservantes presentes nos alimentos processados.

Alimentos ricos em gorduras saturadas também são comumente relacionados a sintomas de irritação no estômago, como náuseas e desconforto abdominal. Estudos até sugerem que alimentos contendo trigo, como pães, biscoitos e macarrão, podem ser ligados a uma incidência de irritação estomacal em pessoas que não tem doença celíaca, mas têm sensibilidade não diagnosticada a trigo ou glúten.

O álcool, cafeína e chocolate também tem um papel na indigestão para pessoas sensíveis a estes alimentos. Um estudo descobriu que o consumo de cafeína através do café invoca sintomas de irritação estomacal em 53% dos participantes que já sofriam de dor de estômago crônica.

Alimentos altamente ácidos (como os cítricos e o tomate), ou alimentos apimentados (como pimenta jalapeño) foram relacionados ao agravamento da irritação estomacal e aumento da incidência de azia. Evitar alimentos que você sabe que tem mais propensão a causar irritação no estômago pode ajudar a prevenir dores ou desconfortos estomacais futuros.

Não importa se você já tem desconforto estomacal há pouco ou muito tempo, a dor e desconforto causados pela irritação de estômago podem tirar a alegria da sua vida. Quando você está sofrendo com a irritação estomacal, a dor, desconforto, inchaço, náusea e vômitos podem parecer infinitos, mas não precisa ser assim.

Felizmente, existem maneiras naturais de encontrar alívio para a irritação no estômago. Incorporar o gengibre, hortelã-pimenta, enzimas digestivas e erva-doce na sua dieta, além de evitar alimentos que você sabe que são desencadeadores pode ajudar muito a reduzir os sintomas de irritação estomacal e pode trazer o alívio tão necessário.

Referências:

  1. Labanski A, Langhorst J, Engler H, Elsenbruch S. Stress and the brain-gut axis in functional and chronic-inflammatory gastrointestinal diseases: A transdisciplinary challenge. Psychoneuroendocrinology. 2020;111:104501. doi:10.1016/j.psyneuen.2019.104501
  2. Shin A, al e. The Gut Microbiome in Adult and Pediatric Functional Gastrointestinal Disorders. Clinical Gastroenterology and Hepatology. 2019;17(2):256-273. 
  3. Zhen-Peng H, al e. Correlation between sleep impairment and functional dyspepsia. Journal of International Medical Research. 2020;48(7). 
  4. Hu M. Effect of ginger on gastric motility and symptoms of functional dyspepsia. World J Gastroenterol. 2011;17(1):105. doi:10.3748/wjg.v17.i1.105
  5. Enck P. Functional Dyspepsia. Nature Reviews Disease Primers. 2017;3. 
  6. Mao Q, Xu X, Cao S et al. Bioactive Compounds and Bioactivities of Ginger (Zingiber officinale Roscoe). Foods. 2019;8(6):185. doi:10.3390/foods8060185
  7. McKay D, Blumberg J. A review of the bioactivity and potential health benefits of peppermint tea (Mentha piperita L.). Phytotherapy Research. 2006;20(8):619-633. doi:10.1002/ptr.1936
  8. Khanna R, MacDonald J, Levesque B. Peppermint Oil for the Treatment of Irritable Bowel Syndrome. J Clin Gastroenterol. 2014;48(6):505-512. doi:10.1097/mcg.0b013e3182a88357
  9. Duboc H, Latrache S, Nebunu N, Coffin B. The Role of Diet in Functional Dyspepsia Management. Front Psychiatry. 2020;11. doi:10.3389/fpsyt.2020.00023
  10. Duncanson K, Burrows T, Walker M, Talley N. Food and Functional Dyspepsia: A Systematic Review. Gastroenterology. 2017;152(5):S303. doi:10.1016/s0016-5085(17)31301-x
  11. Sudha K, Kumar V, Bennur S, Dhanasekar K. A prospective, randomized, open-label, placebo-controlled comparative study of Bacillus coagulans GBI-30,6086 with digestive enzymes in improving indigestion in geriatric population. J Family Med Prim Care. 2020;9(2):1108. doi:10.4103/jfmpc.jfmpc_922_19
  12. Badgujar S, Patel V, Bandivdekar A. Foeniculum vulgareMill: A Review of Its Botany, Phytochemistry, Pharmacology, Contemporary Application, and Toxicology. Biomed Res Int. 2014;2014:1-32. doi:10.1155/2014/842674

Artigos Relacionados

Ver tudo

Condições

O que as pesquisas dizem sobre ômega-3 e doenças cardíacas?

Condições

Por que os homens têm um risco maior de doenças cardíacas? Um médico explica

Condições

8 Remédios Naturais Para Queimação e Refluxo