header_search header_signed-out header_signed-in header_cart sharefilled circlex circleexclamation iherbleaf
checkoutarrow
BR
O produto foi adicionado ao carrinho
Total:
Desconto:
Junto:
Quantidade:
Cart Total:
Finalizar
Clientes também compraram:
Ajuda 24 horas
beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements
Condições

15 Formas Naturais de Evitar uma Infecção Urinária

19 Fevereiro 2018

Por Eric Madrid MD

Infecções do trato urinário, também conhecidas como ITU, são mais comuns em mulheres do que em homens. Nos Estados Unidos, quase 500.000 pessoas são internadas em hospitais devido a complicações de infecções urinárias. A complicação mais comum é uma infecção bacteriana do sangue. Nos Estados Unidos, quase 11 por cento das mulheres relatou ter sofrido uma infecção urinária nos últimos 12 meses. Além disso, estima-se que uma a cada duas mulheres irá desenvolver pelo menos uma infecção urinária ao longo da vida. Ao redor do mundo, dezenas de milhões de mulheres sofrem com infecções do trato urinário a cada ano.

Quase diariamente, recebo visitas de pelo menos um ou dois pacientes com sintomas relacionados à infecção urinária. Os sintomas incluem ardência durante a micção, urinar com frequência, urgência, dor nas costas e, às vezes, incontinência. Para aqueles com mais de 65 anos, uma infecção urinária pode causar confusão e até alucinações, principalmente se a bactéria entrar na corrente sanguínea.

Quem corre risco de contrair uma infecção?

Há muitos fatores de risco para o desenvolvimento de uma infecção urinária:

  • Mulheres correm mais riscos do que os homens
  • Mulheres com 50 anos ou mais (pós-menopausa)
  • Pré-diabetes  
  • Diabetes – A bactéria come açúcar. Quanto mais açúcar uma pessoa consome e excreta, mais comida haverá para a bactéria se alimentar e crescer
  • Supressão imunológica – Um sistema imunológico forte é necessário para combater a infecção
  • Pedra nos rins
  • Relações sexuais – Para mulheres com infecções frequentes, esvaziar a bexiga após o sexo pode ajudar na prevenção
  • Certos métodos contraceptivos – O diafragma, em especial, pode contribuir para a ITU
  • Uso de um cateter urinário
  • Procedimentos urológicos ou cirurgia

Os suplementos de cálcio aumentam o risco de infecção urinária?

Há evidências na Urological Research, que sugere que a ingestão elevada de cálcio pode aumentar o risco de infecção urinária. O Dr. Alan Gaby, na Nutritional Medicine, 2ª edição, recomenda que qualquer pessoa tomando até 1.500 mg de cálcio por dia divida suas doses em duas ou três. O Dr. Gaby aconselha tomar o magnésio junto com o cálcio. Dose sugerida: 500 mg de cálcio uma ou duas vezes ao dia.

Micro-organismos que causam infecção urinária

A Escherichia coli é responsável por 80 a 90 por cento das infecções urinárias. A maior parte da bactéria E. coli é completamente inofensiva quando está no intestino.  Entretanto, se chegar à uretra, o indivíduo pode desenvolver uma infecção.

Outras bactérias que causam infecção urinária incluem Klebsiella, Enterobacter, Enterococcus, Proteus, Pseudomonas, Estafilococos, Estreptococos, Serratia e Candida–uma levedura.

Medicamentos comumente utilizados para tratar infecções agudas

  • Cefalosporinas – Cefalexina (Keflex) entre outros
  • Sulfametoxazol + trimetoprima  (Septra, Bactrim)
  • Nitrofurantoína (Macrobid)
  • Quinolonas (ciprofloxacina, levofloxacina)

Seis maneiras de evitar infecções

  1. Usas roupas íntimas de algodão
  2. Beber bastante água diariamente
  3. Beber suco de cranberry diariamente pode diminuir a incidência de ITU
  4. Não segure a urina por um tempo prolongado
  5. Limpe-se da frente para trás para evitar que bactérias da região anal entrem em contato com a uretra
  6. Mulheres devem urinar após o sexo para ajudar a reduzir o risco

Medicamentos prescritos para infecções urinárias

  • Hipurato de metenamina – um estudo de 1996 demonstrou que a metenamina pode ajudar na prevenção da infecção. Outro estudo, realizado em 2014, teve conclusões similares.
  • Algumas mulheres com risco de ITU após a relação sexual tomam um antibiótico de uma dose, que parece tão eficaz quanto um antibiótico de uso diário na prevenção de infecção urinária aguda.
  • Reposição hormonal – A reposição oral ou vaginal de estrogênio pode ser útil para mulheres pós-menopausa. Discuta os riscos e os benefícios com um profissional de saúde.

Suplementos primários

Os suplementos mais comumente utilizados para ajudar na prevenção de infecções urinárias são cranberry,  D-manose, e vitamina C.  Se eles não forem suficientes, muitos adicionam alguns dos suplementos secundários discutidos abaixo.

Cranberry

Suplementos de cranberry também podem ser úteis para infecções do trato urinário e têm um bom custo-benefício, de acordo com um estudo de 2014 da Clinical Infectious Disease.  Um estudo de 2013 da Nutrition Research confirmou a eficácia dos suplementos de cranberry na prevenção de infecções urinárias recorrentes para o grupo de risco. Um estudo de 2014 do Journal of the American Geriatric Society mostrou que idosos de alto risco residindo em lares de idosos tinham 26 por cento a menos de chance de contrair uma infecção se tomassem suplementos de cranberry. As moléculas dentro da fruta ajudam a prevenir, especificamente, que a bactéria E. coli se prenda à parede da bexiga. Dose sugerida: Conforme instruções do rótulo.

D-manose

Um estudo de 2014, que utilizou uma mistura de D-manose, cranberry e o probiótico Lactobacillus, mostrou a eficácia dos mesmos na prevenção de infecções urinárias. Um estudo de 2017 da revista In Vivo mostrou que a combinação de NAC, D-manose e morinda (NDM) ajuda a prevenir infecções do trato urinário. Outro estudo de 2014 da The World Journal of Urology concluiu que a D-manose reduziu significativamente o risco de infecções recorrentes. Dose sugerida: 1.500 mg de uma a três vezes ao dia.

Vitamina C

Um estudo de urologia de 1997 demonstrou que a vitamina C via oral pode ajudar a matar as bactérias da urina. Um estudo de 2007 concluiu que mulheres grávidas que tomaram pelo menos 100 mg de vitamina C por dia tinham 56 por cento a menos de chance de desenvolver uma infecção urinária.  Dose sugerida: 500-1.000 mg por dia ou duas vezes ao dia.

Suplementos secundários

Melatonina

Secretada pela glândula pineal quando o sol se põe, a melatonina é um hormônio que dá sono. Alguns experimentam os seus efeitos ao tomar suplementos. E embora ela ajude a garantir uma boa noite de sono, também pode ser útil na prevenção de infecções do trato urinário, de acordo com um estudo de 2015. Dose sugerida: 3 a 10 mg por noite.

Vitamina D

Estudos mostraram que a vitamina D tem propriedades antibacterianas. Quando os níveis sanguíneos estão adequados, o corpo produz uma proteína chamada PAM (peptídeo antimicrobiano). O PAM previne infecções bacterianas e é possivelmente eficaz contra infecções urinárias, de acordo com um estudo de 2017 da Frontiers in Microbiology.  Dose sugerida: 2.000 UI a 5.000 UI por dia.

L-arginina

A L-arginina é um importante aminoácido precursor do óxido nítrico (NO).  O NO possui propriedades antimicrobianas e, por isso, pode ser útil na prevenção de infecções do trato urinário.  Dose sugerida: 500 a 1.000 mg uma ou duas vezes ao dia.

Probióticos

Alguns estudos mostram que aqueles que costumam consumir probióticos via oral em sua rotina podem reduzir o risco de infecções urinárias recorrentes. Um estudo de 2011 feito em mulheres usando suplementos probióticos vaginais mostrou os benefícios da prevenção dessas infecções. Um estudo de 2013 sugeriu que os Lactobacillus podem prevenir infecções urinárias. Outros estudos, entretanto, não apoiam essas descobertas. Um estudo de 2015 relatou que a evidência da eficácia dos probióticos não era suficiente.  Dose sugerida: 5 bilhões a 100 bilhões de unidades até duas vezes ao dia.

Contudo, eu recomendo para qualquer um que esteja tomando um antibiótico diário por prevenção, ou que esteja passando por um tratamento à base de antibióticos para uma infecção aguda, consumir um suplemento probiótico. No mínimo, isso irá prevenir uma diarreia induzida por antibióticos ou infecções causadas por leveduras, promovendo um intestino saudável.

Ervas

Ervas têm sido usadas por milhares de anos para várias doenças.  Cientistas têm descoberto novos benefícios diariamente.

Morinda Citrifolia

Esta planta medicinal tem sido usada por milhares de anos pela Medicina Tradicional Chinesa (MTC). Estima-se que existam mais de 100 ingredientes ativos nessa erva. Um estudo de 2017 mostrou que a combinação de D-manose, NAC e Morinda foi útil na prevenção e no tratamento de infecções urinárias em mulheres.

Berberina

De acordo com um estudo de 2016 da Microbiological Research, a berberina também se mostrou benéfica para matar uma bactéria comum (Enterococcus), que causa infecções urinárias. Dose sugerida: Conforme instruções do rótulo.

Alho

O alho, um vegetal, é conhecido por suas propriedades antibacterianas. Para pessoas com infecções urinárias recorrentes, o consumo rotineiro de alho é comumente considerado. O princípio ativo no alho responsável por suas propriedades antibacterianas é a alicina, de acordo com um estudo de 1988.  Dose sugerida: Conforme instruções do rótulo.

Uva-de-urso

Também conhecida como buxilo, essa erva foi aprovada pelo German Federal Institute for Drugs and Medical Device para inflamações do trato urinário e está disponível sob prescrição médica na Alemanha. Outros estudos também mostraram o seu benefício. Dose sugerida:  Conforme instruções do rótulo.

Outras ervas com evidências científicas na prevenção e tratamento de infecções urinárias são hidraste, mirtilo, chá verde, cúrcuma, raiz de ouro e Andrographis

Diminua o risco de ter infecções urinárias

As infecções urinárias são uma das formas mais comuns de infecção que uma mulher pode sofrer em sua vida. A maioria é causada pela bactéria E. coli. Existem muitas coisas que podem ser feitas para prevenir essas infecções, enquanto os antibióticos são frequentemente utilizados para tratar uma infecção aguda. As estratégias discutidas são utilizadas por muitos para que a infecção não se desenvolva.  Beber bastante líquido, ter uma dieta saudável e ser otimista são fatores importantes para um sistema imunológico forte.  Alimente-se de forma saudável, pense saudável, seja saudável.

Referências:

  1. Ann Epidemiol. 2000 Nov;10(8):509-15
  2. Urol Res. 1991;19(3):177-80.
  3. Tidsskr Nor Laegeforen. 1996 Mar 10;116(7):841-3.
  4. Tze Shien Lo, Kimberly DP Hammer, Milagros Zegarra & William CS Cho Expert Review of Anti-infective Therapy Vol. 12 , Iss. 5,2014 Methenamine: a forgotten drug for preventing recurrent urinary tract infection in a multidrug resistance era
  5. Cochrane Database Syst Rev. 2004;(3):CD001209.
  6. Eells S. J., Bharadwa K., McKinnell J. A., Miller L. G. Recurrent urinary tract infections among women: comparative effectiveness of 5 prevention and management strategies using a markov chain monte carlo model. Clinical Infectious Diseases. 2014;58(2):147–160. doi: 10.1093/cid/cit646
  7. Vasileiou I, Katsargyris A, Theocharis S, Giaginis C. Current clinical status on the preventive effects of cranberry consumption against urinary tract infections. Nutr Res 2013;33:595–607.
  8. Caljouw MA, van den Hout WB, Putter H, Achterberg WP, Cools HJ, Gussekloo J. Effectiveness of cranberry capsules to prevent urinary tract infections in vulnerable older persons: a double-blind randomized placebo-controlled trial in long-term care facilities. J Am Geriatr Soc 2014;62:103–10
  9. Tao Y, Pinzón-Arango PA, Howell AB, Camesano TA. Oral Consumption of Cranberry Juice Cocktail Inhibits Molecular-Scale Adhesion of Clinical Uropathogenic Escherichia coli. Journal of Medicinal Food. 2011;14(7-8):739- 745. doi:10.1089/jmf.2010.0154.
  10. J Clin Gastroenterol. 2014 Nov-Dec;48 Suppl 1:S96-101. doi: 10.1097/MCG.0000000000000224.
  11. MARCHIORI D, PAOLO ZANELLO P. Efficacy of N-acetylcysteine, D-mannose and Morinda citrifolia to Treat Recurrent Cystitis in Breast Cancer Survivals. In Vivo. 2017;31(5):931-936. doi:10.21873/invivo.11149.
  12. Kranjčec B, Papeš D, Altarac S. D-mannose powder for prophylaxis of recurrent urinary tract infections in women: a randomized clinical trial. World J Urol 2014;32:79. 10.1007/s00345-013- 1091-6 Urology. 1997 Aug;50(2):189-91.
  13. OCHOA-BRUST, G. J., FERNÁNDEZ, A. R., VILLANUEVA-RUIZ, G. J., VELASCO, R., TRUJILLO-HERNÁNDEZ, B. and VÁSQUEZ, C. (2007), Daily intake of 100 mg ascorbic acid as urinary tract infection prophylactic agent during pregnancy. Acta Obstetricia et Gynecologica Scandinavica, 86: 783–787. doi:10.1080/00016340701273189
  14. Fathollahi A, Daneshgari F, Hanna-Mitchell AT. Melatonin and Its Role in Lower Urinary Tract Function: An Article Review. Current Urology. 2015;8(3):113-118. doi:10.1159/000365701.
  15. Terlizzi ME, Gribaudo G, Maffei ME. UroPathogenic Escherichia coli (UPEC) Infections: Virulence Factors, Bladder Responses, Antibiotic, and Non-antibiotic Antimicrobial Strategies. Frontiers in Microbiology. 2017;8:1566. doi:10.3389/fmicb.2017.01566.
  16. Foxman B, Buxton M. Alternative Approaches to Conventional Treatment of Acute Uncomplicated Urinary Tract Infection in Women. Current infectious disease reports. 2013;15(2):124-129. doi:10.1007/s11908-013- 0317-5.
  17. Evid Based Med. 2013 Aug;18(4):141-2. doi: 10.1136/eb-2012- 100961. Epub 2012 Nov 2.
  18. Cochrane Database Syst Rev. 2015 Dec 23;(12):CD008772. doi: 10.1002/14651858.CD008772.pub2.
  19. MARCHIORI D, PAOLO ZANELLO P. Efficacy of N-acetylcysteine, D-mannose and Morinda citrifolia to Treat Recurrent Cystitis in Breast Cancer Survivals. In Vivo. 2017;31(5):931-936. doi:10.21873/invivo.11149.
  20. Microbiol Res. 2016 May-Jun;186- 187:44-51. doi: 10.1016/j.micres.2016.03.003. Epub 2016 Mar 9.
  21. Feldberg RS, Chang SC, Kotik AN, et al. In vitro mechanism of inhibition of bacterial cell growth by allicin. Antimicrobial Agents and Chemotherapy. 1988;32(12):1763-1768.
  22. Altern Med Rev. 2008 Sep;13(3):227-44. (Discusses other studies which show the benefit of Uva-Ursi for urine infections)

Artigos Relacionados

Ver tudo

Condições

O ácido alfa lipoico e a esclerose múltipla

Condições

Essas ervas, temperos e nozes podem ajudar a controlar a diabetes

Condições

15 formas de se manter saudável ao viajar com diabetes