beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements

13 benefícios do zinco, segundo estudos

Pela Dra. Leigh Siergiewicz, ND

Neste artigo:


O que é o zinco? 

O zinco é um nutriente anti-inflamatório e antioxidante essencial para muitos processos biológicos dos humanos. Ele é relativamente bem conhecido como um suporte do sistema imunológico, mas também pode ser muito importante para a saúde reprodutiva, o crescimento e o desenvolvimento apropriado em crianças, a saúde óssea, a visão, a audição, a saúde digestiva e o crescimento capilar. 

O que acontece se o seu nível de zinco estiver baixo? 

A deficiência de zinco pode causar uma grande variedade de sintomas não específicos, incluindo atraso no crescimento de crianças, baixo apetite, perda capilar, perda de peso, diarreia, névoa mental, depressão, infertilidade em homens e mulheres, desequilíbrios hormonais, tremores, cicatrização lenta, imunidade pobre e perda de paladar.

Uma pessoa pode estar em risco de uma deficiência de zinco quando possui um baixo consumo calórico, sofre de certos distúrbios digestivos, tem um histórico de cirurgia gastrointestinal, doença do fígado ou dos rins, certos distúrbios sanguíneos ou alcoolismo, ou ainda quando segue uma dieta vegetariana. Pessoas idosas costumam ter dificuldades para absorver o zinco adequadamente. 

O corpo humano não armazena o zinco, portanto, uma deficiência pode ocorrer rapidamente se o consumo não for adequado. A deficiência severa é rara, porém, a leve e a moderada são problemas relativamente comuns. O cobre age bioquimicamente em conjunto com o zinco, e consumir zinco em excesso por tempo demais pode levar a uma deficiência de cobre. É por isso que é recomendado que se tome suplementos de cobre e zinco em conjunto, principalmente quando se está tomando doses muito altas de zinco.

‌‌Quais alimentos são ricos em zinco? 

Nós devemos obter o zinco dos alimentos, com as ostras sendo, de longe, a fonte mais rica desse mineral. A maioria das pessoas tem seu maior consumo de zinco representado por carne vermelha e frango. O zinco também está presente em grãos, nozessementes e feijões, mas apresenta uma biodisponibilidade de absorção mais baixa, devido à presença de ftalatos, que se combinam ao zinco e dificultam essa absorção. Os vegetarianos podem aumentar a biodisponibilidade do zinco em grãos e feijões hidratando-os na água por várias horas, para reduzir a combinação dos ftalatos. Os adultos devem obter 8,11 mg de zinco por dia em suas dietas, ou 12 mg em casos de mulheres grávidas ou lactantes.

O zinco pode beneficiar o sistema imunológico?

Uma meta-análise com revisão sistemática de 2012 avaliou os estudos sobre a suplementação com zinco e a prevenção do resfriado. Em 17 estudos, com um total de 2.121 participantes, os pesquisadores concluíram que os suplementos de zinco reduziram a duração do resfriado em adultos, mas não em crianças. A qualidade dessa revisão foi considerada moderada, e os pesquisadores sugeriram que mais estudos sejam realizados sobre esse tópico.

‌‌‌O zinco beneficia a saúde capilar?

Muitos problemas associados à queda de cabelos podem estar relacionados, ou pelo menos ser exacerbados, pela deficiência de zinco. Um artigo de revisão citou muitos estudos que demonstraram uma correlação entre deficiências de micronutrientes e os distúrbios capilares alopecia androgenética, alopecia areata e eflúvio telógeno. 

Uma dosagem adequada é importante, e um estudo que usou doses muito altas de zinco não apresentou resultados positivos. Disfunções da tireoide costumam causar queda de cabelos e, em alguns casos, podem melhorar com a suplementação de zinco.

‌‌‌O zinco pode ajudar com a acne?

Foi demonstrado que o zinco pode desacelerar o crescimento de uma bactéria associada à acne, a Propionibacterium acnes. Isso reduz os marcadores inflamatórios que as bactérias usam para causar doenças de pele. Vários estudos demonstraram que o zinco melhora os casos de acne em pessoas com deficiência do nutriente. 

Além disso, um estudo de 2019 descobriu que pacientes com psoríase apresentam maior probabilidade de terem baixos níveis de zinco, além de níveis relativamente altos de cobre no sangue, e a correção desse desequilíbrio pode ajudar a melhorar os sintomas da doença de pele. Uma meta-análise com revisão sistemática de 2019, que estudou a dermatite atópica (eczema) e os níveis de zinco, chegou a resultados conflitantes. Alguns estudos encontraram benefícios, enquanto outros não. 

É importante notar que há diferentes formas de suplementos de zinco, que possuem diferentes níveis de efetividade para diferentes necessidades ligadas à saúde da pele.

Os níveis de zinco podem afetar a fertilidade masculina?

Uma meta-análise com revisão sistemática descobriu que homens inférteis tinham níveis significativamente mais baixos de zinco em seus fluidos seminais. Foi descoberto que a suplementação com zinco aumenta significativamente a morfologia normal do esperma, o volume de sêmen e a motilidade espermática. Níveis adequados de zinco em homens podem ser um fator importante na concepção saudável.

Por que o zinco é importante para a gravidez e a infância?

O zinco é muito importante para o desenvolvimento fetal devido ao seu papel no DNA, na síntese de proteínas e na divisão celular. A gravidez com baixos níveis de zinco foi associada a abortos, mau crescimento fetal e parto prematuro. Uma revisão sistemática destacou um estudo que demonstrou que a suplementação com zinco reduziu significativamente o risco de parto prematuro. Porém, isso pode estar relacionado à redução no risco de infecção na mãe, o que pode ser uma causa de parto prematuro.

O zinco é bom para o intestino?

O funcionamento adequado do estômago e dos intestinos é importante para a absorção do zinco alimentar, e a deficiência pode ser comum em casos de distúrbios digestivos sérios, como doença de Crohn, colite ulcerativa, doença celíaca, úlceras gastrointestinais e diarreia. Pode ser difícil determinar se a deficiência levou ao distúrbio ou se o distúrbio causou a deficiência, pois o baixo nível de zinco pode contribuir para uma maior suscetibilidade a infecções digestivas. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a suplementação com zinco para crianças com maior risco de infecção. Foi demonstrado que os suplementos de zinco reduzem a severidade, a frequência e a duração de casos de diarreia em crianças.

O zinco é bom para a diabetes?

Pacientes com diabetes tipos 1 e 2 costumam apresentar deficiência de zinco, e seus casos podem melhorar com a suplementação. Sabe-se que antioxidantes ajudam a melhorar o controle do açúcar sanguíneo, e um artigo de 2015 descobriu uma redução significativa nos marcadores de estresse oxidativo em diabéticos depois da suplementação de 30 mg de zinco diariamente durante 3-6 meses.

A deficiência de zinco pode afetar o funcionamento da tireoide?

A deficiência de zinco pode aumentar o risco de se desenvolver uma função anormal da tireoide. A tireoide tem um papel no uso normal do zinco. Vários estudos descobriram que o zinco tem o papel importante de converter os hormônios da tireoide na forma ativa e útil para o corpo, fazendo que os estoques limitados de zinco sejam usados mais rapidamente. Níveis adequados de zinco são importantes para manter o funcionamento saudável da tireoide.

O zinco pode ajudar com a depressão?

Um estudo de 2013, com participantes que sofriam de distúrbio depressivo severo, comparou aqueles que tomavam medicamentos antidepressivos com a adição de um placebo com os que tomaram o antidepressivo com 25 mg de zinco. Os participantes que tomaram suplementos de zinco apresentaram melhoras mais significativas em comparação com o grupo do placebo ao final de períodos de seis e 12 semanas.

O zinco pode beneficiar a audição?

Um estudo de 2011 descobriu que o zinco pode ajudar em casos de perda auditiva repentina e inexplicável. No estudo, 66 participantes foram divididos em dois grupos de 33. Um grupo recebeu um tratamento apenas com corticosteroide, enquanto o outro recebeu o corticosteroide em conjunto com um suplemento de zinco. Os participantes passaram por exames de sangue antes e depois do tratamento. Níveis mais altos de zinco foram fortemente correlacionados a uma porcentagem mais alta de recuperação e ganho auditivo.

O zinco é importante para a visão?

O zinco está presente nos olhos e tem importantes papéis na manutenção da função ocular adequada. Porém, a suplementação com zinco para a saúde visual produziu resultados conflitantes. Estudos sobre o uso do zinco para distúrbios oculares também incluíram outros nutrientes, tornando difícil entender se apenas uma ou várias substâncias surtiram efeito.

O zinco é bom para a saúde óssea?

Um estudo com pacientes que sofriam de talassemia beta, uma disfunção do sangue, descobriu que a suplementação com 25 mg de zinco diariamente melhorou significativamente o teor ósseo do mineral depois de 18 meses. O estudo encorajou a pesquisa da suplementação de zinco em outras populações em busca de efeitos semelhantes.

O zinco pode ajudar com alterações de paladar?

Um estudo randomizado e controlado por placebo de 2013 avaliou a suplementação de zinco em pessoas que passaram por radioterapia para cânceres de cabeça e pescoço. Ele concluiu que as pessoas que tomaram 50 mg de sulfato de zinco três vezes por dia apresentavam uma proteção significativa contra a perda do senso de paladar causada pela radioterapia.

Conclusão

Exames sanguíneos para níveis de zinco nem sempre são confiáveis, portanto, converse com seu médico para saber se a suplementação de zinco pode ser a escolha certa para você. Alguns motivos que podem levar seu médico a considerar essa opção apropriada incluem um diagnóstico de distúrbio digestivo de má absorção, sistema imunológico comprometido, presença de outras doenças associadas à deficiência de zinco ou o uso de medicamentos prescritos que podem causar baixos níveis do nutriente. Pontos brancos nas unhas podem ser um sinal de deficiência de zinco. 

A dosagem apropriada é importante – uma dose alta demais pode causar sintomas adversos, enquanto uma baixa demais pode não ser efetiva. É sempre recomendado tomar suplementos de zinco com uma refeição, pois ele pode causar irritação digestiva quando tomado sozinho. Manter uma dieta saudável, composta por frutas frescas e integrais, incluindo uma grande variedade de carnes, vegetais, frutas e grãos é sempre a melhor forma de garantir uma nutrição adequada.

Referências:

  1. Almohanna, H.M., Ahmed, A.A., Tsatalis, J.P. et al. The Role of Vitamins and Minerals in Hair Loss: A Review. Dermatol Ther (Heidelb). 2019; 9, 51–70. https://doi.org/10.1007/s13555-018-0278-6
  2. Chaffee BW, King JC. Effect of zinc supplementation on pregnancy and infant outcomes: a systematic review. Paediatr Perinat Epidemiol. 2012;26 Suppl 1(0 1):118-137. doi:10.1111/j.1365-3016.2012.01289.x
  3. Ertek S, Cicero AF, Caglar O, Erdogan G. Relationship between serum zinc levels, thyroid hormones and thyroid volume following successful iodine supplementation. Hormones (Athens). 2010;9(3):263-268. doi:10.14310/horm.2002.1276
  4. Fung EB, Kwiatkowski JL, Huang JN, Gildengorin G, King JC, Vichinsky EP. Zinc supplementation improves bone density in patients with thalassemia: a double-blind, randomized, placebo-controlled trial. Am J Clin Nutr. 2013;98(4):960-971. doi:10.3945/ajcn.112.049221
  5. Gaby A. Nutritional Medicine. Concord, NH: Fritz Perlberg Publishing; 2011.
  6. Grahn BH, Paterson PG, Gottschall-Pass KT, Zhang Z. Zinc and the eye. J Am Coll Nutr. 2001;20(2 Suppl):106-118. doi:10.1080/07315724.2001.10719022
  7. Gray NA, Dhana A, Stein DJ, Khumalo NP. Zinc and atopic dermatitis: a systematic review and meta-analysis. J Eur Acad Dermatol Venereol. 2019;33(6):1042-1050. doi:10.1111/jdv.15524
  8. Khan WU, Sellen DW. Zinc supplementation in the management of diarrhoea. https://www.who.int/elena/titles/bbc/zinc_diarrhoea/en/. Published August 3, 2015. Accessed August 24, 2020.
  9. Kucharska A, Szmurło A, Sińska B. Significance of diet in treated and untreated acne vulgaris. Postepy Dermatol Alergol. 2016;33(2):81-86. doi:10.5114/ada.2016.59146
  10. Lei L, Su J, Chen J, Chen W, Chen X, Peng C. Abnormal Serum Copper and Zinc Levels in Patients with Psoriasis: A Meta-Analysis. Indian J Dermatol. 2019;64(3):224-230. doi:10.4103/ijd.IJD_475_18
  11. Najafizade N, Hemati S, Gookizade A, et al. Preventive effects of zinc sulfate on taste alterations in patients under irradiation for head and neck cancers: A randomized placebo-controlled trial. J Res Med Sci. 2013;18(2):123-126.
  12. Nishiyama S, Futagoishi-Suginohara Y, Matsukura M, et al. Zinc supplementation alters thyroid hormone metabolism in disabled patients with zinc deficiency. J Am Coll Nutr. 1994;13(1):62-67. doi:10.1080/07315724.1994.10718373
  13. Ranasinghe P, Pigera S, Galappatthy P, Katulanda P, Constantine GR. Zinc and diabetes mellitus: understanding molecular mechanisms and clinical implications. Daru. 2015;23(1):44. doi:10.1186/s40199-015-0127-4
  14. Ranjbar E, Kasaei MS, Mohammad-Shirazi M, et al. Effects of zinc supplementation in patients with major depression: a randomized clinical trial. Iran J Psychiatry. 2013;8(2):73-79.
  15. Science M, Johnstone J, Roth DE, Guyatt G, Loeb M. Zinc for the treatment of the common cold: a systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. CMAJ. 2012;184(10):E551-E561. doi:10.1503/cmaj.111990
  16. Skrovanek S, DiGuilio K, Bailey R, et al. Zinc and gastrointestinal disease. World J Gastrointest Pathophysiol. 2014;5(4):496-513. doi:10.4291/wjgp.v5.i4.496
  17. Yang CH, Ko MT, Peng JP, Hwang CF. Zinc in the treatment of idiopathic sudden sensorineural hearing loss. Laryngoscope. 2011;121(3):617-621. doi:10.1002/lary.21291
  18. Zhao J, Dong X, Hu X, et al. Zinc levels in seminal plasma and their correlation with male infertility: A systematic review and meta-analysis. Sci Rep. 2016;6:22386. Published 2016 Mar 2. doi:10.1038/srep22386

Artigos Relacionados

Ver tudo

Bem-estar

Cálcio: o melhor suplemento para a saúde dos ossos

Bem-estar

5 Produtos Essenciais Para o Alívio Natural do Estresse

Bem-estar

5 formas naturais de promover a imunidade