header_search header_signed-out header_signed-in header_cart sharefilled circlex circleexclamation iherbleaf
checkoutarrow
BR
O produto foi adicionado ao carrinho
Total:
Desconto:
Junto:
Quantidade:
Cart Total:
Finalizar
Clientes também compraram:
Ajuda 24 horas
beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements
Bem-estar

Nove Benefícios da Erva-cidreira para a Saúde

30 Abril 2018

por Eric Madrid MD

Neste Artigo:

A erva-cidreira é uma erva popular usada por milhões de pessoas. Os cientistas a chamam de “Melissa officinalis" – a palavra “melissa” vem do grego e significa "mel de abelha" – mas também é conhecida por outros nomes, como “néctar da vida”, “cura-tudo” ou "planta de mel". A erva-cidreira é um membro da família da hortelã, uma planta nativa da Europa e bem reconhecida pelos seus muitos benefícios. Ela possui cor verde e folhas pequenas em formato de coração, com flores brancas e amarelas semelhantes às folhas de hortelã. Não é apenas cultivada em jardins, mas também para fins médicos.

A erva-cidreira é considerada uma erva calmante e tem sido usada para fins médicos desde a Idade Média. Acredita-se que ela ajuda a reduzir o estresse e a ansiedade, melhora o sono e o desempenho cognitivo, combate vírus e melhora os sintomas da indigestão. Atualmente, a erva-cidreira costuma ser combinada com outras ervas para promover os seus benefícios para a saúde. Ela também pode ser usada para cozinhar, devido ao seu sabor.  

Ansiedade

A ansiedade é um problema que causa sentimento de medo, preocupação e nervosismo com intensidade o suficiente para interferir nas atividades diárias. É a doença mental mais comum nos Estados Unidos e afeta mais de 40 milhões de adultos a cada ano. Ao redor do mundo, centenas de milhões de pessoas são afetadas.

A ansiedade é frequentemente tratada com medicamentos. Entretanto, muitos buscaram outras alternativas devido ao medo dos efeitos colaterais das drogas. Há vários estudos que mostram que a erva-cidreira pode reduzir os sintomas da ansiedade. O aumento do GABA (ácido gama-aminobutírico) desempenha um papel importantíssimo no tratamento da ansiedade. Um estudo de 2017 da Phytotherapy Research analisou os efeitos da erva-cidreira nas vias do GABA. Descobriu-se que a erva-cidreira melhora a eficiência do GABA, de maneira semelhante à forma com que as drogas interagem com o sistema do ácido para ajudar no tratamento da doença.

Um artigo publicado em 2016 também observou atentamente os compostos da erva-cidreira e concluiu que ela contém receptores estimulantes de GABA. Um terceiro estudo mostrou que a presença do ácido rosmarínico na erva-cidreira é responsável por ajudar a reduzir os sintomas da ansiedade. De modo geral, esses estudos mostram que a erva pode ser utilizada com eficiência no tratamento da ansiedade. Se você estiver tomando medicamentos para ansiedade, não pare de tomá-los sem orientação médica. Não combine o uso da erva-cidreira e de medicamentos sem consultar um médico.

Depressão

A depressão é o transtorno de humor associado a sentimentos de tristeza e perda do prazer pela vida. Ela pode se tornar tão grave que pode resultar em suicídio. Ao redor do mundo, milhões de pessoas são afetadas pela depressão, que pode acontecer com qualquer um, a qualquer idade e independente de suas origens.  Os tratamentos mais comuns incluem aconselhamento e medicamentos antidepressivos, que aumentam os níveis de serotonina, uma substância (neurotransmissora) que ajuda a enviar sinais de uma célula do cérebro para outra. Pesquisadores acreditam que um desequilíbrio ou redução nos níveis de serotonina aumentam o sentimento de depressão. Em um estudo desenvolvido em ratos, descobriu-se que a erva-cidreira contém atividade serotonérgica. Ratos que receberam água com extrato da erva mostraram “redução significativa em comportamentos depressivos” quando comparados com os que receberam um placebo. Isso sugere que a erva-cidreira pode ser útil na redução dos sintomas da depressão. 

Estresse e insônia

O estresse é um sentimento de tensão e pressão que faz parte da vida. Embora quase todas as pessoas tenham vivido algum tipo de estresse, ele pode ter um grande impacto no nosso organismo se não for gerenciado de forma correta. Se não for tratado, pode resultar em doenças crônicas e problemas como insônia. O cortisol (hormônio responsável pelo estresse) em excesso é expressado no cérebro por períodos prolongados, causando uma queda nos glóbulos brancos e resultando em um sistema imunológico mais fraco. Isso deixa a pessoa mais suscetível a doenças, incluindo resfriados e outras infecções.

Uma das ações primárias da erva-cidreira, pela qual ela é mais conhecida, é o seu efeito levemente sedativo, que pode ajudar os estressados. Em um estudo publicado no Journal of Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, crianças com menos de 12 anos que sofriam de inquietação e insônia foram tratadas com uma combinação de extrato da raiz de valeriana e extrato de erva-cidreira. Descobriu-se que a mistura das ervas alivia o estresse e ajuda no tratamento da insônia.

O efeito calmante da erva-cidreira também tem sido estudado em ratos. Dois pesquisadores, Hajhashemi e Safaei, estudaram o “efeito hipnótico” da erva. Eles descobriram que ratos injetados com erva-cidreira e extrato de lavandula angustifolia dormiram mais rápido e por mais tempo. Os resultados do estudo apoiam que a erva-cidreira em combinação com outras ervas pode ser útil no tratamento da insônia.   

Infecções virais

Os consumidores preferem cada vez mais o uso de extratos de plantas, incluindo a erva-cidreira, para prevenir algumas infecções. Pesquisas mostraram que a planta contém compostos como eugenol, terpenos e ácidos rosmarínicos, produtos químicos que desempenham um papel importante na eliminação de vírus e bactérias.  Evidências sugerem que a erva-cidreira contém alta atividade contra o herpes-vírus simples (HSV), que causa feridas.

O Centro Médico da University of Maryland publicou um estudo que investigou os usos médicos da erva-cidreira. O Dr. Steven Ehrlich relatou que em um estudo com 116 pessoas com feridas causadas por herpes oral, os que aplicaram creme de erva-cidreira nos lábios experimentaram uma melhora dos sintomas em apenas dois dias. Em um estudo diferente, uma clínica dermatológica alemã relatou que a erva-cidreira é a principal fonte de tratamento para o vírus do herpes sem nenhuma recorrência observada. Além disso, um estudo recente de 2017 confirmou que a erva-cidreira possui capacidade antibacteriana contra muitas estirpes bacterianas, incluindo a bactéria mais comum, conhecida como E. coli. Essa pesquisa sugere que o uso da erva-cidreira é muito eficaz no tratamento do herpes genital e oral, devido às suas propriedades antivirais e antibacterianas. 

Antioxidantes

Encontrados naturalmente em muitas ervas e alimentos derivados de plantas, os antioxidantes são substâncias importantes que inibem a oxidação, a produção de radicais livres que danificam as células. Em outras palavras, os antioxidantes são bons porque previnem danos celulares.

Vários estudos delimitaram os efeitos antioxidantes da erva-cidreira. Em um estudo que analisou as propriedades anticâncer da erva-cidreira, descobriu-se que ela possui altas concentrações de flavonoides, uma classe de compostos químicos que contêm fenóis, conhecidos por serem antioxidantes poderosos. A Shahrekord University of Medical Sciences no Irã publicou um artigo que focava especificamente nas propriedades da erva-cidreira com base em evidências. Ele investigou, em detalhes, os efeitos antioxidantes da erva e apoiou a afirmação anterior de que a atividade antioxidante na erva-cidreira é atribuída principalmente aos compostos fenólicos na planta.  

Protege a pele

O journal of Dermatological Science publicou um artigo no qual descobriu-se que o extrato de erva-cidreira prevenia contra os danos UV. A radiação UV é a principal causa do envelhecimento e de doenças na pele, incluindo o câncer de pele. No mesmo estudo, também se descobriu que a erva-cidreira possui propriedades de “melanogênese”, que ajuda na redução de manchas de sol indesejadas (também conhecidas como manchas de envelhecimento). A erva-cidreira protege a pele devido ao seu forte poder antioxidante.

Indigestão

Muitas pessoas sofrem de indigestão, uma dor ou desconforto na região superior do abdômen, o que costuma ser o sinal de alguma outra doença como DRGE, úlceras, gastrite ou às vezes síndrome do intestino irritável. Pesquisas mostram que ervas como erva-cidreira, hortelã, e camomila aliviam a indigestão. Em um estudo, 120 pacientes com indigestão foram aleatoriamente selecionados para receber um preparo de ervas que continha extrato de erva-cidreira ou para receber um placebo. Aqueles que receberam o preparo de ervas relataram redução na intensidade e melhora nos sintomas da indigestão. Na França, cerca de 40 plantas foram aprovadas para uso em chás para ajudar no tratamento da indigestão, incluindo a erva-cidreira. 

Câncer

Um estudo publicado em um artigo de 2015 descobriu que a erva-cidreira tem propriedades anticancerígenas. O estudo focou na atividade cancerígena de células do câncer de mama. Foi provado que, devido à sua alta capacidade antioxidante e às propriedades anti-inflamatórias e efeito protetor do coração, ela pode melhorar muito os tratamentos do câncer. Atualmente, ainda existem mais pesquisas a serem feitas sobre os efeitos da erva-cidreira contra o câncer. A erva-cidreira não deve ser usada no tratamento contra o câncer sem aconselhamento médico.

Desempenho cognitivo

Alguns cientistas propuseram que a erva-cidreira possui efeitos sobre o comportamento cognitivo. Em um artigo da Pharmacology Biochemistry and Behavior, 20 participantes foram tratados com diferentes doses de extrato de erva-cidreira. Os resultados mostraram melhora na atenção quando os participantes ingeriam 600 mg de erva-cidreira. Em um estudo mais atual de 2016 encontrado no Iranian Journal of Medical Sciences, é dito que “a erva-cidreira mostrou melhora na memória e no tratamento do mal de Alzheimer em testes clínicos”.

Inúmeros estudos confirmam que a erva-cidreira ou a combinação da mesma com outros extratos, possui a capacidade de melhorar a memória e a atenção. Neurologistas testaram a eficácia e a segurança da erva em pacientes com mal de Alzheimer de leve a moderado, e descobriram que ela apresenta efeitos positivos para lidar com a doença. Saiba mais em Abordagens naturais para a demência e o mal de Alzheimer.

Usos culinários

As folhas da erva-cidreira possuem cheiro e gosto de limão com um toque de menta. Há muitas aplicações culinárias devido a esse gosto único. Experimente cortar algumas folhas de erva-cidreira e adicioná-las no preparo de aves, saladas ou sopas. A erva combina muito bem com frango e peixe. Também pode ser usada para enfeitar sobremesas deliciosas.  

Quer plantar erva-cidreira no seu jardim? Veja como:

A erva-cidreira é fácil de plantar. Tudo o que se precisa é de sementes da erva juntamente com parte da raiz ou do caule. Embora a erva-cidreira prefira climas quentes, é importante escolher um lugar à sombra para que a planta esteja protegida do sol de meio-dia. A erva gosta de solos ricos e úmidos e pode crescer de 61-91 cm de altura. Ela pode se espalhar, então certifique-se de que há espaço para ela crescer. Devido à sua velocidade de crescimento, ela pode precisar de um pouco de poda, o que também ajudará a rejuvenescer sua aparência. A poda é recomendada sempre que a planta mostrar sinais de que vai murchar, para que ela possa crescer saudável novamente. Regue-a diariamente no verão, mas não com tanta frequência no inverno. Regá-la dessa forma ajudará a planta a crescer. Adicionar fertilizantes pode ajudar no crescimento da planta.

Outras formas e usos da erva-cidreira: 

  • Os suplementos de erva-cidreira são feitos colocando as folhas da planta em cápsulas. A dose sugerida é 500 mg uma ou duas vezes ao dia.
  • O óleo essencial de erva-cidreira pode ser aplicado no corpo e é muito utilizado pelas suas propriedades calmantes e relaxantes. Como óleo essencial, pode ser diretamente inalado ou usado em um difusor.
  • Uma pomada de erva-cidreira pode ser usada para tratar problemas na pele.
  • O protetor labial de erva-cidreira pode aliviar a secura e a irritação.
  • O chá de erva-cidreira é uma forma popular de usufruir dos benefícios e do sabor da erva.

Efeitos colaterais potenciais:

Embora a erva-cidreira ofereça muitos usos benéficos devido aos seus componentes, é importante usufruir com cuidado. O uso de Melissa officinalis é conhecido por causar hipotensão e às vezes taquicardia, o que pode ser atribuído aos efeitos do GABA. A erva-cidreira deve ser evitada por mulheres grávidas ou que estejam amamentando, a menos que seja indicada por um profissional de saúde qualificado. Ela também não deve ser combinada com nenhum remédio para ansiedade. Consulte um médico antes de usá-la. 

Referências: 

*Agradecimentos especiais a Miriam Hernandez, BS por me ajudar com a pesquisa para esse artigo

  1. Savage K, Firth J, Stough C, Sarris J. GABA-modulating phytomedicines for anxiety: A systematic review of preclinical and clinical evidence. Phytotherapy Research. 2018;32:3–18. 
  2.  Abolfazl Shakeri, Amirhossein Sahebkar, Behjat Javadi, Melissa officinalis L. – A review of its traditional uses, phytochemistry and pharmacology, Journal of Ethnopharmacology, Volume 188, 2016, Pages 204-228, ISSN 0378-8741
  3. Shih-Hang Lin, Mei-Ling Chou, Wei-Cheng Chen, Yi-Syuan Lai, Kuan-Hung Lu, Cherng-Wei Hao, Lee-Yan Sheen, A medicinal herb, Melissa officinalis L. ameliorates depressive-like behavior of rats in the forced swimming test via regulating the serotonergic neurotransmitter, Journal of Ethnopharmacology, Volume 175, 2015, Pages 266-272, ISSN 0378-8741
  4.  Hajhashemi, Valiollah, and Azadeh Safaei. “Hypnotic Effect of Coriandrum Sativum, Ziziphus Jujuba, Lavandula Angustifolia and Melissa OfficinalisExtracts in Mice.” Research in Pharmaceutical Sciences 10.6 (2015): 477–484. Print.
  5.  Steven D. Ehrlich, NMD. “Lemon balm”. Complementary and alternative medicine guide. University of Maryland Medical Center. 2015.http://www.umm.edu/health/medical/altmed/herb/lemon-balm
  6. Ehsani, Ali et al. “Phytochemical, Antioxidant and Antibacterial Properties of Melissa Officinalis and Dracocephalum Moldavica Essential Oils.” Veterinary Research Forum 8.3 (2017): 223–229. Print.
  7. Marongiu, B., Porcedda, S., Piras, A., Rosa, A., Deiana, M. and Dessì, M. A. (2004), Antioxidant activity of supercritical extract of Melissa officinalis subsp. officinalis and Melissa officinalis subsp. inodora. Phytother. Res., 18: 789–792. doi:10.1002/ptr.1549
  8. Miraj, S., Rafleian-kopaei, Kiani, S. Melissa officinalis L: A Review Study With an Antioxidant Prospective. J Evid Based Complementary Altern Med. Shahrekord University of Medical Sciences, Shahrekord, Iran. 2016 Sep 11.  
  9. Pérez-Sánchez, Almudena et al.Lemon balm extract (Melissa officinalis, L.) promotes melanogenesis and prevents UVB-induced oxidative stress and DNA damage in a skin cell model. Journal of Dermatological Science , Volume 84 , Issue 2 , 169 - 177.
  10. Madisch A, Holtmann G, Mayr G, Vinson B, Hotz J, Treatment of Functional Dyspepsia with a Herbal Preparation. Digestion 2004;69:45-52
  11. Hamza, Alaaeldin Ahmed et al. “Melissa Officinalis Protects against Doxorubicin-Induced Cardiotoxicity in Rats and Potentiates Its Anticancer Activity on MCF-7 Cells.” Ed. Aamir Ahmad. PLoS ONE 11.11 (2016): e0167049. PMC. Web. 14 Jan. 2018.
  12. D.O Kennedy, Andrew B Scholey, N.T.J Tildesley, E.K Perry, K.A Wesnes, Modulation of mood and cognitive performance following acute administration of Melissa officinalis (lemon balm), Pharmacology Biochemistry and Behavior, Volume 72, Issue 4, 2002, Pages 953-964, ISSN 0091-3057
  13. Shojaii, Asie, Roshanak Ghods, and Mehri Abdollahi Fard. “Medicinal Herbs in Iranian Traditional Medicine for Learning and Memory.” Iranian Journal of Medical Sciences 41.3 Suppl (2016): S43. Print.
  14. Akhondzadeh, S et al. “Melissa Officinalis Extract in the Treatment of Patients with Mild to Moderate Alzheimer’s Disease: A Double Blind, Randomised, Placebo Controlled Trial.” Journal of Neurology, Neurosurgery, and Psychiatry74.7 (2003): 863–866. PMC. Web. 15 Jan. 2018.
  15. Cetin, H., Cinbilgel, I., Yanikoglu, A. and Gokceoglu, M. (2006), Larvicidal activity of some labiatae (lamiaceae) plant extracts from Turkey. Phytother. Res., 20: 1088–1090. doi:10.1002/ptr.2004

Artigos Relacionados

Ver tudo

Bem-estar

Um guia rápido sobre a luteína e zeaxantina

Bem-estar

Dicas para se manter saudável durante o jet lag

Bem-estar

Mix de óleos essenciais inspirados pelo amor