checkoutarrow
BR
Ajuda 24 horas
beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements
Nutrição

Abordagens naturais para a depressão pós-parto

12 Junho 2019

Escrito pela Dra. Cherilyn Cecchini

A depressão pós-parto é um transtorno de humor que pode interferir na capacidade de uma mãe de cuidar de si mesma ou do bebê após seu nascimento. Ela é diferente da melancolia puerperal, que geralmente começa nos primeiros dois ou três dias após o parto e pode durar por duas semanas. Quando a depressão vai além desse ponto, ela é classificada como depressão pós-parto. O período pós-parto é o mais vulnerável para que uma mulher desenvolva um problema psiquiátrico, mas é importante lembrar que os sintomas podem ter início durante a gravidez ou até um ano após o nascimento.

Sinais e sintomas da depressão pós-parto

Alguns sinais e sintomas da depressão pós-parto incluem humor depressivo, dificuldade para criar laços com o bebê, afastar-se de amigos e parentes, perda de apetite, insônia ou dormir em excesso, perda de energia, diminuição do prazer em atividades das quais se gostava antes, medo de não ser uma boa mãe ou desesperança.

Além de consultar um médico licenciado, fazer psicoterapia e, possivelmente, fazer uso de remédios prescritos, as mães também podem optar por um estilo de vida saudável e usar remédios naturais como parte do plano de tratamento da depressão pós-parto. Há diversos produtos naturais que são ótimas terapias complementares para mães que estão lidando com a depressão pós-parto.

Pesquisas disponíveis sugerem que a aromaterapia pode ser útil no tratamento de alguns dos sintomas associados à depressão pós-parto. Em especial, o aroma da lavanda pode melhorar os padrões de sono e aumentar a sensação de bem-estar, enquanto reduz os níveis de ansiedade. A massagem pode ser outra ferramenta útil e natural que ajuda a combater os sintomas da depressão pós-parto. Reservar um tempo para cuidar de si mesma e desestressar por meio dessa técnica é uma ótima forma de promover os cuidados pessoais depois do parto. Frequentemente, a massagem é usada em conjunto com a aromaterapia.

Suplementos para a depressão pós-parto

Vitamina D e ômega-3

Além disso, pesquisas mostram que o consumo de suplementos alimentares com vitamina D e ômega-3 pode ter efeitos benéficos sobre a depressão. Alguns estudos demonstraram que os altos níveis de um certo ácido graxo poli-insaturado ômega-3 conhecido como ácido docosa-hexaenoico no leite materno estão associados a taxas menores de depressão pós-parto. Embora o papel exato da vitamina D na depressão pós-parto ainda não esteja claro, foi feita uma associação e a suplementação de níveis de vitamina D parece ter um efeito protetor.

Riboflavina

A riboflavina, ou vitamina B2, também pode ajudar a reduzir o risco de desenvolver depressão pós-parto. Pesquisas mostram que ela tem um efeito positivo em transtornos de humor e que o consumo moderado pode diminuir os sintomas.

Abordagens naturais para a depressão pós-parto

O tratamento com luz brilhante é outra ferramenta útil que foi alvo de estudos sobre a depressão pré-natal e pós-parto. Embora as conclusões sobre a população pós-parto sejam limitadas por conta da pequena amostra, esse tratamento pode trazer efeitos positivos ao humor, considerando sua eficácia nas depressões sazonal e não sazonal. Recomenda-se a exposição à luz por 30 a 60 minutos, uma vez ao dia.

Exercitar-se é outra forma excelente de melhorar o humor e reduzir os sintomas da depressão pós-parto. Estudos mostram que atividades físicas moderadas aumentam a energia e melhoram o humor. Em certas aulas de ginástica, você é incentivada a levar seu bebê junto para fortalecer seu vínculo com a criança, enquanto você encaixa uma sessão de atividade física em sua agenda cheia por conta da maternidade. Caminhadas mais longas com o bebê em um carrinho ou caminhadas mais curtas com o bebê em um sling são outras duas formas de incluir alguns exercícios.

Referências:

  1. ACOG Committee Opinion No. 343: psychosocial risk factors: perinatal screening and intervention. Obstet Gynecol. 2006; (2):469-77.
  2. Zuckerman B, Amaro H, Bauchner H, Cabral H. Depressive symptoms during pregnancy: relationship to poor health behaviors. Am J Obstet Gynecol. 1989; 160(5):1107-11.
  3. Cavanagh HMA, Wilkinson JM. Biological activities of lavender essential oil. Phytother Res. 2002; 16: 301-308.
  4. Aghajafari F, Letourneau N, Mahinpey N, Cosic N, Giesbrecht G. Vitamin D Deficiency and Antenatal and Postpartum Depression: A Systematic Review. Nutrients. 2018; 12;10(4).
  5. Yoshihiro M, Satoshi S, Keiko T, Tetsuji Y, Yukihiro O, Wakaba F, Kyoko S, Satoko O, Chikako K, Yoshio H. Dietary folate and vitamins B12, B6, and B2 intake and the risk of postpartum depression in Japan: The Osaka Maternal and Child Health Study. J Affect Disord. 2006; 96(1-2):133-8.
  6. Oren DA, Wisner KL, Spinelli M, Epperson CN, Peindl KS, Terman JS, Terman M.
  7. An open trial of morning light therapy for treatment of antepartum depression. Am J Psychiatry. 2002; 159(4):666-9.
  8. Corral M, Wardrop AA, Zhang H, Grewal AK, Patton S. Morning light therapy for postpartum depression. Arch Womens Ment Health. 2007; 10(5):221-4.

Artigos Relacionados

Ver tudo

Nutrição

Dicas fáceis para melhorar a alimentação nas festas de fim de ano

Nutrição

Combata a Inflamação e Melhore a Saúde do Intestino com Este Superalimento

Nutrição

Crie a Melhor Bandeja de Aperitivos Nutritivos