header_search header_signed-out header_signed-in header_cart sharefilled circlex circleexclamation iherbleaf
checkoutarrow
BR
O produto foi adicionado ao carrinho
Total:
Desconto:
Junto:
Quantidade:
Cart Total:
Finalizar
Clientes também compraram:
Ajuda 24 horas
beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements
Bem-estar

Suplementos para auxiliar uma gravidez saudável

25 Junho 2018

Por Eric Madrid MD 

Os três trimestres da gravidez determinam a saúde de um bebê. À medida que o embrião se torna um feto e os órgãos começam a se desenvolver completamente, a nutrição que o bebê recebe da mãe pode afetar tudo, desde a saúde do coração até a visão. Com o passar dos anos, muitas pessoas se perguntam quais suplementos, caso existam, devem ser tomadas além de uma vitamina pré-natal.    

Três estudos importantes, focando no consumo de suplementos específicos, foram publicados em 2018, fornecendo esclarecimentos sobre essas questões. 

Em um estudo de fevereiro de 2018, pesquisadores da Johns Hopkins School of Public Health, em Baltimore, Maryland, conduziram uma meta-análise, avaliando o risco futuro de uma criança desenvolver alergias ou uma doença autoimune, com base em três fatores: dieta materna durante a gravidez, estado da amamentação e consumo de certos suplementos durante a gravidez.  

No estudo, os pesquisadores avaliaram milhares de estudos de 1946 a 2017, incluindo mais de 1,5 milhões de participantes. Aqui está o que eles descobriram: 

Probióticos podem ajudar a reduzir o risco de eczema  

Dezenove desses estudos avaliaram o uso de probióticos por parte da mãe durante o período de amamentação. Os resultados mostraram que crianças com mães que tomaram probióticos apresentaram uma redução de 22 por cento na chance de desenvolver eczema, quando comparadas às crianças de mães que não tomaram o suplemento. No mundo todo, estima-se que até 20 por cento das crianças apresentam eczema, podendo variar de leve a severa.                   

Óleo de peixe pode ajudar a reduzir o risco de alergia ao ovo 

Seis dos estudos avaliaram a suplementação com óleo de peixe durante a gravidez e a amamentação. Os resultados mostraram que essas crianças apresentaram uma redução de 31 por cento na chance de desenvolver alergias ao ovo, quando comparadas com mães que não tomaram o suplemento. Até 2,5 por cento das crianças possuem alergia ao ovo, que pode ou não diminuir à medida que a criança cresce.

Os cientistas concluíram que a amamentação pode reduzir o risco de diabetes tipo 1, uma doença autoimune que costuma exigir um uso vitalício de insulina, podendo ter um efeito a longo prazo na saúde dos órgãos.  

Óleo de peixe pode ajudar a reduzir o risco de asma 

Outro estudo, publicado em fevereiro de 2018 no Journal of Family Practice, demonstrou que a suplementação com óleo de peixe durante o terceiro trimestre (últimas 13 semanas) de gravidez pode ajudar a prevenir a asma durante a infância. Os pesquisadores afirmam que crianças de mães que tomavam suplementos com óleo de peixe apresentaram um risco mais baixo de desenvolver asma entre os três e cinco anos de idade, quando comparados a crianças cujas mães tomaram um placebo.   

Além disso, foi relatado que doses de pelo menos 2,700 mg por dia precisaram ser tomadas para que o benefício fosse notado. Doses diárias de 900 mg de óleo de peixe foram insuficientes para prevenir a asma infantil.  

Se você acha que o consumo de peixe seria uma alternativa adequada, pense novamente. É recomendado que mulheres grávidas evitem peixes ricos em mercúrio, devido ao risco de danos ao feto. A Federal Drug Administration (FDA) recomenda 2-3 porções de peixe com baixo teor de mercúrio por semana.    

Peixes com baixo teor de mercúrio e aceitáveis para o consumo incluem: 

  • Tilápia 
  • Salmão 
  • Bacalhau 
  • Bagre 
  • Atum (enlatado-light)  

Peixes que devem ser evitados durante a gravidez incluem: 

  • Peixe-espada 
  • Tubarão 
  • Malacanthidae 
  • Cavala-verdadeira 

Vitamina D e depressão pós-parto   

Um estudo de maio de 2018, publicado no Journal of Affective Disorders, demonstrou que mulheres grávidas com baixos níveis de vitamina D no sangue possuem um maior risco de sofrerem de depressão após o parto. Mulheres grávidas devem considerar a suplementação com 1.000 – 5.000 UI de vitamina D diariamente. 

Suplementos durante a gravidez

Aviso legal: Se você estiver grávida, consulte seu obstetra antes de tomar qualquer suplemento.   

Referências:

  1. Garcia-Larsen V, Ierodiakonou D, Jarrold K, et al. Diet during pregnancy and infancy and risk of allergic or autoimmune disease: A systematic review and meta-analysis. Basu S, ed. PLoS Medicine. 2018;15(2):e1002507.  
  2. http://www.mg217.com/your-eczema/statistics/ 
  3. Neutze D, Evans KL, Koenig M, Castelli G, Mounsey A, Stevermer JJ. PURLs: Does fish oil during pregnancy help prevent asthma in kids? The Journal of Family Practice. 2018;67(2):100-102. 
  4. A systematic review of the associations between maternal nutritional biomarkers and depression and/or anxiety during pregnancy and postpartum Trujillo, Janet et al. Journal of Affective Disorders , Volume 232 , 185 - 203 

Artigos Relacionados

Ver tudo

Bem-estar

O que é a beleza kosher?

Bem-estar

Como aliviar alergias naturalmente

Bem-estar

O que é o biohacking? Como se beneficiar de escolhas mais conscientes