header_search header_signed-out header_signed-in header_cart sharefilled circlex circleexclamation iherbleaf
checkoutarrow
BR
O produto foi adicionado ao carrinho
Total:
Desconto:
Junto:
Quantidade:
Cart Total:
Finalizar
Clientes também compraram:
Ajuda 24 horas
beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements
Bem-estar

Coenzima Q10: A vela de ignição do corpo

27 Abril 2017

Coenzima Q10 (CoQ10) a vela de ignição do corpo humano: Assim como um carro não consegue correr sem aquela fagulha inicial, o corpo humano não pode andar sem CoQ10. Ela é um componente essencial da mitocôndria, que produz a energia que a célula precisa para se dividir, mover, contrair e fazer todas as outras funções. CoQ10 também tem um papel crucial na fabricação de trifosfato de adenosina (ATP), a energia que guia todos os processos do corpo. Além disso, CoQ10 é um antioxidante muito importante que protege as células contra danos.

Embora o nosso corpo possa produzir CoQ10, nós nem sempre produzimos o suficiente. Já que o cérebro e o coração estão entre os tecidos mais ativos do corpo, a deficiência de CoQ10 os afeta em grande parte e pode levar a sérios problemas nestes órgãos. Uma quantidade de coisas pode causar deficiência de CoQ10—dieta pobre, um defeito genético ou adquirido ou necessidades aumentadas do tecido, por exemplo. Doenças cardíacas e vasculares, incluindo colesterol alto e pressão sanguínea elevada, necessitam de níveis teciduais elevados de CoQ10. Além disto, já que os níveis de CoQ10 reduzem com a idade, pessoas acima dos 50 anos podem precisar mais. Muitos estudos demonstraram uma quantidade de medicamentos (mais notavelmente agentes de redução de lipídios como estatinas) que reduzem os níveis de CoQ10.

Dado o papel central da CoQ10 na função mitocondrial e na proteção celular, ela é útil para vários problemas cardíacos. A CoQ10 oferece benefícios em tantas condições de saúde que não há dúvidas que deveria ser considerado um nutriente essencial. Além de ser um antioxidante geral, a CoQ10 também pode ajudar nas seguintes condições:

  • Doença cardiovascular: pressão arterial alta, insuficiência cardíaca congestiva, cardiomiopatia, proteção durante cirurgia cardíaca, colesterol alto tratado com medicamentos, especialmente estatinas
  • Câncer (para aumentar a função imunológica e/ou atenuar os efeitos colaterais da quimioterapia) 
  • Infertilidade masculina
  • Doença de Parkinson (prevenção e tratamento) 
  • Doença periodontal 

Pesquisa científica

Estudos tanto com animais quanto com humanos confirmaram a utilidade da CoQ10 para todas as condições listadas acima—particularmente para doença cardiovascular. De fato, pesquisas demonstraram que 50 a 75 por cento das pessoas com diversas doenças cardiovasculares têm uma deficiência em CoQ10 em seu tecido cardíaco. Corrigir esta deficiência pode produzir com frequência resultados dramáticos em pacientes com qualquer tipo de doença cardíaca. Por exemplo, foi demonstrada a presença de deficiência em CoQ10 em 39 por cento dos pacientes com pressão arterial alta. Estas descobertas sozinhas sugerem uma necessidade de suplementação de CoQ10. No entanto, o CoQ10 parece fornecer benefícios além da correção de uma deficiência cardiovascular.

Um estudo de 2009 apresentado no jornal °Farmacologia e Terapêutica° indicou que o efeito da CoQ10 na pressão arterial normalmente é notado apenas depois de quatro a 12 semanas de terapia e as reduções típicas na pressão arterial sistólica e diastólica nos pacientes com pressão arterial alta são modestas—na faixa de 10 por cento.

Medicamentos de estatina como Crestor, Lipitor e Zocor funcionam inibindo a enzima que o fígado precisa para fabricar o colesterol. Infelizmente, eles também bloqueiam a produção de outras substâncias necessárias às funções corporais, incluindo a CoQ10. Isso pode explicar o efeito colateral mais comumente registrado destes medicamentos—especialmente fadiga e dor muscular. Um grande estudo, o estudo ENDOTACT publicado no °Jornal Internacional de Cardiologia° em 2005, demonstrou que a terapia de estatina reduziu de maneira significativa os níveis plasmáticos de CoQ10, mas esta redução pode ser prevenida por completo com suplementação de 150 mg de CoQ10. Adicionalmente, os suplementos de CoQ10 melhoraram significativamente a função do revestimento dos vasos sanguíneos—uma das metas chaves no °tratamento e prevenção de aterosclerose.

Em estudos de dupla ocultação, foi demonstrado que a suplementação com CoQ10 é bem útil em alguns pacientes com doença de Parkinson. Todos os pacientes nestes estudos tiveram as três primeiras características do Parkinson—tremor, rigidez e movimentos retardados—e foram diagnosticados com a doença dentro dos últimos cinco anos.

Um estudo de 2005 publicado nos °Arquivos de Neurologia° também demonstrou uma desaceleração no declínio funcional nos pacientes de Parkinson que consumiram CoQ10. Após uma análise inicial e exames sanguíneos de base, os pacientes foram aleatoriamente divididos em quatro grupos. Três dos grupos receberam CoQ10 em diferentes dosagens (300 mg ao dia, 600 miligramas ao dia ou 1.200 mg ao dia) por 16 meses, enquanto um quarto grupo recebeu um placebo. O grupo que consumiu a dose de 1.200 mg teve menos declínio na função mental, função motora e na habilidade de realizar atividades do dia-a-dia como se alimentar ou se vestir sozinho. O maior efeito foi nas atividades do dia-a-dia. Os grupos que receberam as doses de 300 mg e 600 mg ao dia desenvolveram menores deficiências que o grupo placebo, mas os efeitos foram menos dramáticos do que naqueles que recebiam a dosagem maior. Estes resultados indicam que os efeitos benéficos do CoQ10 para o Parkinson são alcançados com altas dosagens. Nenhum efeito colateral significante foi observado em nenhum dos pacientes.

Segurança e dosagem

A Coenzima Q10 é muito segura—num foi reportado nenhum efeito adverso sério, mesmo com uso prolongado. Devido à segurança não ter sido comprovada durante a gravidez ou amamentação, a CoQ10 não deve ser usada durante estes períodos a menos que um médico determine o benefício clínico potencial sobreponha os riscos. Eu normalmente recomendo entre 100 e 200 mg de CoQ10 ao dia. Para melhor absorção, eu sugiro cápsulas gelatinosas macias, consumidas junto às refeições. Em níveis de maior dosagem, é melhor consumir em dosagens divididas do que em dose única (200 mg três vezes ao dia é melhor do que 600 mg de uma só vez).

Artigos Relacionados

Ver tudo

Bem-estar

Um guia rápido sobre a luteína e zeaxantina

Bem-estar

Dicas para se manter saudável durante o jet lag

Bem-estar

Mix de óleos essenciais inspirados pelo amor