header_search header_signed-out header_signed-in header_cart sharefilled circlex circleexclamation iherbleaf
checkoutarrow
BR
O produto foi adicionado ao carrinho
Total:
Desconto:
Junto:
Quantidade:
Cart Total:
Finalizar
Clientes também compraram:
Ajuda 24 horas
beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements
Condições

O Poder Cerebral

27 Abril 2017

Como proteger o cérebro contra a perda de memória e a doença de Alzheimer.

Será que a perda de memória e a diminuição do desempenho cerebral são inevitáveis à medida que envelhecemos? Muitas pessoas com 40, 50 anos ou mais são informadas que sim, e que não há nada que possam fazer a respeito. Isso não é verdade. Algumas medidas podem ser tomadas para parar a perda de memória e também revertê-la. É claro, muitos fatores além da idade podem causar perda de memória. Estes incluem a depressão, certas drogas, derrames, lesões na cabeça, alcoolismo e demência (problemas severos com memória e raciocínio, como a doença de Alzheimer, abreviada como DA).

Alimente o Seu Cérebro, Aperfeiçoe a Sua Mente

Existem evidências consideráveis de que dietas ricas em antioxidantes como as vitaminas C e E previnem a perda de memória relacionada à idade e outras doenças degenerativas cerebrais. É muito importante manter uma dieta rica em folhas verdes; alimentos coloridos como cenoura, batata doce e abóbora; frutas ricas em flavonoides como as cítricas, frutas vermelhas e cerejas, evitando o consumo de gorduras trans, alimentos fritos, carnes defumadas e salgadas e junk foods. Diversos estudos já demonstraram que o funcionamento do cérebro está diretamente relacionado ao estado nutricional. Dada a frequência de deficiência nutricional na população idosa, é possível que muitos casos de comprometimento no funcionamento mental possam ter uma causa nutricional.

Suplementos Nutricionais para Proteger o Seu Cérebro

Além de uma dieta saudável, um multivitamínico potente e uma fórmula  multimineral, e 1000 mg  de ácido eicosapentaenóico (EPA)  e ácido docosahexaenoico (DHA) combinados provenientes de um óleo de peixe de qualidade, é recomendado tomar coenzima Q10 (coenzyme Q10) com pirroloquinolina quinona (pyrroloquinoline quinone) (PQQ), fosfatidilserina (phosphatidylserine),  e curcumina (curcumin) (caso alguns sintomas de deterioração mental estejam presentes em pessoas de 50 anos ou mais). Veja a seguir uma breve discussão sobre cada um destes suplementos importantes para a proteção do cérebro:

  • Coenzima Q10 (Coenzyme Q10) (CoQ10): Embora o corpo produza um pouco da sua própria CoQ10, estudos importantes demonstram benefícios significativos com a  suplementação, particularmente em pessoas com doenças cardíacas, incluindo colesterol alto e pressão arterial alta, ou pessoas tomando medicamentos para baixar o colesterol. Estudos recentes indicam que os níveis de CoQ10 são significativamente mais baixos nas mitocôndrias de pessoas que apresentam doenças cerebrais degenerativas. Para níveis gerais de suplementação, tome de 100 a 200 mg diários de CoQ10 em óleo de farelo de arroz contidos em uma cápsula gelatinosa mole. Para melhorar a memória, resultados ainda melhores são vistos para a CoQ10 caso seja tomada junto com a PPQ. Ela exerce um efeito sinérgico com a CoQ10, e isto é vital para o funcionamento da mitocôndria. Assim como a CoQ10, a PQQ protege as células cerebrais de danos. Já foi demonstrado que ela é capaz de restaurar a memória em estudos com animais e com humanos, e sua atividade antioxidante tem aproximadamente 5000 vezes mais efeito do que a vitamina C. A dosagem para a PQQ é de 20 mg diários.
  • A Fosfatidilserina (FS) é um nutriente crítico para pessoas com DA, PD ou funcionamento mental comprometido. Níveis baixos de fosfatidilserina no cérebro estão associados a prejuízo no funcionamento mental e depressão em idosos. Cerca de uma dúzia de estudos duplo cegos mostraram que a fosfatidilserina melhora o funcionamento mental, humor e comportamento em pacientes com doenças cerebrais degenerativas. A dosagem recomendada é de 100 mg três vezes ao dia.
  • A Curcumina, o pigmento amarelo da cúrcuma, tem se mostrado incrivelmente promissor como um protetor do cérebro, incluindo a habilidade de prevenir e possivelmente reverter a doença de Alzheimer (DA). Residentes da área rural da Índia, que comem uma grande quantidade de cúrcuma, têm a menor incidência da doença de Alzheimer em todo o mundo: 4,4 vezes mais baixa do que entre os americanos. Cientistas demonstraram que a curcumina é capaz de prevenir o desenvolvimento de lesões cerebrais de Alzheimer em camundongos especialmente gerados para desenvolver DA, e pode efetivamente reverter o dano às células cerebrais. A cúrcuma pode ser consumida amplamente na dieta, mas tomar um extrato de curcumina pode se demonstrar importante na prevenção da perda de memória relacionada ao envelhecimento, bem como de condições mais sérias como a DA.

Artigos Relacionados

Ver tudo

Condições

Essas ervas, temperos e nozes podem ajudar a controlar a diabetes

Condições

15 formas de se manter saudável ao viajar com diabetes

Condições

Como viajar com hipertensão