Por Dr. Michael Murray, ND

As abelhas são incríveis e absolutamente essenciais para a vida na Terra, devido ao seu papel central na polinização das plantas. Existe uma citação popular de Albert Einstein dizendo que "Se as abelhas desaparecessem da superfície da Terra, o homem não teria mais do que quatro anos de vida." Recentemente tem havido um declinio no número de abelhas na América do Norte devido a um fenômeno chamado de Transtorno de Colapso de Colônias (TCC). Muitos fatores são sugeridos como a causa da TCC, como pesticidas, patógenos e práticas de apicultura. Porém, nenhum fator único foi encontrado com consistência suficiente para sugerir que seja a única causa.

Além do seu papel na polinização, as abelhas também nos fornecem maravilhosos produtos nutritivos. Não só a doçura domel, mas também os tremendos benefícios para a saúde oferecidos pelo pólen, própolis e geléia real. Historicamente, estes produtos de apicultura têm sido muito valorizados na indústria de produtos naturais, mas parece que muitos vendedores esquecerem de como estes alimentos são valiosos para melhorar a saúde. Veja uma breve descrição destes produtos:

  • O pólen de abelhas vem da célula germinativa masculina de plantas com flores. Quando as abelhas viajam de flor em flor, elas fertilizam a célula germinativa feminina. As abelhas permitem a reprodução de mais de 80% dos grãos, frutas, vegetais e legumes do mundo. O pólen é coletado e trazido para a colméia, onde as abelhas adicionam enzimas e néctar a ele. É importante reconhecer que um colher de chá de pólen de abelhas levaria 8 horas de trabalho diários por um mês para ser coletada por uma única abelha.
  • O própolis é a substância resinosa coletada pelas abelhas dos brotos de folhas e cascas de árvores, especialmente o álamo e coníferas. As abelhas usam o própolis, além da cera, para construir a colméia. O própolis apresenta atividades antimicrobianas que ajudam a colméia a bloquear vírus, bactérias e outros organismos.
  • A geléia real é uma substância espessa e leitosa produzida por abelhas operárias para alimentar a abelha rainha. As abelhas operárias misturam o mel e o pólen a enzimas nas glândulas de suas gargantas para produzir a geleia real. Acredita-se que a geléia real seja um suplemento alimentar útil, por causa do maior tamanho, força, resistência e longevidade da abelha rainha quando comparada a outras abelhas.

História e Usos Populares

O uso de produtos de apicultura com propósitos medicinais é tão antigo quanto a própria apicultura. Textos chineses de mais de 2000 anos incluem muitas menções a produtos de abelhas. Hipócrates também escreveu sobre elas. O mel era tão valioso na época romana que era frequentemente usado em vez do ouro para pagamento de impostos.

Dos produtos de abelhas, o própolis era o mais valioso como agente medicinal. Por exemplo, as abelhas produtoras de própolis eram representadas em vasos do egito antigo, onde o sinal da abelha era constantemente misturado a títulos dos reis e usado como tema em ornamentos apresentados como recompensas de valor. No Egito antigo as abelhas e o própolis eram considerados a fonte de saúde e vida eterna.

Benefícios Nutricionais

O pólen de abelhas é frequentemente chamado de "alimento mais perfeito da natureza". Ele é especialmente rico em proteínas (tipicamente contém de 35-40% de proteínas no total) e é uma proteína completa, o que significa que ela contém todos os oito aminoácidos essenciais. Na verdade, o pólen de abelhas é mais rico em proteínas do que qualquer outra fonte animal e cerca de metade das suas proteínas ocorrem na forma de aminoácidos livres, prontos para serem diretamente usados pelo corpo. O pólen de abelhas também fornece níveis significativos de vitaminas B, vitamina C, carotenos, minerais, DNA, RNA, diversas moléculas de flavonoides e hormônios vegetais.

O própolis e a geléia real apresentam qualidades nutricionais similares ao pólen, mas níveis consideravelmente mais altos de diferentes compostos biologicamente ativos como polifenois.1,2 A geleia real contém aproximadamente 12% de proteína, de 5% a 6% de lipídeos, e de 12% a 15% de carboidratos.

Pesquisas Científicas

Os benefícios dos produtos de abelhas para a saúde são muito comentados mas insuficientemente pesquisados em testes clínicos humanos. Algumas sobreposições existem no uso de pólen, própolis e geléia real para promover a saúde.

Aplicações Populares Para Produtos de Apicultura:

Pólen de abelhas

  • Alergias
  • Reforço antioxidante
  • Aumento de Energia
  • Sintomas de menopausa
  • Apoio para quimioterapia e radioterapia

Própolis

  • Resfriados comuns
  • Infecções gastrointestinais
  • Reforço imune
  • Anti-inflamatório tópico
  • Infecções do trato respiratório superior
  • Vaginite

Geléia real


  • Efeitos antienvelhecimento
  • Aumento de energia e funcionamento físico e mental
  • Sintomas de menopausa
  • Níveis elevados de colesterol

Pólen de Abelhas

Poucas pesquisas foram feitas com pólen de abelhas, provavelmente porque não existem recompensas financeiras para justificar este investimento. As pesquisas que existem são limitadas mas impressionantes. Por exemplo, estudos em animais mostram que o pólen pode promover o crescimento e desenvolvimento, melhorar a qualidade do sêmen, aumentar a porcentagem de fertilidade, proteger contra radicais livres e danos oxidativos e proteger e contra os efeitos de radiações negativas, bem como exposição tóxica a solventes químicos.3-5

Um estudo com humanos mostrou que o extrato de pólen produz melhoras significativas nos sintomas da menopausa (dores de cabeça, incontinência urinária, vagina seca, diminuição da vitalidade) em estudos duplo-cegos.6 A melhora foi alcançada através do extrato de pólen não produziu efeito estrogênico, uma consideração importante para mulheres que não podem tomar estrógenos de nenhum tipo.7

Própolis

O uso principal do própolis tem sido melhorar o sistema imune e nas infecções. O própolis tem uma atividade antimicrobiana inerente que protege a colméia de vírus, bactérias e outros organismos. O própolis apresenta uma atividade antimicrobiana considerável em estudos experimentais.8-10 O própolis também estimula o sistema imune, de acordo com estudos preliminares em humanos.11,12 Estudos experimentais também demonstraram que o propolis exerce efeitos antioxidantes, de proteção do fígado, anti-inflamatórios, e anticâncer.13-17

Um uso central do própolis é a proteção contra resfriados e diminuição da sua duração. Um estudo preliminar em humanos reportou que o extrato de própolis reduziu o risco de infecções do trato respiratório superior em crianças.11 Em um estudo duplo-cego com 50 pacientes com resfriado comum, o grupo tomando extrato de própolis ficou livre de sintomas muito mais rápido do que o grupo placebo.18 

Um dos métodos mais populares de consumo do própolis é através de um spray oral. Um estudo duplo-cego analisou os efeitos do spray oral contendo extrato de própolis em 122 adultos saudáveis com sintomas leves de resfriado comum.19A dose de 2-4 sprays três vezes ao dia produziu a resolução dos sintomas dois dias antes no grupo do própolis (três dias versus cinco dias). Não foram observadas reações adversas no grupo.

As propriedades antimicrobianas do própolis também podem ajudar a proteger contra infecções por parasitas no trato gastrointestinal e infecções vaginais por fungos com base em estudos preliminares.20-21

Geléia Real

Reverenciada há muito tempo como um medicamento tradicional antienvelhecimento e restaurador de energia, já foi demonstrado que o consumo de geléia real aumenta o tempo de vida de abelhas e de diversas outras espécies, incluindo camundongos. Ela demonstrou diversos efeitos antienvelhecimento em estudos experimentais. Por exemplo, a geléia real demonstrou efeitos antienvelhecimento particulares sobre a pele, aumentando os níveis de colágeno em estudos com animais, melhorando a elasticidade e força da pele. Em estudos com camundongos, a administração de geléia real a longo prazo melhorou a memória e o desempenho físico dos animais tratados. Ela também aumentou as células-tronco musculares e preveniu perdas musculares relacionadas à idade.22,23 

Em um estudo com humanos para avaliar o impacto da geléia real na melhora da força muscular em idosos residentes de casas de repouso, 194 particiantes receberam um placebo ou 1,2 g/dia de geléia real ou 4,8 g/d de geléia real por um ano. A primeira medida de resultado foi a força do aperto de mão. Embora o estudo tenha falhado em melhorar a força com a geleia real, ele mostrou que ela desacelera a progressão da perda de força muscular em pessoas idosas.24

Uma área essencial de foco no uso clínico da geleia real é durante e após a menopausa.2,22,23  Esta aplicação foi recentemente analisada em um estudo clínico duplo-cego.25 A população do estudo consistia em 200 mulheres após a menopausa (idades entre 45 e 60 anos). Cada participante recebeu 1000 mg de geleia real em cápsulas ou um placebo diariamente por oito semanas. O score total de sintomas de menopausa foi significativamente reduzido no grupo da geleia real, mas não no grupo placebo. A escala constituía em 11 sintomas de menopausa, incluindo humor depressivo, irritabilidade, palpitações cardíacas, ondas de calor, ansiedade, problemas sexuais, distúrbios do sono, problemas na bexiga, disfunção muscular e secura vaginal.

Além da menopausa, a geleia real demonstrou efeitos benéficos significativos em mulheres com Transtorno pré-menstrual (TPM). Em um estudo duplo-cego 110 estudantes de medicina com TPM, aquelas que tomaram uma cápsula de 1000 mg de geleia real por dia de maneira oral através de dois ciclos menstruais consecutivos demonstrou uma redução no score de sintomas de TPM de 23,17 para 11,42, enquanto o grupo placebo mudou de 21,48 para 20,27. Os sintomas que melhoraram incluíram fadiga, irritabilidade, tensão, sensibilidade nos seios e inchaço.2,26

Outra área de interesse é o efeito de redução do colesterol da geléia real. Em abril de 2021, 11 estudos com humanos forma publicados, 8 deles era duplo-cegos.2,27Dos oito estudos duplo-cegos, quatro usaram uma preparação oral e uma forma injetável foi usada em outros quatro estudos. Resultados de uma análise detalhada dos estudos duplo-cegos indicaram que com as preparações orais, apesar dos problemas no desenho dos estudos e falta de padronização com as preparações comerciais utilizadas, a geleia real pode reduzir o colesterol total em cerca de 14% em pacientes com elevações severas a moderadas nos níveis sanguíneos de colesterol (valores iniciais indo de 210 a 325 mg/dl). Resultados ainda melhores podem ser notados ao usar produtos de geleia real de maior qualidade.

Recomendações de Dosagem

  • Pólen de abelhas: geralmente de 1 a 3 colheres de sopa por dia
  • Própolis: 100 a 500 mg três vezes ao dia
  • Geleia real: 250 a 500 mg de geleia real de uma a das vezes ao dia

Efeitos colaterais

Reações alérgicas são o efeito colateral mais comum de produtos de abelhas. Fora isso, nenhum efeito colateral significativo é produzido. caso exista alguma alergia conhecida a coniferas e álamo, o uso de propolis deve ser evitado já que pode produzir reações alergicas mais serias.28 Nenhuma interação medicamentosa é conhecida.

Referências:

  1. Burdock G.A..  Review of the biological properties and toxicity of bee propolis (propolis).  Food Chem Toxicol  (1998) 36  347–363.
  2. Ahmad S.; Campos M.G.; Fratini F.; et al. New Insights into the Biological and Pharmaceutical Properties of Royal Jelly. Int J Mol Sci. (2020) 21(2)  382.
  3. Qian B.; Zang X.; Liu X..  Effects of bee pollen on lipid peroxides and immune response in aging and malnourished mice.  Zhongguo Zhong Yao Za Zhi  (1990) 15  301–303. 319
  4. Xie Y.; Wan B.; Li W..  Effect of bee pollen on maternal nutrition and fetal growth.  Hua Xi Yi Ke Da Xue Xue Bao  (1994) 25  434–437. [Chinese].
  5. Ceglecka M.; Wojcicki J.; Gonet B.; et al. Effect of pollen extracts on prolonged poisoning of rats with organic solvents.  Phytother Res  (1991) 5  245–249.
  6. Szanto E.; Gruber D.; Sator M.; et al. Placebo-controlled study of melbrosia in treatment of climacteric symptoms.  Wien Med Wochenschr  (1994) 144  130–133.
  7. Einer-Jensen N.; Zhao J.; Andersen K.P.; et al. Cimicifuga and Melbrosia lack oestrogenic effects in mice and rats.  Maturitas  (1996) 25  149–153.
  8. Tosi B.; Donini A.; Romagnoli C.; et al. Antimicrobial activity of some commercial extracts of propolis prepared with different solvents.  Phytother Res  (1996) 10  335–336.
  9. Dobrowolski J.W.; Vohora S.B.; Sharma K.; et al. Antibacterial, antifungal, antiamebic, antiinflammatory and antipyretic studies on propolis bee products.  J Ethnopharmacol  (1991) 35  77–82.
  10. Tichy J.; Novak J..  Detection of antimicrobials in bee products with activity against viridans streptococci.  J Altern Complement Med  (2000) 6  383–389.
  11. Bratter C.; Tregel M.; Liebenthal C.; et al. Prophylactic effectiveness of propolis for immunostimulation: a clinical pilot study.  Forsch Komplementarmed  (1999) 6  256–260.
  12. Crisan I.; Zaharia C.N.; Popovici F.; et al. Natural propolis extract NIVCRISOL in the treatment of acute and chronic rhinopharyngitis in children.  Rom J Virol  (1995) 46  115–133.
  13. Pascual C.; Gonzalez R.; Torricella R.G..  Scavenging action of propolis extract against oxygen radicals.  J Ethnopharmacol  (1994) 41  9–13.
  14. Lin S.C.; Lin Y.H.; Chen C.F.; et al. The hepatoprotective and therapeutic effects of propolis ethanol extract on chronic alcohol-induced liver injuries.  Am J Chin Med  (1997) 25  325–332.
  15. Khayyal M.T.; El-Ghazaly M.A.; El-Khatib A.S..  Mechanisms involved in the antiinflammatory effect of propolis extract.  Drugs Exp Clin Res  (1993) 19  197–203.
  16. Mirzoeva O.K.; Calder P.C..  The effect of propolis and its components on eicosanoid production during the inflammatory response.  Prostaglandins Leukot Essent Fatty Acids  (1996) 55  441–449.
  17. Choi Y.H.; Lee W.Y.; Nam S.Y.; et al. Apoptosis induced by propolis in human hepatocellular carcinoma cell line.  Int J Mol Med  (1999) 4  29–32.
  18. Szmeja Z.; Kulczynski B.; Sosnowski Z.; et al. Therapeutic value of flavonoids in Rhinovirus infections.  Otolaryngol Pol  (1989) 43  180–184. [Polish].
  19. Esposito C.; Garzarella E. U.; Bocchino B.; et al. A standardized polyphenol mixture extracted from poplar-type propolis for remission of symptoms of uncomplicated upper respiratory tract infection (URTI): A monocentric, randomized, double-blind, placebo-controlled clinical trial. Phytomedicine (2021) 80 153368.
  20. Miyares C.; Hollands I.; Castaneda C.; et al. Clinical trial with a preparation based on propolis “propolisina” in human giardiasis.  Acta Gastroenterol Latinoam  (1988) 18  195–201: [Spanish].
  21. Dalben-Dota K.F.; Faria M.G.; Bruschi M.L.; et al. Antifungal activity of propolis extract against yeasts isolated from vaginal exudates.  J Altern Complement Med  (2010) 16  285–290.
  22. Bălan A.; Moga MA; Dima L.; Toma S.; Elena Neculau A.; Anastasiu V.V. Royal Jelly-A Traditional and Natural Remedy for Postmenopausal Symptoms and Aging-Related Pathologies. Molecules.