As suas preferências desta sessão foram atualizadas. Para alterar permanentemente as configurações da sua conta, acesse
Lembre-se de que é possível atualizar o país ou o idioma de sua preferência a qualquer momento em
checkoutarrow
BR
beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements

5 suplementos nootrópicos para aumentar seu poder cognitivo

Por Dr. Gabriel Espinoza

Neste artigo:


O cérebro é o órgão mais avançado do corpo humano. Ele consegue receber e processar informações, fazer bilhões de cálculos por segundo, controlar movimentos e funções corporais diárias sem pensar ativamente neles, além de armazenar uma vida toda de memórias, algo que nenhum computador atual é capaz de fazer.

Os suplementos nootrópicos são aqueles que têm o potencial de aumentar o poder cognitivo em pessoas saudáveis. A saúde cerebral é um conceito multidimensional, referindo-se à capacidade de se concentrar, lembrar, aprender, brincar e manter uma mente limpa e ativa.

Esses suplementos podem dar suporte a uma função cognitiva saudável, à memória, criatividade e motivação. Em todas as etapas da vida, é importante cuidar do único supercomputador que seu cérebro tem, e os nootrópicos podem ajudar nos aspectos tanto do software como do hardware de seu cérebro. Confira cinco suplementos que podem aumentar o desempenho de seu cérebro.

1. Óleo de peixe

óleo de peixe vem dos tecidos de peixes oleosos. Os principais componentes do óleo de peixe que trazem benefícios à saúde incluem ácidos graxos ômega-3 como o ácido eicosapentaenoico (EPA) e o ácido docosa-hexaenoico (DHA). Os ácidos graxos ômega-3 dão suporte para o crescimento, desenvolvimento e funcionamento normais do cérebro e minimizam a tensão física. Esses óleos são classificados como essenciais porque precisamos deles para o nosso desenvolvimento e, como o corpo não consegue produzi-los, precisamos obtê-los pela alimentação.

Ácidos graxos ômega-3 têm o potencial de auxiliar durante toda a vida útil de um cérebro. Em crianças em idade escolar e adolescentes, a suplementação com EPA e DHA pode ajudar na concentração, ortografia, atenção e hiperatividade. Em jovens adultos, o EPA e o DHA podem ajudar no controle do bem-estar emocional. Na meia-idade, o consumo diário de 2.200 mg de ácidos graxos ômega-3 teve efeitos positivos, ajudando as pessoas a se lembrarem de onde colocaram objetos que estavam perdidos.

Em adultos mais velhos, o consumo de 2.400 mg de EPA e DHA pode ajudar a melhorar a memória operacional. E o mais importante é que, em meio a essas conclusões, o consumo de ácidos graxos ômega-3 resultou em pessoas com um maior teor de fluidez da membrana, com células cerebrais intactas na membrana, o que permite uma melhor transmissão dos impulsos cerebrais. Consumir ômega-3 (que também são antioxidantes) pode ajudar a reduzir o estresse oxidativo pelo qual muitas de nossas células, em especial as do cérebro, passam durante sua vida útil, o que se entende ser o motivo de uma variedade de problemas que afetam a saúde cerebral.

2. Resveratrol

Resveratrol é um tipo de polifenol presente em uvas e no vinho tinto. Ele tem poderosas propriedades antioxidantes, além de efeitos anti-inflamatórios. O resveratrol protege as plantas dos raios UV, de estressores químicos e de infecções microbianas. Pesquisadores identificaram altos níveis de inflamação e de espécies reativas de oxigênio em pessoas com problemas que afetam a memória. Devido a suas propriedades anti-inflamatórias, o resveratrol inibe as vias na cascata inflamatória do corpo e, por isso, o consumo regular de produtos com resveratrol pode ajudar a prevenir o declínio cognitivo.

Em uma revisão sistemática feita por Cicero, Ruscica e Banach, os pesquisadores concluíram que o consumo regular de resveratrol por 6 a 12 semanas resultou em melhora na perfusão cerebral, a capacidade do cérebro de receber sangue suficiente para obter os nutrientes e o oxigênio necessários para funcionar em capacidade máxima. Uma perfusão cerebral prejudicada devido a placas nas artérias que levam sangue ao cérebro já foi associada ao declínio cognitivo rápido e à demência. 

Além disso, os pesquisadores observaram que o consumo de resveratrol por 26 semanas levou a um melhor desempenho cognitivo em comparação a pessoas que tomaram um placebo. Pesquisadores também descobriram que o consumo de resveratrol ajudou na conectividade entre o cérebro e outras partes e reforçou a capacidade do cérebro de utilizar glicose, sua principal fonte de energia.

3. Ginkgo biloba

extrato de Ginkgo biloba, derivado das folhas secas da árvore de mesmo nome, vem sendo utilizado há cerca de 5 mil anos na medicina tradicional chinesa para tratar várias enfermidades. Estudos mostram que o consumo diário de 120 mg de extrato de Ginkgo biloba, por pessoas saudáveis, pode ajudar a reforçar a memória operacional e a capacidade de realizar tarefas.

As propriedades antioxidantes do extrato de Ginkgo biloba, que podem ter efeitos neuroprotetores, são um dos fatores responsáveis pelo auxílio que ele fornece para a melhora da memória. É possível, ainda, que o extrato de Ginkgo biloba ajude a aumentar a liberação de neurotransmissores no cérebro, os quais atuam para enviar informações e sinais para diferentes partes do cérebro.

De acordo com uma revisão publicada no periódico JAMA, concluiu-se que a Ginkgo biloba protege os neurônios cerebrais do estresse oxidativo e reduz os danos às células do cérebro. Tendo em vista tais conclusões em modelos animais, recomenda-se que médicos considerem a plausibilidade da Ginkgo biloba para ajudar a prevenir o agravamento do declínio cognitivo em pessoas acometidas pelo problema.

4. Cafeína

cafeína — um dos produtos mais consumidos no mundo (principalmente em forma de café) — representa a segunda commodity mais comercializada no planeta, perdendo apenas para o petróleo. Quem consome cafeína pode perceber que um dos principais benefícios é se sentir mais alerta, estimulado, ágil, vigilante e, talvez, até mais inteligente. A cafeína dá um impulso de energia às pessoas porque tem uma estrutura semelhante à molécula inibidora que sinaliza repouso aos receptores no corpo. Quando se junta a esses receptores, a cafeína inibe o estado de repouso dos neurônios cerebrais e de outros sistemas reguladores — assim, nos sentimos despertos e agitados.

Tenha cuidado para não consumir cafeína em excesso, ou seja, mais de 400 mg por dia, equivalentes a quatro xícaras de café. Em excesso, você poderá se sentir tenso, passar noites sem dormir e até ter uma aceleração nos batimentos cardíacos, o que chamamos de arritmia. Embora não seja possível obter a dose diária pelo café, a cafeína também pode ser encontrada em chocolateschásbebidas energéticas e comprimidos. Assim como em tudo, a moderação é o segredo para obter todos os benefícios da cafeína à saúde.

Não troque o sono pela cafeína, pois deixar de dormir pode causar danos mais sérios que os benefícios da cafeína. Esteja atento ao que você coloca em seu café ou chá, pois acrescentar muito açúcar ou creme, ou consumir cafeína através de refrigerantes adoçados com açúcar, pode reduzir a potência dos benefícios. Evite consumir bebidas energéticas em excesso, pois elas tendem a conter mais açúcar que a média diária recomendada.

5. Creatina

creatina ocorre naturalmente no corpo com a reação de aminoácidos. Ela ganhou popularidade quando atletas começaram a utilizá-la para melhorar o desempenho, pois ela estimula o fornecimento de energia para os músculos. Estudos in vitro mostram que a creatina pode ajudar quando aumenta a demanda energética das células cerebrais e repor a fonte de energia da célula, o trifosfato de adenosina (ATP).

Demonstrou-se que pessoas saudáveis que tomaram suplemento com creatina tiveram benefícios na memória de curto prazo e nas funções executivas, no que diz respeito ao raciocínio. Outros tipos de benefícios à cognição que se atribuem à creatina incluem efeitos positivos quanto a fadiga mental, tempo de reação e fluência em palavras. É importante notar que tais resultados foram obtidos com uma dosagem de 5 gramas de creatina por dia. Os níveis de creatina variam de pessoa para pessoa devido aos diferentes hábitos alimentares. Percebeu-se que os níveis de creatina no corpo aumentaram mais em pessoas vegetarianas após a suplementação, pois o nutriente se encontra principalmente em carnes e peixes.

Uma dieta saudável e reforçada por qualquer um dos suplementos nootrópicos listados acima poderá ajudar a atingir a meta de qualquer pessoa, seja um universitário, um atleta, alguém que está se empenhando muito para uma promoção no trabalho ou alguém que quer apenas se manter calmo nos momentos de estresse. Lembre-se de que estes suplementos não te farão ter superpoderes. Eles podem trazer benefícios ao realizar tarefas cotidianas ou te ajudar mais vezes a lembrar onde deixou suas chaves.

Antes de tentar reforçar suas capacidades cognitivas, certifique-se de que está dormindo o suficiente, tendo uma alimentação rica em nutrientes e se concentrando no controle do estresse e do bem-estar. Lembre-se: se você tomar uma xícara de chá ou café logo ao acordar, você já terá utilizado um agente nootrópico para começar seu dia. Portanto, se você estiver pensando em incluir outro suplemento em sua rotina de saúde diária, não deixe de consultar um profissional de saúde e de introduzir um suplemento de cada vez.

Referências:

  1. Avgerinos KI, Spyrou N, Bougioukas KI, Kapogiannis D. Effects of creatine supplementation on cognitive function of healthy individuals: A systematic review of randomized controlled trials. Exp Gerontol. 2018;108:166-173. doi:10.1016/j.exger.2018.04.013
  2. Cicero AFG, Ruscica M, Banach M. Resveratrol and cognitive decline: a clinician perspective. Arch Med Sci. 2019;15(4):936-943. doi:10.5114/aoms.2019.85463
  3. Derbyshire E. Brain Health across the Lifespan: A Systematic Review on the Role of Omega-3 Fatty Acid Supplements. Nutrients. 2018;10(8):1094. Published 2018 Aug 15. doi:10.3390/nu10081094
  4. Oken BS, Storzbach DM, Kaye JA. The Efficacy of Ginkgo biloba on Cognitive Function in Alzheimer Disease. Arch Neurol. 1998;55(11):1409–1415. doi:10.1001/archneur.55.11.1409
  5. Silberstein RB, Pipingas A, Song J, Camfield DA, Nathan PJ, Stough C. Examining brain-cognition effects of ginkgo biloba extract: brain activation in the left temporal and left prefrontal cortex in an object working memory task. Evid Based Complement Alternat Med. 2011;2011:164139. doi:10.1155/2011/164139

Artigos Relacionados

Ver tudo

Bem-estar

Um Guia de 4 Passos Feito Por Uma Médica Para Avaliar a Qualidade dos Suplementos

Bem-estar

4 benefícios dos peptídeos de colágeno para o seu corpo

Bem-estar

Rejuvenesça o Seu Cérebro