header_search header_signed-out header_signed-in header_cart sharefilled circlex circleexclamation iherbleaf
checkoutarrow
BR
O produto foi adicionado ao carrinho
Total:
Desconto:
Junto:
Quantidade:
Cart Total:
Finalizar
Clientes também compraram:
Ajuda 24 horas
beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements
Beleza

Como combater a acne naturalmente

24 Janeiro 2019

por Eric Madrid MD

Se existe um problema médico que acomete adolescentes e jovens adultos mais do que qualquer outro, esta condição é a acne vulgaris, o termo médico para acne ou, simplesmente, ter muitas espinhas. A acne é causada por excesso de sebo - uma secreção oleosa produzida pelas glândulas sebáceas da pele - e células mortas da pele que bloqueiam os folículos capilares. O resultado são “surtos” que aparecem normalmente no rosto, mas também podem surgir no pescoço, costas, peito e ombros.  

Por que algumas pessoas sofrem de acne enquanto outras mantém uma pele limpa durante a puberdade e início da vida adulta? Há muitos motivos, mas a genética desempenha um grande papel juntamente com a expossoma - a soma da exposição ambiental da pessoa, incluindo nutrição, estilo de vida, condições ocupacionais, poluentes, medicamentos tomados, e clima.

Em geral, meninos tendem a ser mais afetados por acne do que meninas, mas a condição pode ser avassaladora para qualquer um que a enfrente. Níveis de testosterona elevados, como com os meninos durante a puberdade, podem ser culpados, enquanto a resistência à insulina e pré-diabetes também aumentam o risco. Embora meninos sejam mais afetados durante a adolescência, algumas mulheres são afetadas muito além da adolescência com a acne hormonal desencadeada pelo ciclo menstrual e condições como a síndrome dos ovários policísticos.  

Ainda que muitos casos de acne sejam tratados por clínicos gerais ou pediatras, às vezes os pacientes são encaminhados a um dermatologista para opções de tratamento mais agressivas, incluindo medicamentos tópicos e orais, como retinoides, ácidos, pílulas anticoncepcionais e antibióticos. Felizmente, também há algumas abordagens não medicamentosas que se podem tomar para diminuir a acne, não importando a sua idade.

Remover toxinas

Há algumas coisas que você pode fazer para ajudar a remover toxinas do seu corpo. Limpar sua dieta, evitar alimentos processados, remover mercúrio da boca, melhorar a saúde intestinal, curar o fígado e otimizar a função renal podem melhorar sua saúde geral, e, por fim, sua pele. O tabagismo também parece ser um fator de risco para acne, incluindo vaping.  

Dieta limpa

Estudos mostram que laticínios como o leite aumentam a produção de sebo ao estimularem o hormônio IGF-1 e, portanto, aumentando o risco de acne. Além disso, o alto consumo de alimentos com ácidos ômega-6, especificamente óleos vegetais refinados e óleos de soja usados em alimentos processados, são fatores de risco para acne. Alimentos ricos em açúcar também podem contribuir com a condição, então é aconselhado diminuir o consumo.

Focar em um plano de dieta bem equilibrada é fundamental. Algumas coisas a considerar:

  • O consumo de chocolate aumenta a probabilidade de acne.
  • Aumentar vegetais na dieta reduz a acne.
  • O consumo de leite de vaca aumenta o risco de acne.
  • Alimentos com níveis adequados de vitaminas A e E, e zinco podem ajudar a prevenir acne.

Adicionalmente, uma boa hidratação é fundamental para ajudar a remover toxinas do corpo, então certifique-se de estar tomando água o suficiente durante o dia.

Melhorar a saúde intestinal

Como muitas condições de saúde, a saúde intestinal desempenha um papel enorme na presença ou ausência de outras condições de saúde. Hipócrates afirmou há 2.400 anos que “todas as doenças começam nos intestinos”. Se a saúde intestinal não for excelente, os resultados podem se manifestar como condições de pele. Eu pessoalmente já vi casos de eczema, psoríase, urticárias e acne melhorarem quando os pacientes focam na saúde digestiva. Isso é obtido evitando alimentos aos quais a pessoa tem sensibilidade e aumentando as boas bactérias do intestino.

Nossos intestinos são a principal via de entrada das toxinas em nosso corpo. Pessoas com problemas intestinais, como síndrome de intestino irritável, diarreia crônica, constipação, inchaço, etc., frequentemente têm uma condição chamada Intestino Poroso. Uma barreira intestinal ruim resulta em absorção maior de produtos químicos e toxinas.

A saúde intestinal pode ser otimizada tomando probióticos e prebióticos de qualidade e ingerindo uma dieta rica em frutas e vegetais. Isso é imperativo para o desenvolvimento de um microbioma intestinal saudável, o que, por fim, ajudará a melhorar a saúde geral da pele.

Suplementos usados para acne

Ácidos graxos ômega -3

Ácidos graxos ômega-3 são conhecidos pelo óleo de peixe, mas também há outras fontes não animais deste ácido graxo essencial.  Consistindo principalmente de ácido eicosapentaenoico (EPA) e ácido docosahexaenóico (DHA), estes ácidos graxos são essenciais para os músculos, cérebro e saúde vascular. Um estudo em 2014 no Nutrition Journal mostrou que a maioria dos americanos e outras pessoas ao redor do mundo não consomem ácidos graxos essenciais o suficiente em sua dieta. Os adolescentes também não têm um consumo adequado. Estes importantes nutrientes podem ser encontrados em peixes e várias fontes alimentares, como avelãs, sementes de chia, linhaça, sementes de cânhamo, abacate e natto.

Os ácidos graxos ômega-3 são benéficos para redução da acne em doses de 2.000 mg por dia, de acordo com um estudo de 2014. Da mesma forma, um estudo em 2012 mostrou que ácidos graxos ômega -3 podem ajudar a reduzir a inflamação associada à acne moderada a severa. Dose sugerida: 2.000 mg por dia.

Zinco

Um estudo em 2013  no The Journal of Drugs in Dermatology demonstrou que zinco oral e tópico pode ser útil contra acne devido às suas propriedades antibacterianas e anti-inflamatórias. Além disso, um estudo em 2017 na revista Dermatologic Therapy afirmou que o “zinco é uma alternativa promissora a outros tratamentos da acne devido ao seu baixo custo, eficácia e falta de efeitos colaterais sistêmicos.”  Dose sugerida:  30 mg uma a três vezes por dia, por até 3 meses.

Niacina

Vitamina B3 pode ser encontrada em duas formas diferentes - a primeira é niacina (também conhecida como ácido nicotínico), e a segunda é niacinamida (também conhecida como nicotinamida). Em qualquer uma das formas, a vitamina B3 é precursora da nicotinamida adenina nucleotídeo (NAD), que desempenha um papel vital ao ajudar as mitocôndrias - a usina da célula - a criar energia.  

A niacina tópica parece ser útil para pessoas com problemas de pele, incluindo acne, de acordo com um estudo de 2014. Um estudo de 2017 na revista Dermatologic Therapy também confirmou a utilidade da niacinamida tópica em pessoas com acne.

Vitamina C

Vitamina C é um antioxidante potente com muitos benefícios à saúde. A vitamina C tópica pode ser benéfica na prevenção e tratamento da acne, de acordo com o estudo de 2005 no International Journal of Cosmetic Science.  Dose sugerida: Como indicado no rótulo.

Vitamina D

Na minha clínica médica no sul da Califórnia, um lugar onde temos céus azuis em mais de 300 dias por ano, quatro em cinco (80 por cento) dos meus pacientes têm deficiência clínica de vitamina D, definida por um nível sanguíneo de 30 ng/ml (75 nmol/L) ou menos que isso. O motivo por isso é que menos pessoas passam os 15 a 20 minutos indicados por dia tomando sol, permitindo que seu rosto, braços e pernas sejam expostos à luz ultravioleta. Até 90 por cento das pessoas no mundo todo são deficientes.

Um estudo em 2015 mostrou que baixos níveis de vitamina D estavam associados a aumento da acne, enquanto um estudo de 2016concluiu que a “deficiência de vitamina D era mais frequente em pacientes com acne, e os níveis plasmáticos de 25(OH)D estavam inversamente correlacionados com a severidade da acne, especialmente em pacientes com lesões inflamatórias”. Porém, um estudo em 2018 mostrou resultados conflitantes. Mais estudos são necessários. Dose sugerida: 2.000-5.000 UI por dia.

NAC

N-Acetil Cisteína (NAC) é um suplemento nutricional. Quando presente em quantidades adequadas, ajuda a proteger o fígado das toxinas, como acetaminofeno (paracetamol), álcool e outros produtos químicos ambientais. A NAC funciona ao ajudar o corpo a construir níveis intracelulares de glutationa, um potente antioxidante. Portanto, desempenha um papel importante ao ajudar a eliminar toxinas do fígado, usando a via fase 2. Um estudo em 2012 mostrou que NAC tópica pode ajudar a reduzir a acne. Dose sugerida: 500 a 1.000 mg por dia.

Vitamina E

De acordo com estudos, vitamina E, quando tomada em conjunto com zinco e lactoferrina, reduz a acne. Estudos também mostram que baixos níveis de vitamina E parecem ser mais comuns em pessoas com acne. A vitamina solúvel em gordura é frequentemente usada topicamente para ajudar na aparência da pele. Dose sugerida: Como indicado no rótulo.

Probióticos

Estudos mostraram que um intestino poroso, ou interrupção na diversidade das bactérias intestinais, aumenta não só a inflamação sistêmica, mas também o risco de acne. O uso de antibióticos ou antiácidos, além de uma dieta ruim, pode afetar negativamente as bactérias intestinais, resultando em aumento da inflamação, como medido pela PCR. De acordo com estudos, otimizar o microbioma intestinal pode ajudar a reverter a acne. Alimentos de cultura, como natto, sauerkraut, kefir e kombuchá podem ajudar. Dose sugerida: Suplemento probiótico 5 bilhões a 60 bilhões de unidades por dia

Outros suplementos que podem ser úteis incluem ácido pantotênico, vitamina A, selênio e possivelmente, vitamina B6.

Uma abordagem holística à acne

Prevenir e tratar a acne pode ser complexo. Porém, uma abordagem holística é necessária para atingir o sucesso. Mudanças na dieta são fundamentais, e a eliminação de toxinas também é útil. Os medicamentos podem ser eficientes, porém, recomenda-se que sejam usados pelo menor período de tempo possível, especialmente antibióticos orais. Melhorar a nutrição e uma vida saudável é a chave.

Referências:

  1. Capitanio B, Sinagra JL, Ottaviani M, Bordignon V, Amantea A, Picardo M. Acne and smoking. Dermatoendocrinol. 2009;1(3):129-35.
  2. Pol Merkur Lekarski. 2017 Oct 23;43(256):186-189.
  3. Cutis. 2011 Aug;88(2):84-91. (Alimentos ricos em açúcar e acne)
  4. Clark AK, Haas KN, Sivamani RK. Edible Plants and Their Influence on the Gut Microbiome and Acne. Int J Mol Sci. 2017;18(5):1070. Published 2017 May 17. doi:10.3390/ijms18051070
  5. Int J Dermatol. 2016 May;55(5):587-91. doi: 10.1111/ijd.13188. Epub 2015 Dec 29.
  6. Clin Nutr. 2018 May 8. pii: S0261-5614(18)30166-3. doi: 10.1016/j.clnu.2018.04.015 (milk and acne)
  7. Cutan Ocul Toxicol. 2014 Jun;33(2):99-102. doi: 10.3109/15569527.2013.808656. Epub 2013 Jul 5.
  8. Papanikolaou Y, Brooks J, Reider C, Fulgoni VL. U.S. adults are not meeting recommended levels for fish and omega-3 fatty acid intake: results of an analysis using observational data from NHANES 2003–2008. Nutrition Journal. 2014;13:31. doi:10.1186/1475-2891-13-31.
  9. Acta Derm Venereol. 2014 Sep;94(5):521-5. doi: 10.2340/00015555-1802. (ômega-3 e acne)
  10. Khayef G, Young J, Burns-Whitmore B, Spalding T. Effects of fish oil supplementation on inflammatory acne. Lipids Health Dis. 2012;11:165. Published 2012 Dec 3. doi:10.1186/1476-511X-11-165
  11. J Drugs Dermatol. 2013 May;12(5):542-5.
  12. Dermatol Ther. 2017 Nov 28. doi: 10.1111/dth.12576. [Epub antes da impressão]
  13. J Cosmet Dermatol. 2014 Dec;13(4):324-8. doi: 10.1111/jocd.12119.  (niacina e acne)
  14. Dermatologic Therapy. 2017 Sep;30(5). doi: 10.1111/dth.12481. Epub 2017 Feb 21.
  15. Int J Cosmet Sci. 2005 Jun;27(3):171-6. doi: 10.1111/j.1467-2494.2005.00263.x.
  16. Toossi P, Azizian Z, Yavari H, Fakhim TH, Amini SH, Enamzade R. Serum 25-hydroxy vitamin D levels in patients with acne vulgaris and its association with disease severity. Clin Cases Miner Bone Metab. 2015;12(3):238-42.
  17. Lim SK, Ha JM, Lee YH, et al. Comparison of Vitamin D Levels in Patients with and without Acne: A Case-Control Study Combined with a Randomized Controlled Trial. PLoS One. 2016;11(8):e0161162. Published 2016 Aug 25. doi:10.1371/journal.pone.0161162
  18. Al-Taiar A, AlKhabbaz M, Rahman A, Al-Sabah R, Shaban L, Akhtar S. Plasma 25-Hydroxy Vitamin D is not Associated with Acne Vulgaris. Nutrients. 2018;10(10):1525. Published 2018 Oct 17. doi:10.3390/nu10101525
  19. Fundam Clin Pharmacol. 2018 Nov 24. doi: 10.1111/fcp.12437. (NAC e acetaminofeno)
  20. Skinmed. 2012 Dec;10(6):348-51. (NAC tópica e acne)
  21. Int J Dermatol. 2017 Jun;56(6):686-690. doi: 10.1111/ijd.13607. Epub 2017 Mar 30.
  22. Cutan Ocul Toxicol. 2014 Jun;33(2):99-102. doi: 10.3109/15569527.2013.808656. Epub 2013 Jul 5.
  23. O'Neill AM, Gallo RL. Host-microbiome interactions and recent progress into understanding the biology of acne vulgaris. Microbiome. 2018;6(1):177. Published 2018 Oct 2. doi:10.1186/s40168-018-0558-5

Artigos Relacionados

Ver tudo

Beleza

Biotina: essencial para o cabelo e muito mais

Beleza

Melhore sua pele com o sérum de retinol

Beleza

Sabonetes em barra vs sabonetes líquidos: por que as barras podem ser melhores