header_search header_signed-out header_signed-in header_cart sharefilled circlex circleexclamation iherbleaf
checkoutarrow
BR
O produto foi adicionado ao carrinho
Total:
Desconto:
Junto:
Quantidade:
Cart Total:
Finalizar
Clientes também compraram:
Ajuda 24 horas
beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements
Nutrição

Nutrição pré-natal: Suporte Nutricional Ideal Durante a Gravidez

18 Maio 2017

A Gravidez obviamente resulta em uma maior necessidade de vitaminas e minerais. A deficiência ou o excesso de qualquer nutriente ou de uma certa quantidade destes pode levar a defeitos congênitos e/ou complicações durante a gravidez para a mãe. O que a futura mãe deve fazer? Aqui estão algumas recomendações importantes para aumentar as chances de uma gravidez saudável.

  1. Consuma uma dieta altamente nutritiva que se foque em alimentos integrais, não processados.
  2. Coma de 2 a 3 porções por semana de peixes de águas frias (salmão, cavala, arenque, alabote, etc.) ou consuma um suplemento de óleo de peixe contendo EPA e DHA.
  3. Consuma um “multivitamínico e multi-minerais para pré-natal de espectro completo e de alta potência”.
  4. Tome também ferro se necessário.

Recomendação #1 - Tenha uma dieta altamente nutritiva

A importância de uma nutrição de alta qualidade durante a gravides é óbvia. A principal recomendação é focar em alimentos naturais, integrais. Fique longe de alimentos processados, especialmente aqueles que não tenham um valor nutricional real (ex.: alimentos sem qualidade). Além disso, leia os rótulos dos alimentos com cuidado e tente se afastar de alimentos que contenham ácidos graxos trans e óleos parcialmente hidrogenados incluindo margarina, gordura e a maioria dos alimentos processados.

Estudos demonstraram que quanto maior a ingestão de ácidos graxos trans, maior o risco de gerar um bebê prematuro. Estas gorduras interferem no desenvolvimento fetal, especialmente no cérebro. Outro tipo de alimento a ser evitado são carnes curadas e defumadas. Estes alimentos contém componentes (nitritos e nitratos) que parecem ser muito prejudiciais ao feto. Estudos envolvem dietas ricas em nitritos e nitratos durante a gravidez com taxas mais altas de câncer cerebral, diabetes e leucemia nos filhos.

Recomendação #2 - Aumentar a ingestão de ácidos graxos ômega-3

A segunda recomendação é comer de 2 a 3 porções por semana de peixes de águas frias (salmão, cavala, arenque, alabote, etc.) ou consumir um suplemento de óleo de peixe de alta qualidade como o Óleo de Salmão Selvagem do Alasca da Natural Factors para aumentar o nível de ácidos graxos ômega-3 disponíveis para o feto em formação. Um dos mais importantes ácidos graxos ômega-3 para o desenvolvimento fetal é o ácido docosahexaenóico (DHA). De fato, o DHA é essencial para o devido desenvolvimento do cérebro e dos olhos já que é o ácido graxo estrutural primário na massa cinzenta do cérebro e da retina dos olhos. Níveis adequados de DHA são importantes para todas as idades, mas é particularmente importante para mulheres grávidas e lactantes.

Ocorre um desenvolvimento significante do cérebro e dos olhos enquanto o feto ainda está no ventre e continua durante o primeiro ano após o nascimento. Crianças dependem de suas mães para fornecer DHA para o cérebro e olhos em desenvolvimento inicialmente através da placenta e em seguida através do leite materno. O DHA é o ácido graxo de cadeia longa mais abundante no leite materno e estudos demonstram que bebês que são amamentados tem vantagens no QI sobre bebês alimentados com fórmulas sem DHA. Porém, os níveis de DHA no leite materno das mulheres dos E.U.A estão entre os mais baixos do mundo. Aumentar os níveis de DHA deve ser uma meta primária para todas as mulheres grávidas ou lactantes.

Recomendação #3 - Tome uma fórmula multivitamínica e multi-minerais de alta potência

A descoberta que a suplementação com ácido fólico no início da gravidez pode reduzir a incidência de defeitos no tubo neural em quase 80% foi mencionada como uma das maiores descobertas da última parte do século XX. A evidência se tornou tão impressionante que a FDA finalmente teve que reverter sua posição inicial, reconhecer a associação e permitir os suplementos de ácido fólico e alimentos ricos em ácido fólico para alegar que “o consumo diário de ácido fólico por mulheres em idade fértil pode reduzir o risco de defeitos no tubo neural.”

O ácido fólico é apenas um dos muitos nutrientes essenciais. Mas e os outros? Eles são menos importantes que o ácido fólico? Claro que não! Uma deficiência em praticamente qualquer nutriente durante a gravidez terá sérias repercussões para a mãe e para o bebê. Além disso, níveis adequados de nutrientes chave como antioxidantes, cálcio, magnésio e outras vitaminas B podem ajudar a garantir uma gravidez e parto saudáveis prevenindo complicações da gravidez como a diabetes gestacional bem como a potencialmente perigosa condição de pré-eclâmpsia (também conhecida como toxemia da gravidez).

Apenas constatado, consumir um multivitamínico e multiminerais projetado especificamente para mulheres grávidas e lactantes faz um perfeito sentido. A única advertência é ter certeza de que o conteúdo de vitamina A é fornecido pelo betacaroteno ao invés de pela vitamina A. Não consuma mais de 5.000 UI de vitamina A por dia se estiver grávida a menos que fornecido na forma de betacaroteno ao invés de retinol.

Para fornecer os níveis ideais dos micronutrientes necessários para promover uma gravidez e um parto saudáveis, eu desenvolvi a Fórmula Pré-natal MultiStart. Além de fornecer os níveis ideais de vitaminas e minerais, esta fórmula inclui uma quantidade de componentes de apoio importantes incluindo concentrados de alimentos super verdes do suco de alfafa, spirulina e erva de trigo, bem como extratos de gengibre, raiz de dente-de-leão e folhas de framboesa vermelha. Estas ervas são usadas há muito tempo para promover uma gravidez saudável. 

O Gengibre é valoroso por sua clinicamente comprovada habilidade de reduzir a náusea e o vômito da gravidez;8 o extrato de raiz de dente-de-leão funciona para aliviar a carga no fígado promovendo a desintoxicação e a eliminação adequada dos hormônios aumentados produzidos durante a gravidez;9 e o extrato de folha de framboesa vermelha ajuda a fortalecer os vasos sanguíneos no útero e na placenta para ajudar a evitar quaisquer rupturas ou contrações prematuras.

Recomendação #4 - Tome também ferro se necessário

O aumento dramático da necessidade de ferro durante a gravidez normalmente não pode ser atendido apenas através da dieta. A suplementação é frequentemente necessária. Normalmente a quantidade de ferro contida em um múltiplo pré-natal é suficiente, mas se uma futura mãe desenvolver anemia ou tiver indícios de baixo armazenamento de ferro (ferritina no sangue é a melhor determinação), será necessária uma suplementação adicional.

Para deficiência de ferro durante a gravidez, uma mulher precisará consumir 30 mg adicionais de ferro duas vezes ao dia entre as refeições para uma melhor absorção. Se a recomendação resultar em desconforto abdominal, então podem ser consumidos 30 mg junto às refeições três vezes ao dia.

Comentários finais:

A gravidez carrega consigo uma tremenda responsabilidade. Não é suficiente evitar fatores que possam danificar o feto em desenvolvimento como fumo e álcool, durante a gravidez a devida nutrição é ainda mais crucial do que o normal. Eu estimulo todas as futuras mães a seguir as simples recomendações acima para dar aos seus bebês em desenvolvimento as melhores chances de se desenvolver em uma criança saudável.

Referências:

 

  1. Decsi T, Burus I, Molnar S, Minda H, Veitl V. Inverse association between trans isomeric and long-chain polyunsaturated fatty acids in cord blood lipids of full-term infants. Am J Clin Nutr 2001;74:364-8.
  2. Blot WJ, Henderson BE, Boice JD Jr. Childhood cancer in relation to cured meat intake: review of the epidemiological evidence. Nutr Cancer 1999;34:111-8.
  3. Allen KG, Harris MA. The role of n-3 fatty acids in gestation and parturition. Exp Biol Med 2001;226:498-506.
  4. Kulier R, de Onis M, Gulmezoglu AM, Villar J. Nutritional interventions for the prevention of maternal morbidity. Int J Gynaecol Obstet 1998;63:231-46.
  5. Bendich A. Micronutrients in women’s health and immune function. Nutrition 2001;17:858-67.
  6. Villar J, Belizan JM. Same nutrient, different hypotheses: disparities in trials of calcium supplementation during pregnancy. Am J Clin Nutr 2000;71(Suppl.5):1375S-9S.
  7. Bolisetty S, Naidoo D, Lui K, et al. Antenatal supplementation of antioxidant vitamins to reduce the oxidative stress at delivery–a pilot study. Early Hum Dev 2002;67:47-53.
  8. Vutyavanich T, Kraisarin T, Ruangsri R. Ginger for nausea and vomiting in pregnancy: randomized, double-masked, placebo-controlled trial. Obstet Gynecol 2001;97:577-82.
  9. Bohm K. Choleretic action of some medicinal plants. Arzneim Forsch 1959;9:376–378
  10. Bamford DS, Percival RC, Tothill AU. Raspberry leaf tea: A new aspect to an old problem. Br J Pharmacol 1970;40:161P-2P.
  11. Allen LH. Pregnancy and iron deficiency: unresolved issues. Nutr Rev 1997;55:91-1

Artigos Relacionados

Ver tudo

Nutrição

Aqueça-se no inverno com estes saborosos mix de temperos

Nutrição

Benefícios para a saúde da capsaicina dos alimentos picantes

Nutrição

Quatro receitas deliciosas de sopa vegana