header_search header_signed-out header_signed-in header_cart sharefilled circlex circleexclamation iherbleaf
checkoutarrow
BR
O produto foi adicionado ao carrinho
Total:
Desconto:
Junto:
Quantidade:
Cart Total:
Finalizar
Clientes também compraram:
Ajuda 24 horas
beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements
Condições

Uma abordagem natural à osteoporose

20 Novembro 2017

por Eric Madrid MD

Um bebê recém-nascido tem 280 ossos, e durante a infância a maioria destes ossos se funde, resultando em um total de 208 ossos em adultos.  Compostos por água (10-20%), minerais (70%), e colágeno (10%), os ossos são mais fortes quando uma pessoa tem entre 25 e 35 anos de idade. Mantê-los saudáveis é vital.

Prevenir os ossos de afinarem é fundamental para manter a saúde. Osteopenia e osteoporose são condições diagnosticadas por um médico quando a densidade do osso é mais fina do que o esperado para a idade da pessoa.  Para muitos, os ossos afinam quando a pessoa envelhece. Porém, há algumas coisas que podem ser feitas para garantir que os ossos permaneçam fortes e reduzam a chance de uma pessoa ter uma fratura.  

Os ossos têm mais funções no corpo humano do que se imagina. Aqui estão algumas coisas que eles fazem:

  • Armazenam as boas gorduras
  • Produzem leucócitos, que nos protegem de infecções
  • Produzem hemácias, também conhecidas como hemoglobina, que são necessárias para circular oxigênio pelo corpo
  • Armazenam minerais que o corpo precisa para as enzimas funcionarem
  • Fornecem suporte estrutural para o corpo
  • Fornecem mobilidade

Osteoporose

A osteoporose afeta mais de 75 milhões de pessoas no Japão, Europa e Estados Unidos, e estima-se que afete mais de 200 milhões de pessoas no mundo todo.  Antes da pessoa desenvolver osteoporose, ela tem uma condição chamada osteopenia, onde os ossos são mais finos do que o normal, mas não tão finos quanto na osteoporose.

Se a pessoa for considerada "em risco" de ossos finos, o médico pode solicitar um exame de densidade óssea, um tipo de radiografia que determina a densidade dos ossos. Um exame de densidade óssea é normalmente recomendado para certas pessoas:

Mulheres com 65 anos de idade ou mais

  • Mulheres na pós-menopausa com um dos seguintes fatores de risco: fraturas após a idade de 45 anos, uso de esteroides orais por mais de três meses, tabagismo, índice de massa corporal de 22 ou menos
  • Um homem ou mulher com uma condição que aumente o risco de osteoporose, como artrite reumatoide
  • Homens acima de 50 anos com um dos seguintes riscos: fratura não-traumática, baixa testosterona, achados de osteopenia em radiografias, hiperparatireoidismo

Pessoas com osteoporose estão em risco aumentado de fratura óssea. A mais comumente vista é a fratura de quadril, que ocorre frequentemente após uma queda acidental. Quase toda a semana na minha prática médica, eu atendo um paciente em nosso hospital local após uma fratura de quadril. Na maioria dos casos, o paciente perdeu o equilíbrio e caiu.   

Quando eu atendo um paciente, consulto um especialista em ossos (um cirurgião ortopédico), que realizará a cirurgia de substituição do quadril. O paciente normalmente fica no hospital por alguns dias antes de ser transferido para uma casa de reabilitação, onde receberá atendimento extra e treinamento de força usando seu novo quadril de titânio.     

Fraturas de quadril podem ser perigosas e alteram a vida. Estudos mostraram que qualquer número entre 14 e 48 por cento das pessoas com fratura de quadril estão em risco de morte dentro de um ano após o acidente. A importância de fortalecer os ossos da pessoa para ajudar a prevenir uma fratura não pode ser subestimada.   

Pessoas em risco de quedas frequentes devem considerar consultar um fisioterapeuta e uma "avaliação de segurança doméstica" por um profissional treinado. Não é raro uma pessoa cair ao tropeçar em um tapete enrolado ou acidentalmente tropeçar sobre um cão ou gato de estimação. Uma visão ruim ou a presença de catarata nos olhos também aumenta o risco de quedas.

Uma pessoa com evidência de osteoporose ou osteopenia deve conversar com seu médico para determinar se um exame de sangue é necessário para descartar outras condições. Um exame de sangue que meça a fosfatase alcalina pode ajudar a descartar doença de Paget, uma condição onde os ossos são mal formados e fracos. E também, um exame de sangue de cálcio , se estiver baixo, pode indicar má absorção ou baixo consumo deste mineral na dieta. Um exame de sangue com cálcio elevado pode indicar uma anormalidade hormonal (uma glândula paratireoide superativa), na qual o cálcio está sendo removido do osso.

Um nível de cálcio normal não elimina a necessidade de tomar um suplemento de cálcio.  Um exame de sangue da função renal, hemograma completo, níveis de magnésio, testosterona (homens) e estrogênio (mulheres), e exames da tireoide (TSH, T4 Livre, T3 Livre) também devem ser considerados se estiver buscando uma causa para ossos finos.

Fatores de risco para osteoporose:

  • As mulheres são mais afetadas do que os homens  
  • Mulheres de descendência europeia e asiática estão em maior risco do que as de descendência africana e hispânica
  • Mulheres com 65 anos de idade ou mais
  • Índice de massa corporal <22
  • Tabagismo ou histórico de consumo de tabaco
  • Histórico familiar de osteoporose
  • Síndrome metabólica
  • Diabetes
  • Hipotireoidismo, uma tireoide com baixo funcionamento
  • Consumo de refrigerantes
  • Medicamentos como esteroides orais, antidepressivos (SSRIs como fluoxetina, sertralina, celexa) e afinadores do sangue (warfarina)

Como prevenir a perda óssea

Há muitas dietas e mudanças no estilo de vida que uma pessoa pode fazer para ajudar a manter a saúde dos ossos.   Quanto mais proativa a pessoa for ao garantir uma nutrição adequada e permanecer ativa, mais saudáveis serão seus ossos.

Cálcio – Garantir que a dieta seja rica em frutas e vegetais com cálcio é importante para manter os ossos fortes.

Vitamina D –  Ajudar a força óssea é um dos muitos benefícios à saúde da vitamina D. (Leia mais sobre Benefícios da vitamina D à saúde) Exames de sangue de rotina devem ser realizados para garantir que quantidades adequadas estão sendo consumidas e/ou produzidas. Passar um tempo de qualidade ao ar livre na natureza também é uma forma benéfica de gerar vitamina D.

Magnésio – Um consumo adequado de alimentos ricos em magnésio, que incluem vegetais verdes, é fundamental. O magnésio trabalha junto com o cálcio para tornar os ossos fortes.

Exercícios de levantamento de peso – Realizar exercícios de levantamento de peso por no mínimo 150 minutos por semana é útil para manter os ossos fortes. Considere pelo menos 30 minutos por dia, cinco dias por semana.

Tai Chi – Um tipo de arte marcial popular na Ásia que mostrou ajudar pessoas com 65 anos ou mais a reduzirem o risco de queda em 50 por cento, de acordo com um estudo no Journal of the American Geriatrics Society.

Saúde intestinal – Consumir alimentos contendo culturas bacterianas desempenha um papel importante para manutenção de um microbioma intestinal saudável. Estes alimentos incluem sopas missô , iogurte, kefir e chucrute. Além disso, uma dieta rica em frutas e vegetais fornece probióticos, alimento para as bactérias do intestino, que ajuda a manter as boas bactérias.

Tratamento convencional:

Fármacos aprovados pela FDA para prevenir e tratar osteoporose incluem:

  • Bisfosfonatos (oral ou IV: alendronato, ibandronato, risedronato, pamidronato, ácido zoledrônico)
  • Spray nasal de calcitonina
  • Hormônio da paratireoide (Teriparatide)
  • Terapia com estrogênio/progesterona/testosterona - Se usar, considere usar uma substituição hormonal bioidêntica, que pode ser uma alternativa mais segura.
  • Agonistas/antagonistas do estrogênio (raloxifeno)

Bisfosfonatos são a principal classe de fármacos que podem ajudar a reverter a osteoporose ou osteopenia e reconstruir os ossos. Porém, alguns estudos sugerem que a qualidade dos ossos pode estar comprometida.

A FDA também aprovou uma droga intravenosa de bisfosfonato para osteoporose chamada ácido zoledrônico (Reclast/Zometa), que pode ser fornecida a cada dois anos por um custo de 1.200 dólares americanos. Ela é normalmente coberta pelos planos de saúde se a pessoa tiver muitos efeitos colaterais quando um bisfosfonato é tomado em forma de pílula.  Porém, estas drogas vêm acompanhadas de efeitos colaterais. Alguns pacientes podem desenvolver desconforto estomacal ou possivelmente dores mandibulares ou morte dos ossos da mandíbula (osteonecrose). A formulação intravenosa relatou causar sintomas semelhantes aos da gripe e, raramente, mesmo danos renais em algumas pessoas.  Epocrates Online, um banco de dados de prescrição de drogas para médicos, lista 23 efeitos colaterais possíveis ao tomar um medicamento com bisfosfonatos.

Efeitos colaterais comuns dos bisfosfonatos:

  • Dor abdominal
  • Refluxo ácido
  • Náuseas
  • Desconforto estomacal (dispepsia)
  • Constipação
  • Diarreia
  • Dores articulares
  • Gases (flatulência)

Efeitos colaterais sérios:

  • Dificuldade de deglutição (disfagia)
  • Inflamação do esôfago (esofagite)
  • Úlcera esofágica
  • Perfuração esofágica
  • Cicatrizes esofágicas
  • Úlcera estomacal
  • Reação de hipersensibilidade 
  • Inchaço no corpo todo (angioedema)
  • Reações de pele, severas
  • Baixo nível de cálcio no sangue (hipocalcemia)
  • Inchaço ocular (uveíte, esclerite)
  • Osteonecrose mandibular (morte do osso da mandíbula)
  • Dor musculoesquelética, severa

Devido a estes efeitos colaterais, muitos escolhem uma abordagem natural, pelo menos inicialmente. Mesmo que eu frequentemente prescreva estes medicamentos para osteoporose e osteopenia, muitos dos meus pacientes frequentemente consideram pelo menos tentar uma terapia alternativa primeiro. Na maioria dos casos, isso é muito apropriado.

Terapias alternativas:

  • Caldo de ossos – Sopa de caldo de ossos e pó de caldo de ossos são excelentes adições ao regime de suplementos da pessoa. Caldo de ossos é uma boa fonte de aminoácidos, colágeno tipo 2, glucosamina, condroitina e ácido hialurônico,  todos importantes para a saúde óssea.
  • Colágeno –  Um estudo em 2017 mostrou que consumir proteínas extras pode ajudar a prevenir fraturas do quadril e manter os ossos fortes.  Colágeno em pó é uma fonte excelente de proteínas construtoras dos ossos.
  • Probióticos – Um microbioma intestinal saudável ajuda a otimizar a absorção de vitaminas e minerais, que acaba ajudando a melhorar a saúde dos ossos. Estudos em animais mostraram melhorias na densidade óssea, enquanto estudos em humanos mostraram que os ossos são menos prováveis de "afinar" na presença de probióticos que contenham cepas das bactérias Lactobacillus e Bifidobacteria.  
  • Vitamina C – Importante para a formação de colágeno nos ossos. A dose recomendada é 500 a 1000 mg por dia.
  • Vitamina D – Deve ser tomada diariamente. A vitamina D ajuda a garantir que o cálcio e o magnésio sejam adequadamente absorvidos.  A dose recomendada de vitamina D varia de 1.000 UI a 5.000 UI por dia.
  • Cálcio –  Um suplemento de cálcio deve ser considerado, 500 mg a 1.200 mg por dia é aconselhado.
  • Magnésio Quelato de magnésio (aspartato de magnésio, citrato de magnésio, malato de magnésio) deve ser tomado diariamente, 125 mg a 500 mg. Se você desenvolver fezes soltas, reduza a dose.
  • Vitamina K2- Esta vitamina deve ser tomada regularmente, pelo menos 45 mcg por dia. Se estiver tomando Warfarina (Coumadin), sua dose precisará ser ajustada. Consulte seu médico.
  • Estrôncio –  Um mineral traço que ajuda a aumentar a densidade óssea em homens e mulheres, de acordo com estudos. Até 2.000 mg por dia devem ser considerados.
  • Boro – Um mineral traço. Tome 3-9 mg por dia. Esta quantidade normalmente está presente em um multivitamínico de qualidade.
  • Sílica – 5 a 10 mg por dia, útil para a saúde geral dos ossos.
  • Zinco – 10 mg por dia são aconselhados.

Há muitos suplementos para saúde óssea disponíveis que contém muitas das vitaminas e minerais acima.

Nutrição

  • Consuma uma dieta rica em vegetais verdes, ricos em cálcio, magnésio e vitamina K.  Eles incluem brócolis, repolho, espinafre, acelga, couve, etc.
  • Consuma uma dieta rica em alimentos contendo vitamina A, como cenouras, batata-doce, couve e muitas outras
  • Consuma uma dieta rica em alimentos de culturas, como iogurte, kefir, e sopa missô

Você pode melhorar a saúde dos seus ossos

A saúde óssea ideal é um aspecto importante da saúde geral de uma pessoa. Uma dieta saudável e bem equilibrada, além de exercícios regulares de levantamento de peso, desempenham um papel importante na prevenção e tratamento de osteopenia e osteoporose. Frequentemente, isso não é suficiente, e suplementos nutricionais que ajudam a garantir proteínas, vitaminas, e minerais adequados são necessários para a melhor força óssea.   Quando isso não é suficiente, medicamentos prescritos devem ser considerados.

Referências:

  1. Accessed October 8, 2017- https://en.wikipedia.org/wiki/Bone
  2. Osteoporosis Int. 2006 Dec;17(12):1726-33. Epub 2006 Sep 16.
  3. Schnell S, Friedman SM, Mendelson DA, Bingham KW, Kates SL. The 1-Year Mortality of Patients Treated in a Hip Fracture Program for Elders. Geriatric Orthopaedic Surgery & Rehabilitation. 2010;1(1):6-14. doi:10.1177/2151458510378105.
  4. J Am Geriatr Soc. 2017 Sep;65(9):2037-2043. doi: 10.1111/jgs.15008. Epub 2017 Jul 24.
  5. March 15, 2010 Family Practice News. In article entitles Risks of Long Term Bisphosphonate Use Unclear by Mary Ellen Schneider
  6. Dietary Protein Intake above the Current RDA and Bone Health: A Systematic Review and Meta-Analysis Taylor C. Wallace & Cara L. Frankenfeld Journal of the American College of Nutrition Vol. 36 , Iss. 6,2017
  7. S Jafarnejad et al. J Am Coll Nutr 36 (7), 497-506. 2017 Jun 19.  Effects of a Multispecies Probiotic Supplement on Bone Health in Osteopenic Postmenopausal Women: A Randomized, Double-Blind, Controlled Trial
  8. J Clin Endocrinol Metab. 2013 Feb;98(2):592-601. doi: 10.1210/jc.2012-3048. Epub 2013 Jan 22.
  9. Bone. 2009 Sep;45(3):460-5. doi: 10.1016/j.bone.2009.05.014. Epub 2009 May 21.
  10. JUGDAOHSINGH R. SILICON AND BONE HEALTH. The journal of nutrition, health & aging. 2007;11(2):99-110.

Artigos Relacionados

Ver tudo

Condições

Essas ervas, temperos e nozes podem ajudar a controlar a diabetes

Condições

15 formas de se manter saudável ao viajar com diabetes

Condições

Como viajar com hipertensão