beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements

6 Maneiras de Controlar Naturalmente a Doença de Hashimoto

Por Venus Ramos, MD

Neste artigo:


Se você tem problemas com fadiga ou ganho de peso inesperado, provavelmente já suspeitou de algum problema na tireoide. Na verdade, estes são somente alguns dos muitos sintomas que você pode apresentar se tem hipotireoidismo, o que significa que sua tireoide está menos ativa do que deveria.

Mas a sua tireoide pode não ser a origem dos seus sintomas. Estima-se que 90% das pessoas convencionalmente diagnosticadas com hipotireoidismo na verdade têm a doença de Hashimoto, também conhecida como tireoidite linfocítica crônica. Ela é uma doença autoimune, o que significa que o corpo ataca seus próprios tecidos por engano.

No caso da tireoidite de Hashimoto, o sistema imune infiltra e danifica a glândula tireoide, uma pequena glândula em formato de borboleta na parte da frente do pescoço. Especificamente, as células imunes produzem proteínas chamadas anticorpos, que capturam e neutralizam substâncias necessárias para a produção do hormônio da tireoide. Os baixos níveis de hormônios da tireoide que resultam disso levam ao desenvolvimento de uma ampla gama de sintomas possíveis.

Sinais e Sintomas da Doença de Hashimoto

Os sintomas podem ser brandos e difíceis de notar no início. Mas ao longo do tempo, eles se tornam progressivamente aparentes. Em geral, a doença envolve a destruição lenta e progressiva da glândula tireoide. Porém, pode haver períodos intermitentes nos quais os sintomas mudam, quando a tireoide parece recuperar sua função, até mesmo causando excesso de atividade da tireóide temporariamente.

  • Fadiga e lentidão
  • Ganho de peso sem explicação
  • Rosto inchado
  • Insônia
  • Esquecimento
  • Ansiedade e depressão
  • Pressão alta
  • Periodos de transpiração, perda de peso e irritabilidade
  • Dor de garganta
  • Aumento de tamanho da língua
  • Problemas para engolir
  • Inchaço na frente do pescoço
  • Acne
  • Erupções na pele
  • Dores de cabeça
  • Inchaço
  • Constipação
  • Pele seca e pálida
  • Unhas quebradiças
  • Queda de cabelo
  • Maior sensibilidade ao frio
  • Dor e rigidez nas articulações
  • Espasmos musculares
  • Rigidez e sensibilidade muscular
  • Colesterol alto
  • Infertilidade em mulheres
  • Sangramento menstrual excessivo ou prolongado

O que Faz com que o Sistema Imune Ataque a Tireóide?

Embora a causa exata seja desconhecida, fatores genéticos parecem ter um papel no desenvolvimento da doença de Hashimoto. Uma combinação de fatores como idade, sexo, e outros transtornos autoimunes ou endocrinos também podem contribuir. Embora não seja possível fazer muita coisa para mudar seus genes, existem ações que você pode tomar para remover possíveis gatilhos para respostas autoimunes. Esse é o segredo para controlar adequadamente a tireoidite de Hashimoto.

6 Maneiras de Controlar a Doença de Hashimoto Naturalmente

Medicamentos convencionais para a tireoide podem melhorar seus níveis de hormônio da tireóide e ajudar a aliviar os sintomas, mas não abordam o verdadeiro problema - a disfunção do seu sistema imune. Se você conseguir determinar quais os fatores são responsáveis pela resposta autoimune, então conseguirá controlar a doença naturalmente ao remover estes desencadeadores.

Veja seis áreas para abordar quando estiver tentando reduzir a resposta autoimune com soluções naturais:

1. Deficiências nutricionais

Muitos nutrientes são essenciais para o funcionamento normal da tireoide e do sistema imune. Quando você apresenta deficiência destes nutrientes, poderá estar mais suscetível a desenvolver condições autoimunes como a doença de Hashimoto.

  • Selênio é necessário para a conversão do T4 (a forma inativa do hormônio da tireoide) para T3 (a forma ativa). Sem selênio suficiente, o hormônio da tireoide continua inativo e os sintomas da Hashimoto podem se desenvolver. Além disso, estudos demonstraram que pacientes de Hashimoto que tomam selênio apresentam níveis reduzidos de anticorpos contra a tireoide. 200 mcg é uma dose inicial comum. Mas há uma janela pequena entre uma dose efetiva e uma dose tóxica. Então é prudente buscar orientação de um profissional de saúde para encontrar a dose certa para você.
  • Zinco: níveis baixos de zinco comprometem a produção de T3, pois o zinco também atua na conversão enzimática de T4 para T3. Sem zinco suficiente, seu hipotálamo também tem dificuldade em medir os níveis de hormônio da tireoide. Isso diminui a sua habilidade de sinalizar apropriadamente a produção de hormônios da tireoide quando os níveis ficam baixos. É recomendado tomar não mais do que 30 mg de zinco por dia, a não ser que você esteja tendo acompanhamento de um profissional de saúde que recomende uma dose maior.
  • A deficiência de vitamina D é associada com a presença de anticorpos contra a tireoide. Todos os pacientes com Hashimoto devem fazer uma checagem anual dos níveis de 25-hidroxi vitamina D. Estudos mostram que este nível deve estar entre 60-80 ng/ml para o funcionamento ideal do sistema imune e da tireoide. Para a suplementação, a vitamina D3 é uma opção melhor do que a D2 para melhorar seu nível de vitamina D. A dose inicial geralmente é entre 2000 e 5000 IU com ajustes conforme indicado após conferir os níveis depois de três meses.
  • O ferro tem um papel importante no processo de produção de hormônios da tireoide. Ele também é necessário para a conversão de T4 em T3. De modo a determinar se você realmente tem deficiência de ferro que requer suplementação, deverá fazer os seguintes testes: ferritina, ferro no sangue, saturação de transferrina, e capacidade total de ligação do ferro. Seu profissional de saúde pode ajudá-lo a interpretar os resultados e aconselhar sobre a dosagem de ferro.

Ao escolher um suplemento de ferro, note que o bis-glicinato ferroso é a forma que tende a ser mais absorvível e causar menos constipação do que outros comprimidos de ferro. Se você toma medicamentos para a tireoide, não ingira o suplemento de ferro dentro de duas horas perto de tomá-lo, já que o ferro pode interferir com a absorção do medicamento.

Você também pode aumentar seus níveis de ferro através do consumo alimentar de carne vermelha, aves, feijões, e vegetais folhosos verde-escuros. Mas saiba que o ferro de fontes vegetais não é tão facilmente absorvível quanto o derivado de animais. A vitamina C pode ajudar a aumentar a absorção de ferro neste caso.     

2. Reduzir o consumo de alimentos inflamatórios

Reduzir a quantidade de inflamação no corpo é o objetivo do plano de tratamento para a Hashimoto. Então, faz sentido remover da sua dieta estes alimentos que podem estar causando inflamação. Os alimentos que causam sensibilidade podem variar entre indivíduos, mas os seguintes alimentos tendem a ser os mais inflamatórios:

  • Gluten
  • Açúcar
  • Gorduras saturadas
  • Adoçantes e conservantes artificiais
  • Alguns componentes de laticínios (como lactose ou a proteína beta-caseína A1)
  • Óleos de soja, milho, girassol, semente de algodão, cártamo e óleos vegetais mistos

Seu profissional de saúde pode pedir um teste sanguíneo para alergias alimentares. Você pode usar estas informações para ficar longe de alimentos para os quais demonstrar sensibilidade. Porém, você também poderá escolher descobrir as sensibilidades alimentares por conta própria, através de uma dieta de eliminação/provocação (EPD).

Para fazer a EPD, você elimina uma categoria de alimentos da sua dieta por três semanas. Então adiciona novamente o alimento à sua dieta por três dias, avaliando sua reação. Procure por sintomas de sensibilidade alimentar, como inchaço, fadiga, dor de cabeça, dor nas articulações, fezes moles, constipação, insônia ou alterações na pele.

Categorias alimentares que você pode testar incluem:

  • Glúten
  • Milho
  • Outros grãos livres de glúten
  • Laticínios
  • Soja
  • Ovos
  • Nozes
  • Leguminosas
  • Mariscos
  • Nightshades (vegetais nightshade comuns incluem pimentas, batatas, tomate e berinjela)

Um método mais rápido para implementar uma EPD é eliminar todas estas categorias alimentares da sua dieta por três semanas. Então reintroduza cada categoria, uma por vez, a cada 3 dias. Caso não ocorram sintomas quando você reintroduzir um alimento, então poderá deixá-lo na sua dieta. Caso os sintomas apareçam, remova o alimento novamente.

3. Melhorar a saúde do intestino

Cerca de 70-80% das células do sistema imune residem no intestino. Então, quando você melhora o funcionamento do seu intestino, também otimiza seu funcionamento imune.

A maioria dos pacientes com Hashimoto apresentam níveis baixos de ácidos estomacais. O intestino não absorve nutrientes tão bem quando os níveis de ácidos estomacais estão baixos. Bactérias e outros micróbios também são capazes de sobreviver mais facilmente quando passam pelo estômago em um ambiente menos ácido. Isso permite que eles cheguem a outros locais do corpo causando uma infecção.

A Betaína HCl (hidroclorídrica) é um suplemento que pode ajudar a aumentar a quantidade de ácidos estomacais até níveis ótimos. Ele deve ser tomado com a enzima digestiva pepsina no final de uma refeição rica em proteínas. Isso também ajuda o corpo a degradar proteínas de maneira mais completa, de maneira que elas não ativem o sistema imune.

Existe um desequilíbrio entre bactérias boas e ruins no intestino de muitos pacientes com Hashimoto. Isso geralmente acontece pois a deficiência de um hormônio da tireoide diminui a mobilidade intestinal. Ao tomar um probiótico de qualidade, você pode restaurar as bactérias boas a um nível que mantenha as bactérias ruins sob controle.

4. Considere Infecções

Existem duas explicações possíveis para mostrar como uma infecção pode fazer com que o sistema imune ataque a tireoide:

  1. O mimetismo molecular envolve bactérias ou outros micróbios que se parecem muito com células da tireóide. Então quando o sistema imune produz anticorpos para eliminar micróbios infecciosos, os anticorpos também atacam as células da tireoide que são parecidas.
  2. O efeito bystander descreve a teoria de que os micróbios infiltram as células da tireóide. No processo de matar os micróbios, o sistema imune também ataca as células que os abrigam.

As infecções mais comumente correlacionadas à Hashimoto incluem Candida, Mycoplasma, e o vírus Epstein-Barr. Vale a pena procurar infecções em qualquer lugar do corpo e tratá-las adequadamente.

5. Aliviar o Estresse Adrenal

Quando você está sob estresse, sua glândula adrenal libera cortisol, o que sinaliza uma diminuição na produção do hormônio da tireoide. Então qualquer plano de tratamento para a doença de Hashimoto deve incluir atividades de controle de estresse como yoga, meditação, ou exercícios de respiração.

Adaptógenos são substâncias naturais que também ajudam você a lidar com o estresse de maneira apropriada. Um adaptógeno tem a habilidade de incentivar o sistema imune enfraquecido, bem como acalmar uma resposta que esteja ativa demais. Então ele ajuda o seu corpo a se adaptar ao estresse da maneira que for apropriada para normalizar as suas funções corporais. Exemplos de adaptógenos incluem reishi, eleuthero, Schisandra, e ashwagandha.

6. Evitar Toxinas

Existem muitos compostos químicos tóxicos no ambiente que podem gerar danos ao organismo de diversas maneiras - causando inflamação, perturbando seus hormônios e aumentando seu risco para respostas autoimunes. É difícil evitar todos eles. Veja algumas atitudes que você pode tomar para reduzir seu impacto sobre a sáude da tireoide:

  • Evitar compostos químicos que perturbam os hormônios. O Environmental Working Group (EWG) criou uma lista de compostos químicos que podem ter impacto negativo sobre o seu sistema endócrino. Evite produtos que incluam: chumbo, dioxinas, atrazina, ftalatos, perclorato, retardantes de fogo (éteres difenil polibrominados), arsênico, mercúrio, éteres glicólicos, químicos perfluorinados (PFCs), pesticidas organofosforados, bisfenol A (BPA ou substitutos do BPA como BPF e BPS).
  • Use produtos de cuidados pessoais limpos. Muitos produtos faciais e corporais apresentam compostos químicos danosos que podem perturbar seu sistema endócrino (hormonal). Olhe os ingredientes da lista e escolha produtos com composição o mais natural possível. Revise a lista de compostos químicos a evitar da EWG.
  • Limpe seu ar, principalmente se morar perto de uma área industrial. Considere instalar um filtro HEPA (filtro de ar particulado de alta eficiência) em sua casa e escritório.
  • Evite usar utensílios plásticos em contato direto com seus alimentos ou bebidas. O plástico geralmente contém BPA ou substitutos de BPA. Também tome cuidado com coisas enlatadas. As latas frequentemente contêm BPA (embora algumas empresas especifiquem o uso de latas livres de BPA).
  • Limpe a sua água. Instale um filtro de flúor para a sua água potável e em seu chuveiro.
  • Transpire! Suar é um dos melhores mecanismos de desintoxicação. Exercícios físicos ou até mesmo uma sauna podem ajudá-lo a ativar o processo de transpiração. É sempre aconselhável buscar aconselhamento de um profissional de saúde antes de mudar seu nível de atividades físicas ou experimentar a sauna, especialmente se tiver problemas de coração.

Enquanto alguns indivíduos podem não conseguir retirar totalmente seus medicamentos para a tireoide, certamente existem muitas maneiras naturais de controlar a doença de Hashimoto que podem ajudar você a se sentir melhor, ou ainda diminuir a dose dos seus medicamentos. Sempre que possível, encontre um profissional de saúde com experiência tanto em medicina natural quanto em medicina tradicional para condições da tireoide. Sempre consulte um profissional de saúde antes de mudar a dose do seu medicamento ou adicionar um suplemento.

Artigos Relacionados

Ver tudo

Condições

5 formas de saber se você tem deficiência de ferro

Condições

3 Suplementos para Reforçar a Saúde dos Pulmões

Condições

10 abordagens naturais para prevenir a catarata