checkoutarrow
BR
Ajuda 24 horas
beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements
Condições

15 formas de se manter saudável ao viajar com diabetes

26 Dezembro 2018

Por Eric Madrid MD

Conviver com a diabetes requer muitas mudanças no estilo de vida. Para manter níveis saudáveis de glicose, é importante que as pessoas com esse problema se exercitem regularmente e sigam uma dieta equilibrada, rica em frutas e vegetais, dentre outras mudanças no estilo de vida. Viajar, seja para trabalho ou lazer, é uma parte regular das vidas de muitas pessoas com diabetes, e isso pode ser um desafio – desde garantir uma nutrição apropriada na estrada ou no aeroporto até manter os suprimentos e medicamentos em ordem, a viagem é mais é algo mais exigente para pessoas com diabetes, e erros podem ter consequências sérias (e até que ameacem a vida). Porém, o planejamento cuidadoso e a atenção a detalhes podem lhe ajudar a se manter saudável e confortável durante sua próxima viagem.

Abaixo estão algumas dicas para viajar com diabetes. É muito importante seguir estas instruções e não deixar a sua saúde à mercê da sorte!

13 coisas a se considerar antes de viajar

Visite o médico antes de ir

Agende uma consulta com seu médico para se certificar de que você está com a saúde adequada antes de viajar. Confira se você está atualizado(a) com seus exames de sangue e oftalmológicos anuais. Se você sentiu alguma mudança na sua saúde desde sua última visita, é importante que o seu médico saiba. Ele(a) pode pedir exames de sangue, para se certificar de que suas doses de medicamento não precisam ser ajustadas antes de sua ida. Lembre-se que mudanças no fuso horário e feriados podem dificultar que você consiga entrar em contato com o médico enquanto estiver fora, então certifique-se de fazer qualquer pergunta e de lidar com qualquer preocupação durante a visita ao escritório do seu médico. E lembre-se exames de laboratório podem levar tempo – certifique-se de que sua consulta é feita algumas semanas antes da data da sua viagem.

Verifique se suas vacinas estão atualizadas

Dependendo do local para onde você está indo e da época do ano de sua viagem, certas vacinas podem ser recomendadas. Consulte seu médico para revisar seu histórico de vacinação e garantir que suas vacinas estejam atualizadas. Pessoas com diabetes tipos 1 e 2 podem ter um risco maior de contraírem algumas infecções e complicações de infecções, e o Centers for Disease Control (CDC) recomenda certas vacinas fortemente, incluindo a gripe e a hepatite B, para pessoas com diabetes.

Leve um kit para diabetes

Caso você já use em casa, certifique-se de levar seu glicosímetro, tiras de glicosímetro e lancetas. Estudos demonstram que boa parte das pessoas com diabetes tipo 2 não alcançam um controle melhor quando checam seu nível de glicose regularmente. Porém, ao viajar, a sua dieta provavelmente será diferente do que o seu corpo está acostumado, e a glicose pode variar mais do que durante atividades rotineiras. Também pode ser uma boa ideia levar um glicosímetro extra, pois você pode ir para algum lugar onde pode ser difícil encontrar substitutos. Também deve-se considerar trazer pilhas extras. Faça uma lista de verificação para ter certeza de que você não se esqueça de algum objeto crucial ou difícil de substituir.

Peça uma carta do seu médico

Peça ao seu médico para escrever uma carta ou lhe dar uma receita descrevendo o seu diagnóstico. Isso pode ajudar, principalmente, se você utilizar insulina, agulhas e seringas, pois uma carta oficial pode facilitar o seu processo pelas paradas de segurança, e evitar um estresse desnecessário. Isso também pode ser útil se você precisar procurar socorro médico enquanto estiver fora.

Mantenha seus medicamentos na bagagem de mão

Todos nós conhecemos alguém cuja bagagem foi perdida nas linhas aéreas. Como esse infortúnio é tão comum, é muito importante que você mantenha seus medicamentos com você a todo momento quando estiver viajando. Isso é especialmente importante se você estiver tomando insulina ou outro medicamento injetável. Além disso, quando a bagagem é admitida, a temperatura do vagão de carga pode chegar a temperaturas muito baixas, o que pode afetar os medicamentos. Não arrisque perder seus medicamentos, ou qualquer outra coisa que você precise para se manter saudável, pois pode levar dias para que a companhia aérea os retorne esses pertences a você. A maioria das linhas aéreas permite que pessoas com diabetes levem medicamentos, até mesmo se passarem do limite de 3,4 fl oz (100 ml).

Leve medicamentos extras

Se você estiver planejando viajar por um período de tempo estendido, certifique-se de ter medicamentos suficientes, que durem pelo menos o dobro da duração da viagem, caso ocorram atrasos imprevistos. Se você normalmente compra um suprimento de 30 dias de medicamento na farmácia, peça ao seu médico por uma receita de 90 dias. É melhor garantir do que remediar!

Medicamentos comuns utilizados para tratar a diabetes incluem metformina, glipizida, glimepirida, pioglitazona, sitagliptina, liraglutida e insulina, entre outros. Se você estiver tomando qualquer um desses medicamentos, é crucial que você se certifique de ter o suficiente para a viagem. E leve-os com você em viagens diurnas e outras excursões curtas.

Leve uma lista de medicamentos

Mantenha, em sua carteira ou bolsa de viagem, que você levará com você a todo tempo, uma lista escrita de todos os medicamentos que você toma. Escreva o nome, a dosagem (unidades ou mg) e a frequência (ex.: uma vez por dia, duas vezes ao dia, etc.). Isso pode ajudar caso você perca seus medicamentos, ou se você estiver fora do hotel e precisar buscar serviços médicos.

Leve suas bombas de insulina e monitores contínuos de glicose (CGM)

Para pessoas que usam uma bomba de insulina, precauções adicionais devem ser consideradas. Se você estiver viajando entre múltiplos fusos horários, e se suas refeições forem alteradas, você pode precisar checar seu nível de açúcar sanguíneo de forma mais frequente que o normal, e levar em conta tais flutuações. Além disso, as configurações de fuso horário precisarão ser ajustadas.

Alguns fabricantes de bombas de insulina, como a Medtronic, permitem que o cliente “pegue emprestada” uma bomba de insulina extra para ter uma segurança adicional. Entre em contato com o fabricante específico da sua bomba para saber se ele possui um programa de empréstimo. Ter uma bomba e suprimentos extra pode fornecer paz de espírito.

A maioria das bombas de insulina e dos monitores contínuos de glicose (CGM) pode passar seguramente pelos detectores de metais de aeroportos. Porém, costuma-se recomendar que você NÃO entre no scanner de corpo todo com os aparelhos. Verifique sua fabricante específica para conhecer suas recomendações, e informe à segurança do aeroporto que você está viajando com esses aparelhos.

Pesquise opções de serviços de emergência no seu destino

Para onde quer que você esteja viajando, certifique-se de conhecer os serviços médicos disponíveis, para o caso improvável de você precisar deles. Consulte o seu hotel para saber se há clínicas de atendimento urgente ou hospitais por perto, caso você precise. Se estiver em um cruzeiro, pergunte sobre os serviços médicos que eles fornecem no navio antes de marcar a viagem. Não espere até se sentir mal ou passar por uma emergência médica – faça as perguntas necessárias antes de embarcar.                              

Descubra onde estão as farmácias locais

Alguns medicamentos, que podem exigir receita em seu país, podem ser disponibilizados sem receita no local para onde você está viajando. Conheça a localização das farmácias locais, e certifique-se de ter sua lista de medicamentos caso você perca algum remédio.

Considere um seguro de viagem

Antes de viajar, ligue para o seu plano de saúde pessoal e pergunte se eles fornecem cobertura ou reembolso para serviços de atendimento de saúde que você possa precisar enquanto estiver viajando. Caso essa não seja uma opção, considere comprar um seguro de viagem separado antes do embarque, para evitar qualquer custo inesperado pelos serviços. Uma busca na internet pode fornecer as empresas que fornecem esse tipo de cobertura.

Leve lanches saudáveis

Ao viajar, mudanças no cronograma alimentar e nas opções de comida podem dificultar o controle do nível de açúcar sanguíneo. Levar lanches saudáveis pode ser crucial. Você provavelmente se encontrará comendo fora mais do que o normal enquanto viaja, então é muito importante fazer perguntas, principalmente se você não estiver familiarizado com alguns ingredientes. Opções de baixo teor de carboidratos sempre são uma boa ideia para pessoas com diabetes.

Leve um cooler se a viagem for de carro

Quando viajam de carro, muitas pessoas dependem de restaurantes fast food com drive-thru para suas refeições. Frequentemente, esses alimentos incluem muito sódio, carboidratos e ingredientes processados, que podem causar um grande estrago no nível de açúcar sanguíneo – principalmente quando você fica sentado(a) em um carro por horas. Uma solução é levar sua própria comida sempre que possível. Um cooler portátil é uma ótima forma de manter frutas e vegetais frescos. Além disso, você pode precisar manter a insulina fresca, mas não congelada, e um cooler pode ajudar com isso.

Para estabilizar seu nível de açúcar e certificar-se de que ele não fica alto demais, é importante ter lanches de baixo teor de carboidratos sempre à mão. Aqui estão algumas boas opções:

Prepare refeições para uma viagem de avião

Se estiver viajando de avião e for passar um tempo no aeroporto, pode ser difícil encontrar uma boa refeição.  Certifique-se de preparar suas refeições – os aeroportos permitem que você leve a comida de casa, então leve uma embalagem com almoço e mantenha lanches saudáveis na bolsa. Lembre-se que existem restrições de líquidos, então shakes de proteínas vitaminas provavelmente não passarão pela segurança.  

Não coma em buffets do tipo “à vontade”

A maioria dos cruzeiros oferece buffets do tipo “coma à vontade”, o que pode ser muito tentador. É importante planejar suas refeições, pois tomar vantagem de um acesso ilimitado a alimentos e sobremesas ricas em carboidratos pode elevar seriamente seu açúcar sanguíneo. Coma saladas e vegetais quando for no buffet. Se o clima estiver quente e você consumir álcool, a desidratação pode ocorrer rapidamente, e o nível de açúcar pode se elevar a níveis perigosos. Um cuidado extra é necessário para garantir uma viagem divertida, mas segura.

Suplementos que podem ajudar a controlar a diabetes

Cromo

O cromo é um mineral essencial, que tem um papel no metabolismo da glicose. O uso de cromo para o controle da glicose é baseado no fato de que o elemento cromo é necessário para a enzima conhecida como GTF, ou fator de tolerância à glicose. A GTF se liga à insulina e a torna mais eficiente, ajudando a reduzir a glicose sanguínea. Com o passar dos anos, surgiram controvérsias quanto à utilidade do cromo para diabéticos. Porém, uma meta-análise de 2018, que avaliou 28 estudos, concluiu que o cromo pode reduzir os níveis de açúcar sanguíneo em jejum, enquanto ainda reduz a hemoglobina A1C, um marcador para o controle geral da diabetes. Dose sugerida: 200-500 mg duas vezes por dia

Berberina

A berberina é um composto químico amarelo-dourado.  Ela vem dos caules da uva de Oregon e dos bérberis indianos. O seu uso tem referências de quase 3.000 atrás na medicina tradicional chinesa (TCM). Ela pode ser usada para melhorar o nível de açúcar sanguíneo, o colesterol e a hipertensão. Uma meta-análise de 2015, que examinou 22 outros estudos e um total de 2569 pacientes, concluiu que a berberina pode melhorar os níveis de glicose em jejum, a glicose sanguínea depois da refeição e média geral de três meses de uma pessoa, conforme medido pelo exame de sangue da hemoglobina A1C. Um estudo de 2017 propôs que a berberina pode exercer algumas de suas habilidades de redução de glicose através de um auxílio às bactérias saudáveis do intestino. Dose sugerida: 500 mg oralmente, três vezes ao dia.

Outros suplementos herbáceos frequentemente tomados por pessoas com diabetes incluem canela, extrato de semente de cominho preto e extrato de folha de oliveira.

Conclusão:

A preparação é a chave para o sucesso, não importa para onde você está viajando. Reservar um tempo adequado para planejar a rota, as acomodações e os recursos médicos da viagem pode lhe ajudar a continuar a viajar pelo mundo, não importa qual problema de saúde você possa ter. Boa viagem!

Referências:

  1. Accessed October 26th, 2018 https://www.medtronicdiabetes.com/customer-support/traveling-with-an-insulin-pump-or-device
  2. Med Hypotheses. 1980 Nov;6(11):1177-89.
  3. Mol Nutr Food Res. 2018 Jan;62(1). doi: 10.1002/mnfr.201700438. Epub 2017 Aug 15.
  4. J Ethnopharmacol. 2015 Feb 23;161:69-81. doi: 10.1016/j.jep.2014.09.049. Epub 2014 Dec 10.
  5. Zhongguo Zhong Yao Za Zhi. 2017 Jun;42(12):2254-2260. doi: 10.19540/j.cnki.cjcmm.20170307.014.
  6. Complement Ther Clin Pract. 2018 May;31:1-6. doi: 10.1016/j.ctcp.2018.01.002. Epub 2018 Jan 4.

Artigos Relacionados

Ver tudo

Condições

Uma abordagem natural para riscos de saúde comuns em mulheres

Condições

9 Abordagens Naturais para Alívio da Ansiedade

Condições

DHEA, testosterona e a demência e o declínio cognitivo ligado à idade