header_search header_signed-out header_signed-in header_cart sharefilled circlex circleexclamation iherbleaf
checkoutarrow
BR
O produto foi adicionado ao carrinho
Total:
Desconto:
Junto:
Quantidade:
Cart Total:
Finalizar
Clientes também compraram:
Ajuda 24 horas
beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements
Bem-estar

O que é a prata coloidal?

18 Abril 2018

Por Eric Madrid MD

Desde a antiguidade, os humanos jogam moedas em fontes de água, como poços e fontes, mas por que? Bom, fazer pedidos nem sempre foi a motivação. Uma teoria diz as propriedades antibacterianas da prata já eram conhecidas, e isso era feito para tornar a água mais segura para beber. Hoje, existem cada vez mais evidências de que a prata também pode ter vários outros benefícios à saúde, principalmente na forma coloidal, uma solução na qual as nanopartículas de prata ficam suspensas na água.

A prata coloidal tem se tornado cada vez mais popular com o passar das décadas, mas os benefícios à saúde que a prata traz têm sido utilizados por milênios, e acredita-se que sua primeira aplicação com intuitos medicinais foi há cerca de 2.000 anos – acredita-se que Hipócrates utilizou a prata para curar úlceras na pele e ferimentos. Durante o século IV, ela foi usada pelos egípcios e, em 980 D.C., Avicena a utilizou para purificar o sangue e tratar palpitações cardíacas e mau hálito. No século XIV, Konrad von Megenberg relatou, na obra Livro da Natureza, que os restos de prata, quando aplicados de forma tópica, podem ser usados para tratar sarnas e hemorroidas com sangramento.

Hahnemann (1755-1843), o criador da medicina homeopática, também utilizou a prata para tratar problemas médicos, incluindo o nitrato de prata para ajudar a conter sangramentos. O nitrato de prata ainda é usado hoje por médicos, para parar um sangramento leve depois de um procedimento dermatológico. Porém, se a prata for utilizada em excesso, ela pode deixar a pele de uma pessoa azulada, um problema que os médicos chamam de argiria.

Antes da criação dos antibióticos, a prata coloidal era um tratamento comum para infecções. Essa terapia passou a ser desconsiderada nos anos 90, quando o risco da resistência a antibióticos começou a se tornar uma preocupação para muitos profissionais de saúde.

Como a prata coloidal funciona?

Acredita-se que as nanomoléculas de prata entram nas bactérias e se anexam a certas proteínas bacterianas, fazendo com que elas mudem de estrutura (desnaturação) e tornem-se disfuncionais. Também se acredita que a prata se liga a certas enzimas em vírus, fungos e parasitas, tornando-os inativos.

Aqui estão alguns possíveis benefícios da prata coloidal:  

Bactericida

Desde o advento dos antibióticos por volta dos anos 40, as bactérias têm se tornado mais espertas e desenvolveram mecanismos para ajudar a se protegerem dos medicamentos. Elas formam uma espécie de "escudo protetor" para se proteger contra as drogas projetadas para matá-las – os cientistas chamam esse escudo de "biofilme". Um estudo de 2014 demonstrou que a prata coloidal pode ajudar a eliminar o escudo protetor criado por certas bactérias como a Staphylococcus aureus. Além disso, um estudo de 2011 indicou que as partículas de prata podem destruir bactérias diretamente, eliminando suas paredes celulares, uma parte crucial para a reprodução da bactéria. De acordo com um estudo de 2018, a prata também pode matar parte das bactérias boas do intestino, então o uso de probióticos deve ser considerado caso a prata seja consumida regularmente.

Antiviral

Os vírus são agentes infecciosos para os quais a medicina moderna possui tratamentos limitados. O resfriado ainda não tem cura, enquanto medicamentos que combatem o vírus influenza simplesmente reduzem o tempo de atuação da doença por cerca de um dia. Muitas pessoas procuram alternativas antivirais. Um estudo de 2005 publicado no Journal of Nanobiotechnology demonstrou que a prata pode impedir que o vírus HIV se ligue a outras células. Um estudo de 2013 com o vírus do herpes demonstrou que nanopartículas de prata também podem tornar o vírus do herpes menos infeccioso. A atuação da prata contra outros vírus também foi estudada. Apesar desses estudos fornecerem um pouco de esperança para tratamentos futuros, a prata coloidal não deve ser utilizada como um método de prevenção do HIV ou das infecções do herpes.

Antifúngico

Os fungos estão entre nós. Alguns podem ser prestativos e podem ser consumidos como alimento, como os cogumelos. Outros, entretanto, podem causar infecções devido ao crescimento excessivo. O equilíbrio é a chave. Um estudo de 2016 indicou que a prata possui propriedades antifúngicas quando testado em várias concentrações.

Cavidades dentárias

Existem poucos estudos que indiquem que a prata coloidal pode ajudar na prevenção de cavidades dentárias e reduzir o risco de infecção em pessoas que passam por implantes dentários. Um enxaguante bucal com uma mistura de prata coloidal e água pode ser considerado.

Cura de ferimentos / queimaduras na pele

Os ferimentos crônicos causados pela diabetes ou por queimaduras apresenta desafios tanto para pacientes quanto para cuidadores. Encontrar o melhor medicamento tópico é crucial não só para evitar infecções, mas também para ajudar a acelerar o processo de recuperação. Um estudo de 2006 concluiu que a prata "pode ser usada em queimaduras de segundo grau, reduzir o risco de infecções em ferimentos e agilizar a recuperação". Outro estudo, realizado em 2009, suportou o uso da prata para ajudar a curar queimaduras de segundo grau. Pomadas de prata estão disponíveis para o uso.

Saúde sinusal

Milhões de pessoas no mundo todo visitam o médico a cada ano com reclamações relacionadas a saúde sinusal, um termo comumente usado para descrever o que os médicos chamam de seio paranasal, "buracos" ocos no crânio humano, que são essencialmente ausentes em recém-nascidos, mas se desenvolvem completamente por volta dos oito anos de idade e chegam ao tamanho máximo na puberdade.

Evitar certos alimentos, utilizar medicamentos ou consumir minerais, vitaminas, óleos essenciais ou remédios homeopáticos podem ser consideradas opções para ajudar a prevenir alergias, congestão nasal e infecções do trato sinusal. Manter uma boa saúde sinusal é crucial para a saúde e o bem-estar geral. Um spray de prata coloidal para a prevenção da infecção sinusal é utilizado às vezes, com muitas pessoas relatando benefícios. Alguns estudos demonstraram um potencial benefício, porém, ainda não existem estudos suficientes comprovando a efetividade geral.

A situação da inflamação sinusal não melhorou em um pequeno estudo de 2017, com 22 pacientes que utilizaram a prata coloidal para reduzir problemas sinonasais. Mais estudos são necessários antes que o uso da prata coloidal possa ser recomendado para o tratamento de infecções sinusais e/ou para a prevenção. Aprenda mais sobre outros métodos para manter a saúde sinusal.

Combate ao câncer

Uma das potenciais aplicações das partículas de prata é o combate ao câncer. Um artigo de 2016 publicado no The International Journal Of Molecular Sciences lista propriedades de combate ao câncer como um dos seus usos. Porém, mais estudos são necessários, e a prata não deve ser usada no lugar do tratamento recomendado contra o câncer.  

Combate às células da leucemia

Um estudo de 2013 publicado na revista Biomaterials demonstrou que a prata possui propriedades de combate ao câncer, especificamente na luta contra as células da leucemia. Os pesquisadores também concluíram que as nanopartículas de prata podem ter um papel importante no tratamento futuro da leucemia.

Terapia do câncer de mama

O câncer de mama afetará uma em cada nove mulheres durante as suas vidas. Mamografias ajudam a detectar o câncer existente, mas a prevenção do problema deve ser a prioridade – ao invés de simplesmente tentar encontrá-lo cedo. Um estilo de vida ativo, dieta saudável e níveis elevados de vitamina D no sangue parecem ser fatores benéficos. Para pessoas diagnosticadas com câncer de mama, a avaliação por especialistas da área (oncologistas) é crucial. Alguns pacientes também escolhem terapias alternativas para ajudar a combater a doença.

Um estudo de 2010 publicado no Journal of Clinical and Experimental Research concluiu: “…a prata coloidal pode ser um potencial agente alternativo para a terapia de tratamento do câncer de mama em humanos”. Estudos também têm demonstrado benefícios na luta contra o câncer cervical, câncer de fígado e câncer de pulmão. Novamente, as pesquisas ainda são preliminares, e o uso da prata coloidal não deve substituir as opções de tratamento recomendadas por um médico.

De acordo com um livro de 2013 intitulado Colloidal Silver, The Natural Antibiotic, a prata coloidal também tem sido usada com sucesso para tratar alguns dos seguintes problemas:

  • Diarreia
  • Excesso de gases
  • Disfunção da vesícula biliar
  • Mau hálito (Halitose)
  • Síndrome do intestino irritável (SCI)
  • Conjuntivite
  • Asma
  • Resfriado
  • Acne
  • Queimaduras
  • Caspa
  • Eczema

Rigorosos estudos científicos são limitados, e são necessárias mais pesquisas.

A prata utilizada em hospitais

Infecções urinárias são uma infecção hospitalar comum, principalmente quando um cateter é usado para ajudar a pessoa a urinar. Um estudo de 2017 demonstrou que o cateter revestido com prata pode evitar essas infecções. De forma similar, um estudo de 2017 indicou que certos acessos intravenosos (IV), quando revestidos com prata, resultam em menos infecções bacterianas em pacientes que estiveram na unidade de tratamento intensivo. Outro estudo na mesma área indicou que infecções fúngicas também eram reduzidas em pessoas com acessos intravenosos revestidos com prata.

A toxicidade da prata

A dose máxima de consumo diário de prata não deve exceder 14 mcg/kg. Nunca consuma mais do que é recomendado no rótulo do produto usado. Raramente, quando os níveis de prata se tornam elevados na pele, um problema chamado argiria pode surgir, deixando a pele com uma coloração azulada. A maioria dos casos relatados desse problema não envolvia a prata coloidal, mas sim a utilização de sais de prata. Além disso, deve-se notar que a Federal Drug Administration (FDA) não considera a prata coloidal segura. Porém, muitas pessoas que defendem a sua aplicação citam seu longo histórico de segurança quando usada de forma conservadora.

A prata pode ser usada durante a gravidez?

Nenhum estudo demonstrou problemas, mas provavelmente é melhor evitar o uso da prata durante a gravidez e a amamentação, a não ser que o seu profissional de saúde recomende.

Existe alguma interação medicamentosa?  

Consumir a prata coloidal em conjunto com outros medicamentos pode reduzir a absorção dos medicamentos. Isso inclui antibióticos e o remédio para a tireoide levotiroxina. Entretanto, não se conhecem nenhuma interação medicamentosa.

Dose sugerida para adultos:

Aplicação tópica

  • Pomada à base de prata – use conforme a instrução
  • A prata coloidal também pode ser aplicada à pele e a ferimentos

Dose oral

As orientações de dosagem abaixo são recomendadas no livro de 2013 intitulado Colloidal Silver, The Natural Antibiotic

  • Dose baixa:  3-5 ppm uma ou duas vezes por dia para propósitos de prevenção
  • Dose moderada: 25-30 ppm duas a três vezes por dia por até duas semanas, para tratar infecções bacterianas e virais
  • Dose alta: 100 ppm uma vez por dia por até sete dias, para tratar infecções fúngicas

* Consumir mais de 200 ppm não é recomendado, especialmente se você tomar por mais de cinco dias.

* Para crianças, metade da dose costuma ser recomendada. Consulte seu pediatra antes de administrar o produto.

Nota: Devido às propriedades antibacterianas da prata, quando consumida por longos períodos de tempo, as bactérias benéficas da flora intestinal podem ser afetadas. Tomar probiótico também deve ser considerado para ajudar a equilibrar esse efeito.  

Referências:

  1. Hippocrates used Silver accessed March 11, 2018 http://hydrosolinfo.com/
  2. Accessed March 14, 2018  http://docs.anovahealth.com/argentyn23/historicalfactsonar23.pdf
  3. Int Forum Allergy Rhinol. 2014 Mar;4(3):171-5. doi: 10.1002/alr.21259. Epub 2014 Jan 15.
  4. Colloids Surf B Biointerfaces. 2011 May 1;84(1):88-96. doi: 10.1016/j.colsurfb.2010.12.020. Epub 2010 Dec 21.
  5. Bactericidal Effects of Silver Nanoparticles on Lactobacilli and the Underlying Mechanism
  6. Xin Tian, Xiumei Jiang, Cara Welch, Timothy R. Croley, Tit-Yee Wong, Chao Chen, Sanhong Fan, Yu Chong, Ruibin Li, Cuicui Ge, Chunying Chen, and Jun-Jie Yin  ACS Applied Materials & Interfaces 2018 10 (10), 8443-8450 DOI: 10.1021/acsami.7b17274
  7. Elechiguerra JL, Burt JL, Morones JR, et al. Interaction of silver nanoparticles with HIV-1. Journal of Nanobiotechnology. 2005;3:6. doi:10.1186/1477-3155-3-6.
  8. Gaikwad S, Ingle A, Gade A, et al. Antiviral activity of mycosynthesized silver nanoparticles against herpes simplex virus and human parainfluenza virus type 3. International Journal of Nanomedicine. 2013;8:4303-4314. doi:10.2147/IJN.S50070.
  9. Crit Rev Microbiol. 2016;42(1):46-56. doi: 10.3109/1040841X.2013.879849. Epub 2014 Apr 22.
  10. Abdallah Mohamed Elgorban, Abd El-Rahim Mohamed El-Samawaty, Mohamed Abdallah Yassin, Shaban Rushdy Sayed, Syed Farooq Adil, Khaled Mohamed Elhindi, Marwa Bakri & Mujeeb Khan (2015) Antifungal silver nanoparticles: synthesis, characterization and biological evaluation, Biotechnology & Biotechnological Equipment, 30:1, 56-62, DOI: 10.1080/13102818.2015.1106339
  11. Pokrowiecki R, Mielczarek A, Zaręba T, Tyski S. Oral microbiome and peri-implant diseases: where are we now? Therapeutics and Clinical Risk Management. 2017;13:1529-1542. doi:10.2147/TCRM.S139795.
  12. Zhonghua Wai Ke Za Zhi. 2006 Jan 1;44(1):50-2.
  13. Journal Medical Association Thai. 2009 Oct;92(10):1300-5.
  14. Laryngoscope. 2006 Jul;116(7):1121-6. Silver and sinus infections
  15. Scott JR, Krishnan R, Rotenberg BW, Sowerby LJ. The effectiveness of topical colloidal silver in recalcitrant chronic rhinosinusitis: a randomized crossover control trial. Journal of Otolaryngology - Head & Neck Surgery. 2017;46:64. doi:10.1186/s40463-017-0241-z.
  16. Zhang X-F, Liu Z-G, Shen W, Gurunathan S. Silver Nanoparticles: Synthesis, Characterization, Properties, Applications, and Therapeutic Approaches. Yan B, ed. International Journal of Molecular Sciences. 2016;17(9):1534. doi:10.3390/ijms17091534.
  17. Biomaterials. 2013 Oct;34(32):7884-94. doi: 10.1016/j.biomaterials.2013.07.015. Epub 2013 Jul 19.
  18. Franco-Molina MA, Mendoza-Gamboa E, Sierra-Rivera CA, et al. Antitumor activity of colloidal silver on MCF-7 human breast cancer cells. Journal of Experimental & Clinical Cancer Research : CR. 2010;29(1):148. doi:10.1186/1756-9966-29-148.
  19. Faedmaleki F, H Shirazi F, Salarian A-A, Ahmadi Ashtiani H, Rastegar H. Toxicity Effect of Silver Nanoparticles on Mice Liver Primary Cell Culture and HepG2 Cell Line. Iranian Journal of Pharmaceutical Research : IJPR. 2014;13(1):235-242.
  20. Arch Toxicol. 2011 Jul;85(7):743-50. doi: 10.1007/s00204-010-0545-5. Epub 2010 Apr 29. Silver vs Lung Cancer cells.
  21. IET Nanobiotechnol. 2017 Aug;11(5):612-620. doi: 10.1049/iet-nbt.2016.0148.  Silver lined foley catheters.
  22. J Intensive Care Med. 2017 Jan 1:885066617745034. doi: 10.1177/0885066617745034. [Epub ahead of print]
  23. Cobrado L, Silva-Dias A, Azevedo MM, Rodrigues A. Anti-Candida activity of antimicrobial impregnated central venous catheters. Antimicrobial Resistance and Infection Control. 2017;6:110. doi:10.1186/s13756-017-0269-x.
  24. Kwon HB, Lee JH, Lee SH, Lee AY, Choi JS, Ahn YS. A Case of Argyria Following Colloidal Silver Ingestion. Annals of Dermatology. 2009;21(3):308-310. doi:10.5021/ad.2009.21.3.308.
  25. Accessed  https://www.fda.gov/ohrms/dockets/98fr/081799a.txt  ; FDA does not consider Colloidal Silver to be safe.

Artigos Relacionados

Ver tudo

Bem-estar

4 passos para uma melhor saúde intestinal

Bem-estar

As melhores ervas para ajudar com o estresse

Bem-estar

Melatonina – não é só para dormir