beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements

Cardo Mariano: o Melhor Suplemento Para a Saúde do Fígado

Por Dra. Andrea Colon, NMD

Neste artigo:


‌‌‌‌Qual é o Papel do Fígado no Corpo?

O fígado é o maior órgão interno sólido do corpo. Localizado no quadrante superior direito do abdome, ele tem cerca de 15 cm de largura e pesa cerca de 1,5 quilo. Não é surpresa que o fígado tenha um papel importante no corpo, já que está envolvido em diversas funções diárias essenciais. 

O fígado trabalha com os outros órgãos para digerir, absorver e processar os alimentos. Está envolvido no armazenamento de glicose ou açúcar, que é usado quando o corpo precisa de mais energia. Ele produz a bile, uma substância que ajuda a digerir as gorduras dos alimentos, e absorve e armazena vitaminas solúveis em gorduras, incluindo as vitaminas AD e E

O fígado produz substâncias que estão envolvidas na regulação da formação de coágulos sanguíneos e da produção de hemácias. Junto com os rins, o fígado é um dos principais órgãos de desintoxicação. Ele metaboliza drogas e álcool enquanto trabalha para eliminar substâncias nocivas do corpo, incluindo toxinas e compostos químicos ambientais. Quando a função hepática diminui, pode afetar negativamente estes processos, impedindo que funcionem de maneira eficiente.

Diversos fatores podem afetar negativamente o funcionamento e a saúde do fígado. Isso inclui o uso excessivo de álcool, obesidade, exposição a toxinas, certos medicamentos e infecções virais. Felizmente, o fígado tem uma grande capacidade de se regenerar, mais do que qualquer outro órgão do corpo. Uma erva é particularmente conhecida por sua capacidade protetora do fígado e benefícios para a saúde.

‌‌‌‌O Que é o Cardo Mariano? 

O Cardo Mariano é uma das ervas mais estudadas e bem conhecidas para a proteção e apoio do fígado. Também conhecido pelo seu nome científico, Silybum marianum, o cardo mariano é uma erva usada como suplemento por séculos para apoiar o funcionamento do fígado. O primeiro uso da planta data do primeiro século, quando o médico grego Dioscorides acreditou que a planta continha propriedades curativas contra o veneno de cobras. Historicamente, tem sido usada como suplemento para problemas no fígado e vesícula biliar. 

O cardo mariano é membro da família Asteraceae, uma família de plantas que também inclui os girassóis, ambrosia e margaridas. Existem cerca de 200 espécies de cardo mariano. Certas espécies podem crescer até cerca de 1,8 metro e dão flores coloridas. Ao contrário do que o nome em inglês sugere (milk thistle, "cardo de leite"), o cardo mariano não vem da vaca. Na verdade, ele não contém nenhum laticínio. Ele tem esse nome por causa das manchas brancas na flor. O caule da planta também apresenta uma seiva leitosa. A planta é nativa do sul da Europa e também cresce nos Estados Unidos, América do Sul e Austrália.

‌‌‌‌O Que Torna o Cardo Mariano Tão Útil?

O ingrediente ativo no cardo mariano é um composto vegetal chamado silimarina, que consiste em silibina ou silibinina. A silimarina é encontrada na semente da planta. Acredita-se que tenha propriedades antioxidantes ao aumentar os níveis de glutationa. 

A glutationa é um poderoso antioxidante produzido no corpo, que ajuda a combater radicais livres e auxilia no processo de desintoxicação. Os níveis de glutationa diminuem naturalmente com a idade e com a exposição recorrente a toxinas. Pesquisas demonstraram que ela pode ajudar o corpo ao apoiar o processo de destoxificação, no qual as toxinas são removidas do corpo através do fígado. Acredita-se que a silimarina também tenha efeitos antioxidantes que ajudam a apoiar, manter e regenerar as células do fígado.

‌‌‌‌O Que as Pesquisas Dizem Sobre o Cardo Mariano?

Existem estudos mistos sobre o uso do cardo mariano. Alguns estudos têm demonstrado que o cardo mariano pode fornecer proteção antioxidante para o fígado, rins e trato gastrointestinal. Historicamente, o cardo mariano tem sido tipicamente usado para cuidar de condições do fígado, como hepatites virais, cirrose e gordura no fígado.

A cirrose é um termo que se refere à formação de cicatrizes no fígado. Estudos sugerem que o cardo mariano possa apresentar propriedades anti-inflamatórias, já que pode diminuir a atividade de vias inflamatórias.

Diversos estudos já demonstraram que a erva pode ser útil em diminuir enzimas do fígado que são aumentadas por causa de hepatites virais e doença gordurosa não alcóolica do fígado.

Alguns estudos sugerem que o cardo mariano também pode ser útil na manutenção de um nível saudável de colesterol, particularmente para pessoas com diabetes do tipo 2, já que o fígado é responsável por produzir e metabolizar o colesterol. A silimarina também pode apresentar benefícios anti-inflamatórios para a saúde.

A silimarina tem sido usada como antídoto para o envenenamento por cogumelos. O cogumelo da morte, ou Amanita, é responsável por 95% das doenças humanas causadas por cogumelos. É muito difundido na Europa e pode ser encontrado em certas áreas dos Estados Unidos e outras partes do mundo. Ele libera uma toxina chamada amatoxina, que inicialmente causa desconforto abdominal. Durante o curso de uma a três semanas, esta toxina pode causar danos e falhas no fígado, eventualmente levando à morte, mesmo na ausência de sintomas. Estudos demonstraram que a suplementação com cardo mariano pode ser efetiva em pacientes com intoxicação por Amanita.

‌‌‌‌Dosagem do Cardo Mariano

Em geral, o cardo mariano é considerado seguro para consumo. O suplemento pode ser encontrado em cápsulas, pó e extratos. A quantidade do ingrediente ativo depende do método de preparação. Tipicamente, as dosagens podem variar, mas a faixa é de 150–300 mg, tomado duas vezes ao dia. Algumas pessoas reportaram efeitos colaterais gastrointestinais incluindo náuseas, vômitos e diarreia. Pessoas com alergias a plantas do tipo ambrosia (ragweed) devem tomar cuidado. Sempre consulte um médico antes de começar qualquer tratamento de saúde.

Referências:

  1. John Hopkins Medicine. Liver: Anatomy and Functions. 2020. https://www.hopkinsmedicine.org/health/conditions-and-diseases/liver-anatomy-and-functions. Acessado em 19/4/2020. 
  2. Siegel, A., Stebbing, J. Milk Thistle: early seeds of potential. Lancet Oncol. 2013 Sep; 14(10): 929-930.https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4116427/. Acessado no PubMed em 19/4/2020.
  3. de Avelar, C., Pereira, E., de Farias Costa, P., de Jesus, P., de Oliveira, L. Effect of silymarin on biochemical indicators in patients with liver disease: Systematic review with meta-analysis. World J Gastroenterol. 2017 Jul 21; 23(27): 5004-5017. 
  4. Pizzorno, J ND. Glutathione. 2014 Feb; 13(1): 8-12.https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4684116/. Acessado no PubMed em 19/4/2020.
  5. Aller, R., Izaola, O., Gomez, S., Tafur, C., Gonzalez, G., Berroa, E., Mora, N., Gonzalez. J., de Luis, D. Effect of Silymarin plus Vitamin E in patients with non-alcoholic fatty liver disease. Eur Rev Med Pharmacol Sci. 2015 Aug;19(16):3118-24. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26367736. Acessado no PubMed em 19/4/2020.
  6. Achufusi, T., Patel, R.. Milk Thistle. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK541075/. Atualizado em 27/3/2020. Acessado no PubMed em 19/4/2020.
  7. Polachi, N., Bai, G., Li, T., Chu, Y., Wang, X., Li, S., Gu, N., Wu, J., Li, W., Zhang, Y., Zhou, S., Sun, H., Liu, C. Eur J Med Chem. 2016 Nov 10;123:577-595. doi: 10.1016/j.ejmech.2016.07.070. Epub 2016 Jul 29. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27517806. Acessado no PubMed em 19/4/2020. 
  8. Ebrahimpour-Koujan, S., Gargari, B., Mobasseri, M., Asghari-Jafarabadi, M. Lower glycemic indices and lipid profile among type 2 diabetes mellitus patients who received novel dose of Silybum marianum (L.) Gaertn (silymarin) extra supplement: a triple-blinded randomized controlled clinical trial. Phytomedicine. 2018 May 15;44:39-44. doi: 10.1016/j.phymed.2018.03.050. Epub 2018 Mar 19. 
  9. Anthony, K., Subramanya, G., Uprichards, S., Hammouda, F., Saleh, M., 2013. Antioxidant and anti-hepatitis c viral activities of commercial milk thistle food supplements. Antioxidants, 2(1): p. 23-36. 
  10. National Center for Complementary and Integrative Health. Milk Thistle. https://www.nccih.nih.gov/health/milk-thistle. Acessado em 16/4/2020. 
  11. Tyagi, A., Bhatia, N., Condon, M., Bosland, M., Agarwal, C., Agarwal, R. Antiproliferative and apoptotic effects of silibinin in rat prostate cancer. Prostate. 2002 Nov 1;53(3):211-7. Acessado no PubMed em 16/4/2020. 
  12. Ghorbana, A., Zarvandi, M., Rakshandeh. H.. A randomized controlled trial of a herbal compound for improving metabolic parameters in Diabetic Patients with Uncontrolled Dyslipidemia. Endocr Metab Immune Disord Drug Targets. 2019;19(7):1075-1082. doi: 10.2174/1871530319666190206213420.https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/30727929. Acessado no PubMed em 16/4/2020. 
  13. Ward, J., Kapadia, K., Brush, E., Salhanic, S. Amatoxin Poisoning: Case Reports and Review of Current Therapies. https://www.jem-journal.com/article/S0736-4679(12)00238-7/pdf. Accessado em 19/04/2020.

Artigos Relacionados

Ver tudo

Bem-estar

3 dicas para ajudar a reforçar o sistema imunológico em 24h

Bem-estar

O Que é o Ácido Ascórbico (Vitamina C)? Benefícios, suplementos e muito mais

Bem-estar

Não gosta do sabor do vinagre de sidra de maçã? Veja 6 motivos para experimentar suplementos desse p