checkoutarrow
BR
Ajuda 24 horas
beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements
Bem-estar

Óleo de Peixe ou Óleo de Krill: Qual é Melhor para Você?

8 Julho 2019

 Eric Madrid MD

Neste artigo:

Existe muita confusão por aí em relação aos benefícios para a saúde doóleo de peixee óleo de krill. Muitos se questionam se a diferença entre os dois é significativa e se um é mais benéfico do que o outro.

Tanto o óleo de peixe quanto o de krill contêm ácidos graxos ômega 3, especificamenteo ácido docohexanóico (DHA) e ácido eicosapentanóico (EPA). Esses ácidos graxos essenciais podem ajudar a baixar os triglicerídeos e a reduzir a dor e inflamação em pessoas com artrite.

  • O Ácido docoxahexanoico (DHA) é um ácido graxo ômega 3  e é um importante componente do cérebro, pele e olhos humanos. Embora seja importante, não é considerado “essencial&rdquo já que pode ser produzido pelo corpo se o ácido (ALA) for consumido na dieta.
  • O ácido eicosapentanoico (EPA; ou ácodio icosapentanoico) é comumente encontrado no óleo de peixe, óleo de krill e ovo (assumindo que as galinhas tenham sido alimentadas com EPA). 

Um estudo de 2016 mostoru uma elevação similar nos níveis de DHA/EPA quando doses equivalentes de óleo de peixe ou óleo de krill foram fornecidas a indivíduos em teste em um período de 4 semanas.   

Fontes de DHA e EPA

O óleo de peixe obviamente vem dos peixes. Geralmente os óleos de peixe comerciais vêm do atum, arenque e sardinha. Quando extraído, o óleo de peixe geralmente apresenta cor amarela ou branca. De modo geral, tem poucas propriedades antioxidantes, significando que não funciona bem como um antioxidante. Quando consumido, ele é fornecido ao corpo na forma de triacilglicerídeo (TAG). O óleo de peixe de qualidade comercial prexisa passar por processos adicionais de purificação para eliminar metais pesados que possam estar presentes.

Da mesma maneira, o óleo de krill vem do krill, crustáceos coletados na região da Antártida. O Krill se alimenta de fitoplâncton e algas marinhas e está na base da cadeia alimentar. Como resultado, em seu habitat natural o krill tem quase nenhuma exposição a metais pesados, então não é necessária a purificação adicional.

O krill é uma criatura pequena e vermelha semelhante à lagosta, encontrada na parte sul do oceano atlântico. O óleo de Krill é um ácido graxo essencial com uma cor vermelha distinta. Ele tende a ser mais caro do que o óleo de peixe. Quando consumido, é fornecido ao corpo em forma de fosfolipídeos.

Ao redor do mundo, o krill tende a ser mais abundante do que os peixes, então no total, extrair DHA/EPA adequadamente do krill tem maior potencial de sustentabilidade a longo prazo do que extrair esses óleos de peixes.

Comer frutos do mar é uma boa alternativa?

Idealmente, as pessoas devem obter todas as suas vitaminas, minerais e ácidos graxos essenciais dos alimentos. É o que aconselho aos meus pacientes, mas sei que nem sempre isso é possível. A American Heart Association recomenda o consumo regular de peixe, pelo menos duas vezes por semana, para a saúde do coração. Para aqueles que preferem alternativas vegetarianas, o consumo de certos alimentos pode ser uma boa fonte de ácido alfalinoleico (ALA), que pode ser convertido em DHA. O ALA pode ser encontrado em alimentos comosementes de linhaça, nozes, proteina de soja, sementes de chia, e sementes de cânhamo.

Se depender somente de alimentos, o consumo adequado de EPA e DHA provenientes de fontes animais pode ser um desafio devido à poluição dos oceanos. Por exemplo, peixes como cavala, peixe-espada, robalo, cação, e atum tendem a ter níveis de mercúrio acima da média e devem ser consumidos com intervalos. Peixes como salmão, bagre, anchovas, sardinhas, arenque, truta e tilapia têm níveis baixos de mercúrio, mas podem se acumular se forem consumidos mais de duas ou três vezes por semana.

O óleo de peixe e óleo de krill poder ter efeito sobre as seguintes condiçoes comuns de saúde.

Artrite

A osteoartrite geralmente resulta do desgaste e rompimento geral das articulações. Ela resulta da destruição das cartilagens, que agem como um colchão que cobre os ossos. Sinais iniciais de osteoartrite podem começar quando o indivíduo tem cerca de 40 anos e pode progredir com a idade. Sintomas incluem dores, inchaço, rigidez e perda de função das articulações. Alternativas naturais são procuradas por muitas pessoas para ajudar com os sintomas. Geralmente, médicos prescrevem antinflamatórios não esteroidais (NSAIDS), como ibuprofeno, napraxeno e idometacina.

Óleo de Peixe

Estudos mostram que ácidos graxos essenciais ajudam a melhorar as dores nas articulações e reduzir o uso dos NSAIDs. Estudos também mostram redução na rigidez das articulações quando fish oil é tomado na dose de 500 mg a 2000 mg por dia.  

Óleo de Krill

Um estudo de 2007 no American Journal of Clinical Nutrition mostrou que 300 mg deóleo de krill “inibe significativamente a inflamação e reduz sintomas de artrite em um tratamento curto de 7 a 14 dias”. Em 2016 um estudo duplo-cego placebo-controlado de pacientes com dores brandas no joelho demonstrou que o óleo de krill poderia reduzir a dor em doses diárias de 2000mg.

Saúde Vascular

Doenças cardiovasculares são uma grande causa de morte em pessoas no mundo todo. Existem diversos fatores de risco que contribuem para um risco aumentado de doenças cardíacas e vasculares. Ácidos graxos ômega 3 podem ser benéficos.

Óleo de Peixe

O consumo regular de ácidos graxos ômega 3 é importante para a saúde vascular e do coração. Um estudo de 2017 mostrou que ele é capaz de ajudar a prevenir a aterosclerose, ou endurecimento das artérias, enquanto um estudo de 2013 noJournal of the American Heart Association mostrou que níveis mais altos de DHA/EPA no sangue estavam associados a um risco mais baixo de doenças cardiovasculares.

Óleo de Krill

Um estudo de 2015 no British Medical Journal concluiu: “o óleo de krill pode levar a uma melhora moderada em riscos cardiovasculares, especificamente disfunção endotelial e HDL em pacientes com diabetes tipo 2.” Porém, os benefícios também se aplicam a pessoas que não têm diabetes. Um estudo de 2017 naNutrition Reviews também mostrou que o óleo de krill pode beneficiar o coração reduzindo o colesterol ruim (LDL) e triglicerídeos, ambos fatores de risco para doenças cardíacas quando elevados no sangue.

Inflamação

Inflamação ocorre quando existe um certo desequilíbrio no corpo, de certa maneira ele está “pegando fogo” internamente. Durante épocas de stress, o corpo produz um hormônio chamado cortisol em excesso. Quando o cortisol está elevado, o corpo produz moléculas inflamatórias chamadas prostaglandinas. A inflamação também pode ser avaliada medindo os níveis de proteína C-reativa (CRP) no sangue.

Níveis elevados de CRP aumentam o risco de cancer e doenças cardíacas, de acordo com um estudo de 2017 noJournal of the American College of Nutrition. Em 2008, o estudo Jupiter mostrou que as estatinas, remédios que abaixam o colesterol, podem reduzir a inflamação. O óleo de Krill e óleo de peixe também podem ter um papel.

Óleo de peixe

O óleo de peixe é conhecido por ajudar a baixar os níveis de CRP. Um estudo de 2016 mostou que isso ocorria e também que o óleo de krill éra mais eficiente do que 2000 mg de óleo de peixe. Porém, um outro estudo de 2016 no Journal of Internal Medicine mostrou que quando 1400 mg de óleo de peixe era consumido, os níveis de CRP não diminuiam. Com base nisso, eu recomendaria uma dose de pelo menos 2000 mg duas vezes ao dia de óleo de peixe ômega 3 para baixar os níveis de CRP.

Óleo de Krill

Um estudo de 2016 mostrou que o óleo de krill em uma dose de 500 mg duas vezes ao dia poderia ajudar a reduzir os níveis de CRP mais do que o óleo de peixe em uma dose de 2000 mg duas vezes ao dia. Ume studo de 2007 no Journal of the American College of Nutrition demonstrou que o óleo de krill em uma dose de 300 mg por dia podia diminuir os níveis de CRP em quase 20 por cento.

Memória/strong>

Á medida em que as populações envelhecem, problemas de memória se tornam mais comuns. A doença de Alzheimer, a forma mais comum de demência, não tem cura específica e pode causar uma enorme frustração e desafios para os pacientes e seus cuidadores. Sintomas incluem esquecer nomes e confusão nos estágios iniciais, mas o Alzheimer de estado avançado pode gerar problemas mais severos, como paranóia e comportamentos abusivos. Um por cento dos casos de doença de Alzheimer ocorrem antes dos 65 anos, mas cientistas prevêem que após os 65 anos, uma em cada 9 pessoas apresenta risco. Tratamentos naturais como cúrcuma e Boswellia, parecem ajudar, junto com o DHA e o EPA.

Óleo de Peixe

Um estudo de 2016 com 44 pacientes com problemas de memória foi conduzido, 22 receberam óleo de peixe, enquanto 22 receberam placebo. Pesquisadores notaram que a memória era melhor nas pessoas que receberam óleo de peixe. Outros estudos mostraram resultados similares.

Óleo de Krill

Um estudo de 2017 no International Journal of Molecular Sciences mostrou que o óleo de krill poderia ajudar a reduzir o stress oxidativo no cérebro e reduzir os depósitos beta amilóides, que acredita-se serem a causa da doença de Alzheimer. Mais pesquisas estão atualmente em andamento.

Triglicerídeos Altos

Triglicerídeos são um tipo de gordura que circula no sangue. Os níveis ideais devem estar abaixo de 150 mg/dl (ou menos de 1.7 mmol/L). Níveis elevados são um fator de risco para ataques cardíacos e derrame. Abaixá-los consumindo uma dieta baixa em açucares e carboidratos simples também pode ser benéfico, mas às vezes não é suficiente. Um suplemento de EPA/DHA pode ser considerado.

Óleo de Peixe

Empresas farmacêuticas já reconheceram os benefícios de baixar os triglicerídeos e desenvolveram um óleo de peixe de qualidade farmacêutica. Porém, devido ao seu alto custo, muitas pessoas não podem comprá-lo.

Um estudo de 2016 naLipids in Health and Disease concluiu que os ácidos graxos ômega 3 são benéficos em baixar os triglicerídeos. De maneira similar, uma meta análise de 2017 na Atherosclerosis, que analisou 1378 pessoas, mostrou que consumir peixes oleosos ajudava a baixar os triglicerídeos enquanto aumentava o HDL (colesterol bom), dois importantes biomarcadores de doenças cardiovasculares.

Óleo de Krill

Um estudo de 2014 mostrou redução de 10 por cento nos triglicerídeos em resposta ao óleo de krill. Um estudo de 2017 na Nutrition Reviews com 662 mostrou resultados similares em pessoas que consumiam óleo de krill. Outros estudos corroboram esses achados.

Precauções:

Pessoas com alergia a peixe ou a moluscos devem tomar cuidado, pois podem apresentar reações alérgicas. Consulte seu médico antes de tomar se tiver qualquer dúvida.

O Óleo de Peixe está disponível em forma liquida, de cápsulas e em forma de gominhas . O óleo de krill geralmente está disponível em forma de cápsulas ou cápsulas gelatinosas .

Referências:

  1. Yurko-Mauro et al. Lipids in Health and Disease (2015) 14:99 DOI 10.1186/s12944-015-0109-z
  2. Arch Med Res. 2012 Jul;43(5):356-62. doi: 10.1016/j.arcmed.2012.06.011. Epub 2012 Jul 24.
  3. Journal of the American College of Nutrition. 2007 Feb;26(1):39-48.
  4. Suzuki Y, Fukushima M, Sakuraba K, Sawaki K, Sekigawa K. Krill oil Improves Mild Knee Joint Pain: A Randomized Control Trial. Gagnier JJ, ed. PLoS ONE. 2016;11(10):e0162769. doi:10.1371/journal.pone.0162769.
  5. Yagi S, Fukuda D, Aihara KI, Akaike M, Shimabukuro M, Sata M. n-3 Polyunsaturated Fatty Acids: Promising Nutrients for Preventing Cardiovascular Disease. J Atheroscler Thromb. 2017;24(10):999–1010. doi:10.5551/jat.RV17013
  6. J Am Heart Assoc. 2013 Dec 18;2(6):e000506. doi: 10.1161/JAHA.113.000506.
  7. Lobraico JM, DiLello LC, Butler AD, Cordisco ME, Petrini JR, Ahmadi R. Effects of krill oil on endothelial function and other cardiovascular risk factors in participants with type 2 diabetes, a randomized controlled trial. BMJ Open Diabetes Res-Care. 2015;3(1):e000107. Published 2015 Oct 14. doi:10.1136/bmjdrc-2015-000107
  8. Nutr Rev. 2017 May 1;75(5):361-373. doi: 10.1093/nutrit/nuw063.
  9. Paul M Ridker, M.D., Eleanor Danielson, M.I.A., Francisco A.H. Fonseca, M.D.,et. Al * Rosuvastatin to Prevent Vascular Events in Men and Women with Elevated C-Reactive Protein N Engl J Med 2008; 359:2195-2207 November 20, 2008
  10. Journal of Internal Medicine. 2016 Jan;279(1):98-109. doi: 10.1111/joim.12442. Epub 2015 Oct 26.
  11. Arch Med Sci. 2016 Jun 1;12(3):507-12. doi: 10.5114/aoms.2016.59923. Epub 2016 May 18.
  12. J American College of Nutrition. 2007 Feb;26(1):39-48.
  13. Int J Mol Sci. 2017 Nov 28;18(12). pii: E2554. doi: 10.3390/ijms18122554.
  14. Lipids Health Dis. 2016 Jul 22;15(1):118. doi: 10.1186/s12944-016-0286-4.
  15. Atherosclerosis. 2017 Nov;266:87-94. doi: 10.1016/j.atherosclerosis.2017.09.028. Epub 2017 Sep 28.
  16. Nutrition Research. 2014 Feb;34(2):126-33. doi: 10.1016/j.nutres.2013.12.003. Epub 2013 Dec 18.
  17. Sorin Ursoniu, Amirhossein Sahebkar, Maria-Corina Serban, et. al. for the Lipid and Blood Pressure Meta-analysis Collaboration Group; Lipid-modifying effects of krill oil in humans: systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials, Nutrition Reviews, Volume 75, Issue 5, 1 May 2017, Pages 361–373

Artigos Relacionados

Ver tudo

Bem-estar

Ritual Saudável para Crianças na Hora de Dormir

Bem-estar

5 deficiências minerais comuns

Bem-estar

Resete seu relógio biológico para as mudanças da estação