As suas preferências desta sessão foram atualizadas. Para alterar permanentemente as configurações da sua conta, acesse
Lembre-se de que é possível atualizar o país ou o idioma de sua preferência a qualquer momento em
checkoutarrow
BR
beauty2 heart-circle sports-fitness food-nutrition herbs-supplements

Doutora Desvenda 8 Mitos Sobre a Gripe e o Resfriado

Por Venus Ramos, MD

Neste artigo:


Durante os meses de outono e inverno, costumam ocorrer surtos de resfriado e infecções gripais. Muitas informações equivocadas sobre prevenção e transmissão também parecem circular durante essa época. Vamos desvendar esses mitos amplamente divulgados para que você possa evitar erros e se manter saudável durante a onda de gripe e resfriado.

‌‌Mito - A gripe é apenas um resfriado mais forte

Embora a gripe e o resfriado comum sejam doenças respiratórias, elas são causadas por diferentes vírus. 

Há quatro tipos de vírus da gripe (influenza A, B, C e D), cada um dos quais com inúmeras cepas diferentes. Enquanto isso, os sintomas do resfriado estão associados, na verdade, a mais de 200 vírus. O rinovírus é o mais comum. Outras categorias de vírus que podem causar resfriados são o coronavírus, adenovírus, parainfluenza etc.  

Em geral, a gripe é uma doença mais séria que o resfriado. Os sintomas da gripe tendem a aparecer subitamente e, muitas vezes, incluem tosse, febre, calafrios, dor de cabeça, fadiga, fraqueza, dores no corpo e desconforto torácico. Os sintomas do resfriado têm um início mais gradual e costumam incluir dor de garganta e congestão nasal. Você também poderá ter fadiga, tosse, desconforto torácico e dores gerais, mas com menor intensidade que os sintomas observados na gripe. 

A gripe pode acarretar complicações sérias e exigir uma ida ao hospital. A pneumonia é uma dessas complicações. Ela pode ser causada pelo próprio vírus influenza ou uma cepa bacteriana pode acabar te infectando ao mesmo tempo, resultando em uma pneumonia bacteriana. Outras complicações da gripe incluem inflamações no coração, cérebro ou tecidos musculares e insuficiência múltipla de órgãos (como insuficiência renal ou respiratória). Quando o vírus da gripe nos pulmões causa uma resposta inflamatória que ocorre por todo o corpo, vários sistemas de órgãos em seu corpo podem começar a falhar.

‌‌‌‌Mito - Gastroenterite e gripe são a mesma coisa

A gastroenterite não é a mesma coisa que a gripe. Também chamada de gripe estomacal, a gastroenterite pode ser causada por diferentes vírus ou bactérias. A doença é marcada por sintomas gastrointestinais, como náusea, vômito e diarreia. Ela costuma desaparecer sozinha e raramente é fatal. A gripe causada pela influenza também pode ocasionar um pouco de náusea e vômito, mas esses sintomas tendem a ser leves. Contudo, conforme mencionado, a gripe pode ter complicações perigosas.

‌‌‌‌Mito - Só é contagioso quem está com febre

Define-se a febre como a temperatura corporal superior a 38°C. Ela é um sinal de que seu corpo está sentindo a presença de um invasor (como um vírus ou uma bactéria) e preparando uma resposta imunológica. Porém, mesmo que você não esteja com febre ou que tenha tomado um remédio para abaixar a temperatura, ainda será possível ter a infecção e disseminá-la. Algumas pessoas mais velhas ou que estão muito doentes podem não ter febre porque sua resposta imunológica não é forte o suficiente. 

Sem dúvida, é possível transmitir gripe ou resfriado mesmo sem apresentar quaisquer sintomas. No caso do resfriado, a maioria dos adultos saudáveis pode espalhar a doença um dia antes de desenvolver os sintomas e por cinco a sete dias depois disso. Quanto à gripe, é possível transmiti-la um ou dois dias antes da ocorrência dos sintomas, permanecendo o risco de contágio por cinco a sete dias. Às vezes, esse período de transmissão pode durar por até duas semanas em crianças ou pessoas com o sistema imunológico fraco.

‌‌Mito - A vacina da gripe pode causar uma infecção gripal

A vacina da gripe, aplicada por uma seringa, não é feita com um vírus vivo. Trata-se de um vírus inativo e incapaz de transmitir uma infecção. Quando alguém fica doente depois de receber tal vacina, é provável que essa pessoa tenha sido exposta a outro vírus ou bactéria que a faria adoecer de qualquer forma. Todas as vacinas apresentam a possibilidade de causar certas dores ou uma febre leve, mas tais sintomas não se comparam, nem de longe, à gravidade da gripe de verdade. 

É verdade que a vacina da gripe leva cerca de duas semanas para ter efeito. Portanto, se você realmente contrair gripe após sua vacinação, é possível que você tenha sido exposto ao vírus da gripe antes que a vacina pudesse atingir eficácia máxima. Apesar disso, ainda há benefícios na vacina em seu sistema se você tiver sido exposto antes de se passarem as duas semanas. Nesses casos, as pessoas tendem a ter sintomas da gripe mais leves do que aquelas que não se vacinaram.

‌‌Mito - Sair sem agasalho ou com os cabelos molhados no frio fará você se resfriar ou pegar gripe

Embora haja pesquisas que mostrem que temperaturas corporais mais altas contribuem para reduzir a disseminação interna de vírus, manter-se aquecido não impede que você se exponha ao vírus e contraia uma infecção. 

É verdade que gripes e resfriados são mais comuns durante os meses mais frios do ano. Porém, é possível que o aumento na prevalência se deva ao fato de que, com o tempo frio, as pessoas ficam mais em locais fechados. Isso permite uma maior transmissão viral, pois há mais pessoas ficando próximas umas das outras.

Além disso, os vírus do frio tendem a sobreviver melhor com umidade baixa, característica dos meses mais frios. A umidade baixa também pode ressecar a mucosa das vias aéreas, que serve como uma barreira protetora natural contra os vírus.

‌‌‌‌Mito - Alimente quem está resfriado, mas não quem está com febre

Esta frase parece derivar da crença de que a digestão de alimentos libera calor e que, portanto, comer aquece o corpo de quem está resfriado e pode superaquecer quem está com febre. Porém, esse não é um guia apropriado para fazer escolhas alimentares quando você fica doente. 

Seu apetite pode ficar reduzido quando você se sente doente, mas não é uma boa ideia restringir o consumo alimentar em momentos como esse. Não é preciso se forçar a comer, mas seu corpo precisa de uma nutrição adequada para ter energia para combater a infecção. Além disso, é importante garantir uma hidratação adequada quando você está com gripe ou resfriado.

‌‌Mito - Canja de galinha cura o resfriado

Embora não te cure do vírus que causou seu resfriado, a canja de galinha é mais do que apenas uma refeição reconfortante. Pesquisas mostram que ela tem um efeito anti-inflamatório e melhora a mobilidade do muco, aliviando sintomas do trato respiratório superior, como congestão nasal e na garganta. Outros estudos demonstraram que ingredientes como alhogengibreaçafrão e cebola parecem contribuir com efeitos antivirais.

‌‌Mito - Tomar a vacina da gripe te torna imune à doença

Todo ano, a vacina da gripe é feita com as três ou quatro cepas da influenza que se acredita que serão as mais prevalentes na época de gripe seguinte. Pesquisas feitas nos anos anteriores ajudam a determinar quais cepas serão usadas – e quais delas causam doenças, o quanto elas se espalham e se uma vacina tem bom desempenho contra elas.

Por isso, mesmo que tenha se vacinado, você poderá se gripar em um dado momento porque foi infectado por uma cepa diferente que não foi incluída em suas vacinas. Além disso, a vacina da gripe não é 100% eficaz. Caso você pegue gripe causada por uma cepa viral contemplada em suas vacinas, os sintomas poderão ser mais leves do que seriam se você não tivesse sido vacinado.

Além da vacina da gripe, há certas coisas que você pode fazer para reduzir ainda mais o risco de se infectar:

  • Lave suas mãos frequentemente com sabonete líquido e água morna. Use álcool em gel quando não tiver água e sabão à disposição. 
  • Evite tocar seu rosto (ou lembre-se de lavar as mãos antes).
  • Durma bem (pelo menos 7h30 por noite é uma boa meta).
  • Evite o contato próximo com pessoas doentes (mantenha pelo menos 2 metros de distância).
  • Fortaleça seu sistema imunológico com frutas e vegetais nutritivos para obter bastante vitamina Cvitamina A e vitamina E. A vitamina D também é importante e pode ser encontrada em cogumelos, gemas de ovos e peixes gordos (que também contêm ômega-3, reforçando sua saúde). Se tiver dificuldade para obter nutrientes suficientes pela alimentação, você poderá consumi-los na forma de suplementos, seja por um multivitamínico ou um produto que inclui nutrientes específicos.
 

Artigos Relacionados

Ver tudo

Bem-estar

7 ideias de presentes naturais e caseiros de Dia das Mães

Bem-estar

Será Que as Vitaminas Lipossomais Oferecem Mais Benefícios Para a Saúde?

Bem-estar

7 Suplementos Naturais Para Otimizar a Fertilidade em Homens e Mulheres