Em uma carta aberta para oficiais de saúde pública, médicos e trabalhadores da saúde, importantes especialistas em medicina se reuniram para fazer uma declaração sólida em relação aos benefícios da vitamina D para o funcionamento imune e a saúde em geral durante a pandemia global.1

Esta carta é semelhante a um outro caso transformado em uma Op-Ed na Medpage Today, em 5 de janeiro de 2021, pelo ex-cirurgião geral, Dr. Richard H. Carmona, que solicitou com urgência que os médicos assumam a responsabilidade e não "esperem por evidências perfeitas ao tomar decisões de vida ou morte".2 Devido ao perfil de segurança da vitamina D, os 40% de prevalência da deficiência de vitamina D nos EUA,3 e o fato de esta temporada ser possivelmente a fase mais letal da pandemia até agora, o Dr. Carmona solicitou que os médicos "tomem uma atitude agora", com urgência, identificando e erradicando a deficiência de vitamina D com uma suplementação precoce e agressiva.”  

O consenso entre médicos e pesquisadores educados sobre os benefícios e segurança da suplementação com vitamina D3 é claro - alcançar uma quantidade adequada de vitamina D deve ser uma das nossas prioridades mais altas de saúde pública.1,2,4

O Que as Pesquisas Dizem Sobre a Vitamina D e a Saúde Imune?

A vitamina D3 apresenta benefícios para a saúde além dos ossos e dentes. Em particular, ela é essencial para o funcionamento imune, especialmente ajudando a proteger contra infecções virais respiratórias. Existem evidências científicas de que níveis sanguíneos mais altos de vitamina D3, bem como a suplementação com vitamina D3, são associadas com a redução da taxa de desenvolvimento de infecções do trato respiratório devido a vírus.5-7

Em uma revisão detalhada em uma das fontes mais respeitadas do mundo, o British Medical Journal, pesquisadores analisaram os resultados de 25 testes clínicos randomizados controlados com um total de 11321 participantes, com idades desde bebês até a faixa dos 90 anos. Os resultados mostraram que a suplementação com vitamina D produziu uma diminuição de 70% nas infecções do trato respiratório em pessoas com níveis iniciais baixos de vitamina D. Em pessoas sem deficiência de vitamina D, ainda houve uma redução de 25% nas infecções do trato respiratório.6

Quem Apresenta Mais Risco Para Deficiência de Vitamina D?

A deficiência de vitamina D pode ser o desafio de saúde mais comum no mundo, já que esta vitamina não está facilmente disponível nos alimentos, mas pode ser formada quando a luz solar atinge a pele e modifica um composto (7-dehidrocolesterol) na área exposta da pele, formando a vitamina D3.

A deficiência de vitamina D é comum pois a maioria das pessoas passa a maior parte do tempo em ambientes internos, ou cobertos de roupas e protetor solar quando saímos. Morar em uma latitude alta (menos exposição solar); envelhecimento (a pele mais velha é menos responsiva à luz do sol); pele mais escura (a melanina reduz o efeito dos raios ultravioleta sobre a pele); além de obesidade, doenças do fígado e diabetes tipo 2 (estas condições reduzem a conversão de D3 na forma mais ativa 25-OH-D3 pelo fígado).

A deficiência de vitamina D3 é diagnosticada ao apresentar um nível sanguíneo de 25-OH-D3 menor que< 20ng/ml. Mas níveis adequados de vitamina D são aqueles acima de 30ng/ml, e acredita-se que os níveis ideais estejam na faixa de 50 a 80 ng/ml.

Tabela 1 - Estatísticas Preocupantes Sobre a Deficiência de Vitamina D3 nos Estados Unidos

70% da população apresenta níveis inadequados de vitamina D (níveis sanguíneos abaixo de 30 ng/ml)

50% da população apresenta deficiência de vitamina D (níveis sanguíneos abaixo de 25 ng/ml)

60% de todos os pacientes de hospitais apresentam deficiência de vitamina D

76% das mulheres grávidas apresentam deficiência severa de vitamina D

80% dos pacientes de casa de repouso apresentam níveis inadequados de vitamina D

Porque o Senso de Urgência Agora?

Estudos recentes mostraram que taxas mais altas de mortalidade devido a uma infecção viral respiratória estão relacionadas a níveis baixos de vitamina D3. Um estudo mostrou que a taxa de mortalidade devido a infecções virais respiratórias foi próxima a 100% quando os níveis de vitamina D estavam abaixo de 19 ng/ml, mas quando os níveis eram de 34 ng/ml a taxa de mortalidade foi de 0%.8 Em outro estudo, pacientes admitidos em um hospital na Bélgica com nível sanguíneo de vitamina D menor do que 20 ng/ml apresentaram um aumento de 3,7 vezes nas chances de morrer de uma doença respiratória viral.9 

Enquanto uma busca no ClinicalTrials.gov mostra que existem cerca de 40 estudos clínicos em andamento ao redor do mundo analisando a vitamina D3 em infecções do trato respiratório, os pesquisadores e especialistas solicitam que governos, oficiais de saúde publica e médicos passem a recomendar com urgência a vitamina D para todos, por causa do possível beneficio e ausência de danos com a suplementação de vitamina D3.

Mensagem Principal

Indivíduos com vitamina D3 baixa  deveriam fazer já a suplementação com vitamina D3, já que muita coisa está em jogo. Os 200 especialistas que defendem a suplementação ampla recomendaram o seguinte:

  • Testar os níveis sanguíneos de 25-OH-D3 para melhor determinar seus níveis e faixa de dosagem para suplementação.
  • Adultos que no momento não estão tomando vitamina D3 ou pessoas com níveis sanguíneos de 25-OH-D3 menor do que 30 ng/ml, devem tomar 10.000 UI (250mcg) diariamente por 2-3 semanas.
  • Após esta dosagem de carga, adultos devem suplementar com a dosagem de 4000 UI (100mcg) diariamente. Esta dosagem é considerada universalmente segura.9
  • Adultos com maior risco de deficiência devido ao excesso de peso, pele escura, ou pelo fato de viverem em casa de repouso podem precisar de um consumo diário maior, de 8000 UI. Testar é a melhor maneira de determinar a dosagem.

Referências:  

  1. https://vitamindforall.org/letter.html
  2. https://www.medpagetoday.com/infectiousdisease/covid19/90530
  3. https://vitamindforall.org/Carmona_letter_preamble.pdf
  4. Parva NR, Tadepalli S, Singh P, et al. Prevalence of Vitamin D Deficiency and Associated Risk Factors in the US Population (2011-2012). Cureus. 2018 Jun 5;10(6):e2741.
  5. Pham H, Rahman A, Majidi A, Waterhouse M, Neale RE. Acute Respiratory Tract Infection and 25-Hydroxyvitamin D Concentration: A Systematic Review and Meta-Analysis. Int J Environ Res Public Health. 2019;16(17):3020. Publicado em 21 de Ago de 2019. doi:10.3390/ijerph16173020
  6. Martineau Adrian R, Jolliffe David A, Hooper Richard L, Greenberg Lauren, Aloia John F, Bergman Peter et al. Vitamin D supplementation to prevent acute respiratory tract infections: systematic review and meta-analysis of individual participant data BMJ 2017; 356 :i6583
  7. Ginde AA, Blatchford P, Breese K, et al. High-Dose Monthly Vitamin D for Prevention of Acute Respiratory Infection in Older Long-Term Care Residents: A Randomized Clinical Trial. J Am Geriatr Soc. 2017;65(3):496-503. doi:10.1111/jgs.14679
  8. https://emerginnova.com/patterns-of-covid19-mortality-and-vitamin-d-an-indonesian-study/
  9. De Smet D, De Smet K, Herroelen P, Gryspeerdt S, Martens GA. Serum 25(OH)D Level on Hospital Admission Associated With COVID-19 Stage and Mortality. Am J Clin Pathol. 2021 Feb 11;155(3):381-388.